Bolsonaro nega recriação de ministérios da Cultura e Esporte

Presidente diz que apenas elogiou secretários das pastas e também da Pesca, mas indicou possibilidade de mexer nos quadros

O presidente da República Jair Bolsonaro negou a possibilidade de recriar ministérios e disse que ao comentar a possibilidade em uma cerimônia realizada nesta sexta-feira (29) no Palácio do Planalto, estava apenas fazendo um elogio à competência dos secretários da Pesca, Esporte e Cultura.

O chefe do Executivo, porém, indicou a possibilidade de mexer na disposição de seus quadros afirmando que o ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni, poderia assumir a Secretaria-Geral da Presidência, atualmente ocupada interinamente por Pedro Nunes Marques.

“O Onyx? Volta. Conheço há muito tempo. Me ajudou muito. Acredito no trabalho dele. Chamo o Onyx de coringa, ele está pronto para ir para qualquer ministério”, respondeu Bolsonaro ao ser questionado se Onyx voltaria ao Palácio do Planalto para assumir a Secretaria-Geral.

Bolsonaro condicionou a recriação de ministérios a votos em candidatos apoiados pelo governo. Ele admitiu que poderia recriar os ministérios do Esporte, da Cultura e da Pesca, após a eleição que vai renovar a cúpula do Congresso, na próxima segunda-feira (1º).

“Se tiver o clima no Parlamento, (porque) ao que tudo indica as duas pessoas que nós temos simpatia devem se eleger (Lira e Pacheco), não vamos ter mais uma pauta travada”, disse o presidente na solenidade em que recebeu os novos atletas embaixadores dos Jogos Escolares Brasileiros, na qual poucos usavam máscara de proteção. “A gente pode levar muita coisa avante e quem sabe até (fazer) ressurgir ministérios.”

Hoje, no entanto, Bolsonaro voltou atrás. “Não tem recriação do ministério. Eu escolhi os três secretários, que fazem um brilhante trabalho. O elogio que dei pra eles no trabalho que eles fazem eles mereciam ser ministros. Não é criar ministérios como deram a entender para negociar com quer que seja. Não é fácil criar ministério. É burocracia, um pouco mais de despesa. Não está previsto”, disse.

Eleições do Congresso

Bolsonaro disse ainda acreditar na vitória de Arthur Lira (PP-AL) na presidência da Câmara. “Mas quem vai decidir é o parlamento. Respeitamos o parlamento. Sou simpático ao Arthur Lira e sou simpático também ao outro candidato ao senado, o Rodrigo Pacheco (DEM)”, disse.

Ele afirmou que a partir da próxima semana, com a volta do Congresso, irá priorizar reformas a privatização da Eletrobras e Correios.” A regularização fundiária é muito importante pra gente”, disse.

Bolsonaro afirmou querer “um sucessor que atenda os interesses do Brasil e não deixe atrasar pautas de interesse”, na Câmara.

Fonte: R7

Ministro da cidadania Onyx testa positivo para covid-19

Informação foi dada em mensagem no Twitter

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou nesta segunda-feira (20) que foi infectado pelo novo coronavírus.

Em mensagem no Twitter, o ministro explicou que os primeiros sintomas começaram na última quinta-feira (16) e que na sexta passou por exames, entre eles o PCR. O resultado, segundo ele, saiu hoje e o novo coronavírus foi detectado.

“Desde sexta-feira estou seguindo o protocolo de azitromicina, ivermectina e cloroquina e já sinto os efeitos positivos. Estou bem melhor, em isolamento e sigo o trabalho em home office. Boa semana a todos nós”, disse Onyx na postagem.

Fonte: Agência Brasil

Governo cancela entrevista sobre auxílio emergencial

Assessoria do Planalto informou que ministro e presidente da Caixa concederiam entrevista. Uma hora depois, informou cancelamento, sem explicar motivos.

A assessoria do Palácio do Planalto anunciou nesta quinta-feira (23) que integrantes do governo concederiam uma entrevista coletiva sobre o auxílio emergencial, mas, pouco depois de uma hora do anúncio, informou que a entrevista havia sido cancelada. O motivo não foi informado.

Segundo o comunicado do governo, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, concederiam a entrevista.

Mais cedo, nesta quinta, Lorenzoni e Guimarães participaram de uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro para discutir o tema. Outros integrantes do governo também participaram.

Fonte: G1

Defensoria Pública poderá contestar resultado de auxílio emergencial

Acordo para agilizar processos foi feito com Ministério da Cidadania

Todos aqueles que tiveram o auxílio emergencial negado podem, a partir da próxima segunda-feira (22), entrar com pedido de contestação de resultado por meio da Defensoria Pública do seu município, de acordo com informações do Ministério da Cidadania divulgadas nesta quarta-feira (17). Segundo a pasta, será preciso apresentar documentos que comprovem a elegibilidade do recebimento do benefício.

Um acordo de cooperação técnica foi assinado ontem (16) entre o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e o defensor Público-Geral Federal, Gabriel Faria Oliveira. “Com a ação, é possível solucionar o caso dessas pessoas por meio administrativo, sem ser necessário o processo de judicialização”, disse o ministério em nota.

Ministro da Cidadania

“O acordo que firmamos permite que a Defensoria Pública, que está em todos os estados, possa dar essa assistência, que é gratuita, ao cidadão. O cidadão vai buscar o seu direito e, caso esteja dentro do que a lei determina, receberá o auxílio”, disse Onyx Lorenzoni. 

O defensor público-geral federal, Gabriel Faria Oliveira, disse que o acordo é estratégico para dar a chance de que os casos sejam analisados individualmente. “Aqueles que tiveram o benefício eventualmente negado, por alguma desatualização no cadastro que não seja condizente com a realidade atual, têm a possibilidade de buscar ajuda para resolver a questão sem judicialização”, destaca.

* Com informações do Ministério da Cidadania

Fonte: Agência Brasil