Operação Emergência flagra várias festas clandestinas em residências na Zona Leste

O atual decreto prevê a restrição na circulação de pessoas entre 21h e 6h.

Festas clandestinas em residências de Porto Velho foram flagradas no sábado (27), durante Operação Emergência, realizada para fiscalizar o cumprimento do decreto com medidas para prevenir o contágio pela Covid-19.

No Skate Park, localizado na Avenida Vieira Caúla com Guaporé, os agentes de fiscalização encontraram mais de 100 pessoas caminhando na pista após o horário permitido. Elas foram orientadas a voltar para casa. O atual decreto prevê a restrição na circulação de pessoas entre 21h e 6h.

De acordo com o governo, várias festas clandestinas foram flagradas e encerradas em residências. Na Zona Leste da capital pessoas consumiam bebidas alcoólicas na calçada e ouviam som alto.

Bares, que não têm permissão para consumo de bebidas alcoólicas no local, também foram visitados pelas equipes e tiveram que encerrar as atividades após orientação aos responsáveis.

Veja o balanço da 6ª noite da Operação Emergência:

  • 78 estabelecimentos visitados;
  • 56 sem funcionamento;
  • 2 notificados;
  • 5 vistoria regular;
  • 2 em condições;
  • 0 desativados;
  • 1 Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) lavrados;
  • 0 interdições;
  • 7 orientações;
  • 5 aglomerações;
  • 2 autuações

Fonte: Sedesc

Mais desrespeito são flagrados na 4ª noite da “Operação Emergência” em Porto Velho

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança, diz que maior o problema continua sendo nos finais de semana.

A Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), sob a coordenação do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), iniciou na noite desta terça-feira (23) a 4ª a “Operação Emergência” que tem como objetivo verificar o cumprimento do que determina o decreto, que institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia do coronavírus. A ação contínua, começa a surtir efeitos positivos durante a semana, com baixo índice de reincidência.

De acordo com o coronel BM Gilvander Gregório de Lima, diz que grande parte dos comerciantes estão começando a tomar consciência da importância de atender as normas estabelecidas em decreto.

“O nosso maior problema continua sendo nos finais de semana e locais destinados a prática de esportes como o Skate Park e Espaço Alternativo, onde a reincidência é altíssima”, esclareceu o comandante do Corpo de Bombeiros, diz coronel Gregório de Lima.

Os estabelecimentos têm cumprido o ato normativo observando o horário de fechamento diariamente às 21 horas. Para isso, os fiscais constataram que esses estabelecimentos fecham as portas às 20h30 para que o atendimento ao público seja encerrado no horário determinado pelo decreto. Em alguns a entrada é limitada a uma pessoa por família no intuito de evitar aglomeração.

Em relação aos bares, os proprietários insistem em tentar burlar a lei. As equipes de fiscalização encontraram a maioria dos estabelecimentos fechados nesta etapa da “Operação Emergência”. Dos 69 locais visitados, 55 estavam totalmente fechados, o que corresponde a quase 92%.

Pub subterrâneo, flagrado no mês passado com festa particular, agora aguarda o fim da pandemia para inaugurar

Em uma das ações equipes flagraram no mês passado, um bar subterrâneo localizado no bairro Flodoaldo Pontes Pinto, onde mesmo estando em obras, um grupo de pessoas estavam em uma festa particular. O proprietário, ainda afirmou para a equipe de fiscalização que aguarda o fim da pandemia para inaugurar o local.

“Temos a consciência de que é um ambiente fechado e qualquer aglomeração aqui, durante a pandemia, pode colocar em risco a saúde dos clientes”, enfatizou o empresário.

A gente sabe que ainda existem locais que tentam enganar a fiscalização, fechando as portas pouco antes das equipes chegarem. Mas nesses casos temos atuado com equipes de inteligência do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, atendendo denúncias feitas pela população, para conseguir fechar esses locais que desrespeitam a lei. No início de março 30% das denúncias eram falsas, mas agora esse índice caiu bastante devido a eficiência da fiscalização”, ressaltou o comandante do Corpo de Bombeiros.

Fonte: Sedesc

Nova operação segue fiscalizando pontos da capital; 61intervenções foram cumpridas em Porto Velho

No Espaço Alternativo, cerca de nove jovens entre 25 e 30 anos foram denunciados por meio da Central Integrada.

A Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), iniciou na noite desta terça-feira (16), “Operação Emergência” em Porto Velho. Visando atender as estratégias descritas no Decreto. A nova operação tem o objetivo de dar continuidade as ações no combate ao coronavírus.

De acordo com dados do relatório da primeira noite da “Operação Emergência”, 61 intervenções foram realizadas, por meio das equipes empenhadas em dispersar possíveis aglomerações na capital. Sendo assim, 57 estabelecimentos visitados, e 48 estavam sem funcionamento.

Um estabelecimento na zona Leste, já muito conhecido pelos agentes, recebeu mais uma vez um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), por desobediência ao decreto. O bar funcionava normalmente, com diversos clientes que se divertiam jogando sinuca e sem máscaras de proteção facial. Um homem chegou a passar mal devido a baixa glicose no organismo e desmaiou ao ser interrogado pelos agentes de fiscalização, sendo  atendido pela equipe médica da ambulância da Polícia Rodoviária Federal e foi encaminhado à unidade de saúde.

No Skate Park não houve novidades para os agentes de fiscalização, o local é considerado ponto de encontro de jovens que insistem em aglomerar e desprotegidos de máscaras aproveitaram a noite de terça-feira (16)  para se divertirem na pista de skate, colocando em risco suas vidas e também de amigos e familiares. Mas o tumulto aconteceu até a chegada da patrulha que dispersou as dezenas de pessoas ali contidas.

O destaque da noite foi a denúncia anônima recebida pela Central Integrada da PM e Bombeiros, onde uma das equipes se deslocou para atender ao chamado relatando que cerca de nove jovens entre 25 e 30 anos estavam em desacordo com a lei, no Espaço Alternativo de Porto Velho. “Encontramos várias pessoas aglomeradas tomando tereré, conversando aqui. Não tinha nada demais, só que nem a trabalho eles estavam aqui ou seja, não estavam fazendo nada! Mas este não é o momento para se aglomerar, até porque nós temos um decreto e tem que ser respeitado, o horário não é mais permitido, portanto está extrapolado”, explicou o fiscal de postura do município, Moisés Cruz.

A novidade na “Operação Emergência”, é que as denúncias relatadas por meio dos Centros de Operações Integrados da Polícia Militar e Bombeiros, por intermédio dos números 190, 193 e 197, terão prioridade.

Fonte: Sesdec

%d blogueiros gostam disto: