Incansáveis ministros do STF acionam plano “B”

O objetivo é impedir que ministro indicado por Bolsonaro atue nos casos da Lava Jato

Com a inevitável aposentadoria do ministro Celso de Mello, que tem como data limite o dia 1º de novembro, quando o decano completa 75 anos, um plano “B” parece ter sido acionado com o objetivo de garantir a maioria dos votos contra a Lava Jato, na 2ª turma do STF.

A estratégia é simples.

– A ideia é impedir que o indicado por Jair Bolsonaro ocupe o lugar de Celso de Mello.

O novo ministro seria deslocado para a 1ª turma.

Dias Toffoli, que deixa a presidência, completaria a 2ª turma, garantindo o placar de 3 a 2 a favor de todos os condenados pela Lava Jato.

Eles são realmente incansáveis…

Fonte: O Globo

Governo do Líbano renuncia, seis dias após megaexplosão em Beirute

Quatro ministros já haviam deixado os cargos e população foi às ruas protestar. Explosão afetou seriamente a economia do país

Megaexplosão em porto aumentou pressão sobre o governo
Megaexplosão em porto aumentou pressão sobre o governo

O primeiro-ministro do Líbano, Hassan Diab, anunciou a renúncia de todo o gabinete de governo, seis dias após a megaexplosão que devastou Beirute e de um fim de semana de manifestações que reuniram multidões nas ruas da capital.

Em um anúncio na televisão, o presidente Michel Aoun aceitou a renúncia e pediu que o gabinete de Diab permaneça de maneira interina até que um novo governo seja formado.

insatisfação crescente da população libanesa ficou evidente com a tomada de prédios de ministérios no sábado e no domingo, associadas à convocação de um levante contra o governo. Quatro ministros já haviam renunciado ao cargo nos últimos dias, dois nesta segunda-feira — a titular da pasta da Justiça, Marie Claude Najem, e o ministro das Finanças, que fez o anúncio, mas não chegou a entregar a carta de renúncia para aguardar a saída de todo o gabinete.

Leia mais: Explosões no porto de Beirute, Líbano, causam grande destruição

Hassan Diab, em pronunciamento, afirmou que a explosão é fruto da corrupção endêmica que assola o país. E disse ainda, que “a corrupção que o país sofre é maior do que o Estado”.

Diab pediu também o julgamento dos responsáveis pela explosão. O primeiro-ministro disse que “o governo dará um passo para trás”, mas disse que continua com o povo.

A renúncia completa do gabinete surge após ministros já terem deixado seus cargos, na esteira das manifestações de insatisfação com o governo libanês, sobre o qual recai a culpa por permitir o armazenamento de mais de 2.700 toneladas de substância altamente explosiva no porto de Beirute sem qualquer cuidado.

Ele criticou ainda a elite do país, a qual acusa de mentir para o povo. E finalizou com a frase: “que Deus proteja o Líbano”. 

Megaexplosão em porto aumentou pressão sobre o governo

O desastre no porto de Beirute multiplica os problemas na esfera econômica, já que destrói a principal porta de entrada e saída do comércio libanês, e da saúde. A explosão destruiu ao menos três hospitais e todo o estoque de equipamentos de proteção destinado ao combate da covid-19 no país.

Fonte: R7

Entenda porque são importantes os pedidos de impeachment de ministros do STF, mesmo que Davi não coloque em pauta

O que mais ouço e leio nos comentários aqui e de colegas que resolvem colocar a mão na massa é: “sabe o que vai acontecer fazendo isso? Nada”.

Esse é um dos maiores equívocos de quem luta por um país melhor: achar que o fato de receber um não, ou de ter uma ação interrompida ou arquivada é não dar em nada.

Muitas vezes as ações tomadas não são para atingir o objetivo que parece.

Difícil entender?

Vou tentar explicar com atos recentes!

Vocês já se perguntaram o por quê advogados perdem dias ou até semanas de trabalho elaborando um pedido de impeachment de um Ministro do STF se sabemos que o presidente do Senado não colocará em pauta?

Pois bem….

Quem coloca a mão na massa nunca pensa que não dará em nada. O máximo que pensa é que será difícil alcançar o melhor resultado, ou seja, o impeachment.

Mas existem diversos resultados que podem ser obtidos. Por exemplo o pedido ser usado de arma para avançarmos mais um pouco dentro do Senado ou para que o Ministro recue um pouco.

Acontece que, infelizmente, ainda somos poucos que entendem que para se ganhar a guerra é preciso batalhar dia a dia para conquistar território.

E tudo o que o inimigo quer é que achemos que todo nosso esforço não dá em nada!!

Essa visão de que a guerra se ganha com apenas uma batalha com o resultado devastador é utópica.

Sim, todos nós gostaríamos que uma canetada, um julgamento ou uma prisão resolvesse todos os problemas do país.

Mas infelizmente isso não existe.

O que existe é minar o campo do inimigo, fazendo-o recuar, para assim ganharmos território.

Sim, isso dá muito trabalho! Mas dá certo!

Então prometam para mim que nunca mais vocês vão responder: “legal, mas não vai dar em nada”?

Pois isso é tudo o que eles querem que você faça; desencorajar quem está disposto a “lutar mesmo não dando em nada”!!

Por Flavia Ferronato*

*Flavia é Advogada, Coordenadora Nacional do Movimento Advogados do Brasil

“Cada ministro do STF tem mais de 100 auxílios e 222 funcionários” (veja o vídeo)

Auxílio dentário milionário, Auxílio moradia, aulas de yoga, massagem, auxílio funeral,“oficinas de respiração”,..

O Senador Jorge Kajuru (PSB), um dos mais sensatos e coerentes do país, postou em suas redes sociais, um pronunciamento que fez na tribuna do Senado, no qual critica duramente os megaprivilégios dos semideuses ministros do STF.

Em seu pronunciamento, Kajuru elenca os vários megaprivilégios, inacessíveis aos reles mortais. Auxílio dentário milionário, Auxílio moradia, aulas de yoga, massagem, auxílio funeral,“oficinas de respiração”, 5 publicitários à disposição (para que servem publicitários no STF? Vão ajudar a resolver questões constitucionais?) , etc.

É muito injusto e uma verdadeira afronta que tais benefícios inacessíveis e inimagináveis para a ampla maioria da população que habita em um país com mais de 15 milhões de desempregados, cuja maioria esmagadora dos cidadãos sobrevive muito mal com um salario mínimo.

Isso sem contar que os salários deles já é muito bom, cerca de R$ 39.200,00, muito além da maioria dos desprovidos da terra brasilis. Tal como os Brâmanes indianos, que se consideram nascidos dos deuses, a casta de ministros do supremo vive em uma bolha, preocupados com seus próprios destinos divinos; e assim, vão vivendo as suas vidas, alheios ao que acontece com os desprezíveis humanos mortais, que vivem lá embaixo, em um país esquecido por eles na maioria do tempo, chamado Brasil.

Vejam o vídeo:

Por Everson Leal