PF prende secretário de transportes de SP em operação da Saúde

São cumpridos 6 mandados de prisão e 11 mandados de buscas em SP, RJ, DF e GO. Grupo é suspeito de fazer conluio em contratações dirigidas

Secretário de Transportes de SP foi preso hoje em casa em São Paulo pela PF
Secretário de Transportes de SP foi preso hoje em casa em São Paulo pela PF

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (6), a operação Dardanários para desarticular um esquema que envolvia empresários e agentes públicos com a finalidade de realizar contratações dirigidas, especialmente na área da saúde. Entre os presos está o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

A força tarefa da Lava Jato iniciou esta ação para barrar desvios na saúde no Rio de Janeiro e em São Paulo, envolvendo órgãos federais.

Apreensão de R$ 50 mil no DF

Apreensão de R$ 50 mil no DF
Apreensão de R$ 50 mil no DF

O juiz federal Marcelo Bretas expediu seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão nas cidades de Petrópolis (RJ), São Paulo e São José do Rio Preto (SP), Goiânia (GO) e Brasília (DF). Os mandados judicias foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

O secretário do governo Doria foi preso em casa, nos Jardins, área nobre da capital paulista. A PF também está em um imóvel ligado a Alexandre Baldy em Brasília. No local, foram apreendidos R$ 50 mil em dinheiro. 

No Rio, as equipes saíram da Superintendência da PF, na Praça Mauá, no fim da madrugada.

Veja também: CGE divulga calendário do programa de controle e fiscalização no combate ao covid

A ação é um desdobramento das investigações realizadas no âmbito das operações Fatura Exposta, Calicute e SOS, deflagradas pela Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros da PF no Rio de Janeiro, em conjunto com o Ministério Público Federal.

Os presos vão responder pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa e serão encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da justiça.

O nome da operação faz referência aos agentes de “negócios”, atravessadores que intermediavam as contratações dirigidas.

Fonte: R7