Austrália tem novo maior número de mortes diárias por covid-19

O estado de Victoria registrou 41 novas mortes por covid-19, o que representa o maior aumento diário registrado no país desde o início da pandemia

As autoridades da Austrália informaram nesta segunda-feira (31) que o estado de Victoria, epicentro da segunda onda do novo coronavírus, registrou 41 novas mortes por covid-19, o que representa o maior aumento diário registrado no país desde o início da pandemia.

O chefe do governo de Victoria, Daniel Andrews, disse em Melbourne que do total dessas mortes relatadas, 33 ocorreram nos últimos dias e o restante entre ontem e hoje.

“Pelo menos 37 deles estão ligados a asilos e surtos”, disse Andrews, também anunciando um aumento de 73 novas infecções em Victoria, o segundo estado mais populoso do país.

Victoria é responsável por 565 das mais de 650 mortes registradas na Austrália, país com mais de 25,7 mil infecções confirmadas desde o início da pandemia.

Plano de desconfinamento

Andrews também indicou que anunciará no próximo dia 6 de setembro um roteiro para o desconfinamento de Victoria, já que as autoridades ainda precisam coletar dados por mais uma semana “para garantir que a estratégia continue funcionando”.

O anúncio tão esperado trará alívio para cerca de 5 milhões de moradores de Melbourne que estão confinados desde 9 de julho, após o surto de coronavírus detectado no final de junho, que empurrou os números de 2,2 mil infecções para mais de 19 mil atualmente registrados em Victoria.

Fonte: R7

Segundo Detran, número de acidentes e mortes no trânsito tem redução de 4% em RO

Registros são comparados aos anos anteriores 2019 e 2018.

O índice de mortes causadas por acidentes de trânsito em Rondônia houve uma redução de 4,06% em 2019, se comparado aos dados de 2018, que registrou 394 óbitos contra 378 em 2019. Os dados são da Diretoria Técnica de Fiscalização (DFT) e da Coordenadoria de Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest), do Departamento Estadual de Trânsito de Rondônia (Detran). Entretanto, os motociclistas são as maiores vitimas com mais de 250% dos óbitos se relacionado ao número de mortes envolvendo condutores de carro, ciclistas e pedestres.

O diretor-geral do Detran, coronel Neil Aldrin Faria Gonzaga, explica que o trabalho de compilação dos dados estatísticos foram concluídos no dia 21 de agosto e já estão disponíveis na página do Detran https://www.detran.ro.gov.br/category/estatisticas/

Gonzaga esclarece, que das 378 mortes causadas por acidentes de trânsito no Estado, 189 são condutores de motocicletas, o que representa 50% dos óbitos ocorridos no trânsito em Rondônia. Outro dado importante é que das 378 mortes, 156 ocorreram em acidentes nas rodovias federais no Estado.

Trânsito de Porto Velho

Das 378 pessoas que perderam a vida em 2019, 304 são homens e 75 mulheres; 202 vítimas tinham idade entre 30 e 59 anos; 83 jovens com idade entre 18 e 29 anos perderam a vida no trânsito; 66 pessoas com idade acima de 60 anos; 11 vítimas com idade entre 11 e 17 anos e 10 crianças entre zero e nove anos.

O número total de acidentes também registrou uma queda de 14.176 em 2018 para 13.702 em 2019 em todo o Estado de Rondônia, sendo que dos 13.702 acidentes ocorridos no ano passado, 9.848 teve o envolvendo de motocicleta, o que representa 63,77% dos casos de acidentes.

EVOLUÇÃO DA FROTA E REDUÇÃO DE ACIDENTES

Em 2019 o Estado de Rondônia registrou uma frota de 1.015.598 veículos, sendo que 528.262 são motocicletas, o que representa 52,01% da frota. Em 2018 a frota era de 970.499 automóveis e o percentual de motocicleta era de 52,62%. A população do Estado passou de 1.757.589 em 2018 para 1.777.225 em 2019.

ÍNDICE DE MORTE NO TRÂNSITO É MENOR EM RO QUE O NACIONAL

O índice de mortos no trânsito por grupo de habitantes no Brasil, conforme prevê a meta do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), criado pela Lei n. 13.614/18  é de 4,52 % e o índice do Estado de Rondônia é de 3,72%, bem abaixo do índice nacional, resultado do trabalho educativo e repressivo que o Detran juntamente com outros órgãos ligados ao setor promovem no Estado.

Fonte: Detran-RO