Detran faz alerta à população para golpes aplicados por falsos funcionários em RO

Segundo o Departamento de Trânsito do estado, o golpista se utiliza de dados de servidores do Detran–RO, com imagens ou número de telefone clonado

Golpistas utilizam o WhatsApp

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran), alerta a população sobre possíveis golpes praticados por falsos funcionários da autarquia via WatsApp. A modalidade de estelionato ocorre com golpistas, que se utilizam de dados dos servidores do Detran –RO, com imagens ou número de telefone clonado, oferecendo serviços escusos para pagamento de taxas e serviços visando oferecer “facilidades” aos usuários, tais como aquisição de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), aquisição irregular de veículos, bem como exclusão de multas de trânsito, sem o pagamento do valor estipulado no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

A Corregedor Geral do Detran, Glauco de Paula Souza alerta que o golpe vem se aprimorando. “O crime, indicando supostamente o envolvimento de servidores da autarquia em prática criminosa, vem aprimorando com o passar dos anos, através de golpes via WhatsApp, em que os estelionatários se utilizam de dados dos servidores, vitimando cidadãos, causando danos à imagem de servidores e, por consequência, a este órgão de trânsito”.

Glauco de Paula diz que mesmo a corregedoria reagido enérgica e prontamente nos casos denunciados, os golpes não param de ocorrer. “Desta forma, pedimos tanto aos servidores quanto os usuários e a população em geral, que fiquem em alerta quanto aos golpes aplicados via whatsapp, e que utilizem as nossas plataformas para serviços, evitando assim transtornos futuros, e que procurem a polícia para denunciar o crime”.

O Detran-RO orienta a servidores que estão com seus nomes e fotografias utilizados indevidamente pelos golpistas que procurem os órgãos competentes, para denúncia do fato.

COMO ACONTECE O GOLPE?

Utilizando perfil falso, os bandidos abordam as vítimas nas mídias sociais ou em aplicativos de mensagens, oferecendo vantagens na aquisição de veículos, CNH ou extinção de multas. Para garantir o “negócio”, exigem que o usuário faça o depósito de uma quantia em dinheiro, que gira em torno de R$ 1 mil e R$ 2 mil. Após o dinheiro ser compensando na conta do estelionatário, o perfil falso bloqueia a vítima, que nesse momento percebe o golpe aplicado.

COMO SE PROTEGER?

É importante saber que o Detran-RO não oferta pagamento de taxas ou multas via WhatsApp e em mídias sociais. A emissão multas, taxas de documentação e IPVA podem ser emitidas de forma segura no endereço eletrônico https://www.detran.ro.gov.br/

Fonte: Detran-RO

Novo golpe usa nome da Agevisa para enganar empresas reguladoras de Rondônia

A nova prática do novo golpe, foi notificada em várias regiões do País.

A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), alerta a população para que não caia em um novo golpe à nível nacional. As vítimas são empresas de interesse de vigilância, ou seja, as reguladas pela Agevisa. A prática das “supostas” Vigilâncias Sanitárias foram notificadas em várias regiões do País. Em Rondônia, uma denúncia foi registrada nesta semana.

Segundo a Agencia, os golpistas, estrategicamente, agem neste momento de pandemia, valendo-se dos atendimentos aos departamentos que passaram a funcionar de forma remota em cumprimento aos decretos que determinam o distanciamento social restritivo. 

Conforme a Agevisa, a vítima rondoniense informou ao órgão que o falso atendente solicitou, por meio de ligação interurbana, ou seja, um número de Discagem Direta à Distância (DDD) de outra região, que o regulador clicasse em um link para o recebimento de notificação em razão da ausência do uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI) adequado para funcionários no atendimento ao público. “Nesta ligação ele se apresentou como um fiscal sanitário, assim que o golpista encerrou a ligação enviou este link. O que o golpista não contava nessa situação era que o celular da empresa identificasse a ameaça de golpe, além de que, a empresa seguia todos os protocolos de segurança. Então, a vítima suspeitou e nos ligou para denunciar o ocorrido, e ainda bem que não clicou no link”, conta  a Gerente de Vigilância Sanitária, Vanessa Ezaki.

A Agência orienta que os usuários não cliquem em links que sejam enviados por e-mail, mensagem ou ligação, sem a certeza de ser contato oficial da Agevisa. Em caso de dúvidas, entre em contato imediatamente pelo telefone: (69) 3216- 5394 ou por meio do VisaOn.

“Nós temos esses contatos oficiais, infelizmente temos essa questão da informalidade no momento devido a pandemia, então poderemos mesmo entrar em contato com os usuários. Mas, em caso de dúvidas, o público pode ligar pra gente e tirar a dúvida sem antes cair no golpe”, orienta Vanessa. 

Fonte; Agevisa

Procon-RO alerta ao novo golpe envio de links falsos

Através de um link enviado por mensagens através das redes sociais, tem seus dados expostos que efetua compras online, abre contas, solicita cartões de crédito e faz empréstimo em nome das vítimas.

Golpe através de Whatsapp

Fraudadores estão se aproveitando da pandemia do coronavírus para roubar dados dos cidadãos por meio do envio de links falsos, as informações são do Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor em Rondônia (Procon-RO), que também orienta sobre os cuidados necessários ao usar os aplicativos bancários para evitar futuros problemas financeiros. Através de um link enviado por mensagens através das redes sociais, tem seus dados expostos que efetua compras online, abre contas, solicita cartões de crédito e faz empréstimo em nome das vítimas.

Segundo o coordenador do Proncon-RO, Ihgor Rego, devido à limitação que temos hoje com a dificuldade de ir até ao banco realizar pagamentos e outros serviços, estamos conhecendo novos instrumentos, que já existiam antes da pandemia, mas eram pouco utilizados, para realização dessas transações.

 “ Todas as instituições bancarias que temos no Brasil tem um site próprio e aplicativo para auxiliar o consumidor no manuseio das suas contas, realização de transações, consulta de saldo e todas essas atividades e finalidades que, por ventura, tem no caixa eletrônico, também temos na palma da mão. A única diferença é que não conseguimos, por meio de aplicativo, sacar o dinheiro. Mas você pode movimentar, realizar pagamentos, contratar serviços e realizar consultas simples como saldo e extrato”.

Para o coordenador do Procon, o consumidor precisa ficar atendo ao utilizar a internet, pois pode existe um fraldador tentando tirar vantagem da inexperiência do usuário.

Golpe através de SMS

“ Vale lembrar que os bancos e as instituições financeiras não enviam SMS, e-mail ou mensagem de Whatsapp alarmando que suas contas serão encerradas por não atualizar o cadastro. Essa situação chama atenção do consumir, e por algum motivo, pedem a ele que preencham algumas informações pessoais para regularização do cadastro. O banco não cobrará isso de você , portanto é muito importante que o consumidor tenha consciência dos seus direitos, mas tomem os cuidados necessários para não informar os seus dados aos golpistas”.

Quando o consumidor cair em um golpe, deve imediatamente denunciar à polícia e entrar em contato com a instituição financeira para romper com o ciclo da fraude.

“ A pessoa precisa pedir o cancelamento do cartão de crédito, de algum serviço que seja alvo de ataque fraudulento e comunicar às autoridades policiais. Se o banco se recusar a restituir o dinheiro, que de alguma forma foi objeto de fraude, o cliente poderá procurar o Procon para mediar a situação ou o Poder Judiciário para obter o dinheiro, que foi desviado ilicitamente, de volta”, orienta o coordenador do Procon-Ro, Ihgor Rego.

Em caso de dúvidas, o consumidor poderá entrar em contato por meio dos canais de atendimento do Procon: Telefone 151; Whatsapp (69) 98491-2986 ou (69) 98482-0928, ou pelo perfil no Facebook Procon Rondônia.

FIQUE ATENTO ÀS ORIENTAÇÕES

– Utilize antivírus no computador, tablet e smartphone;

– Em caso de dúvidas ou dificuldades, procure um familiar ou amigo que possa ajudar;

– Baixe aplicativos apenas das lojas oficiais;

– Não preencha formulários que não estejam nos sites oficiais;

– Não confie e não compartilhe links e informações dos quais não tenha certeza da origem;

– Não acredite em ofertas de ajuda, auxílio, dinheiro, entre outros serviços, enviadas pelo WhatsApp, redes sociais, e-mails e não clique nesses links;

– Para obter informações sempre acesse os sites oficiais dos bancos ou do serviço que desejar.

Fonte: Procon

%d blogueiros gostam disto: