Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Estado desativa Hospital de campanha no bairro zona leste de Porto Velho

No total, a unidade permaneceu ativada por 72 dias e contou com o apoio de 190 profissionais para combater o coronavírus no estado.

O Governo de Rondônia anunciou nesta quarta-feira (14) a desativação do Hospital de Campanha para enfrentamento do novo coronavírus na Zona Leste de Porto Velho. No total, a unidade permaneceu ativada por 72 dias e contou com auxílio de 190 profissionais.

Em entrevista coletiva, o secretário Estadual de Saúde (Sesau), Fernando Máximo, informou que ao menos 100 pacientes foram curados no hospital. Ainda conforme o chefe da pasta, Rondônia tem 2% de taxa de letalidade.

Porém, por precaução, a estrutura do hospital continuará preparada. Caso não haja mais aumento no número de casos da Covid-19, por exemplo, o prédio voltará a atender como Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero).

O hospital está equipado com 30 respiradores, monitores multiparâmetros, bombas de infusão, raio-X digital, ultrassonografia portátil, laboratório, gasometria arterial e outros equipamentos necessários, segundo o Estado.

Fonte: G1/RO

CBM de Rondônia recebe reforço na UTI aérea

Diversos equipamentos foram entregues para atender situações complexas de saúde. Inclusive quatro UTI’s .

A entrega de equipamentos para a Unidade de Terapia Intensiva  (UTI) aérea ao Governo de Rondônia, aconteceu na manhã de ontem, quarta-feira (12). Os recursos no valor de R$ 621.033,00 (seiscentos e vinte um mil e trinta e três reais), é fruto da parceria entre a Vara de Execução das Penas e Medidas Alternativas (Vepema) e Corpo de Bombeiros Militar (CBMRO).

A população de Rondônia recebe a primeira UTI Aérea totalmente homologada e apta a atender as situações mais complexas de saúde da sociedade rondoniense. O montante é oriundo de penas de prestação pecuniária de infratores, cometidas através da Vepema.

A UTI Aérea passa a ser equipada através dos recursos com dois leitos adultos e dois leitos infantis, podendo transportar ao mesmo tempo, tanto dois pacientes adultos, como dois infantis, ou ainda na configuração de um adulto e um infantil. Foram adquiridos ainda “kit de transporte aéreo para pacientes com a Covid-19”.

Para Hélio Gomes Ferreira, secretário adjunto da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), o evento é sinônimo de felicidade. “Isso representa uma vitória muito grande, aqui trago as palavras de agradecimento do governador Marcos Rocha, do presidente do Tribunal de Justiça, que com convênio viabilizou termos o melhor avião do Corpo de Bombeiros do país, que permite transportar passageiros tanto em UTI normal, como UTI de Covid-19, e ainda tem as UTIs Neo Natais. Estamos alegres, porque vidas serão salvas, com custo muito menor do que se fôssemos contar com um avião locado, com esses aparelhos e pessoas que nunca teriam condições de pagar por isso”, destacou.

O transporte aéreo em Rondônia é um serviço essencial e a Corporação executa as ações que visam a proteção da vida de todos os cidadãos de Estado de Rondônia.

Fonte: Corpo de Bombeiros Militar


Unidade do Cemetron para pacientes com covid-19 é inaugurada em RO

De acordo com as informações do governo, as contratações dos profissionais de saúde, será por chamamento emergencial. Ainda não há previsão para o início dos atendimentos.

A ala de enfermaria possui 58 leitos clínicos, sendo dois para casos suspeitos

A Nova ala para tratamento exclusivo de Covid-19 foi inaugurada nesta segunda-feira (27), no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), em Porto Velho. O espaço está localizado na avenida Guaporé, 215.

O espaço conta com 58 novos leitos, sendo 56 de enfermaria e dois de isolamento com suporte para ventilação mecânica. A ampliação na estrutura hospitalar foi finalizada em 35 dias e financiada por uma empresa privada.

Ainda não há previsão para o início dos atendimentos pois, segundo o Governo de Rondônia, é necessária a contratação emergencial de profissionais da saúde.

Durante coletiva à imprensa nesta manhã, o governador de Rondônia Coronel Marcos Rocha, afirmou que a ampliação da ala foi uma alternativa mais viável do que construir um hospital de campanha provisório.

Governador Marcos Rocha na inauguração da Nova ala do Cemetron

“Um produto feito com lona, madeirite não seria uma estrutura que ficaria para a História. Aqui são mais de 50 leitos que serão utilizados para a nossa população ter um atendimento melhor”, disse o governador, ressaltando que depois da pandemia a unidade atenderá outras demandas da saúde no estado.

A obra foi entregue quando o total de casos confirmados do novo coronavírus em Rondônia subiu para 35.810, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). O estado registra 814 mortes por causa da Covid-19.

“Lembrem o tempo inteiro de usar a máscara, de lavar as mãos do distanciamento. A gente vai ter que conviver assim por algum tempo até termos a vacina. Tive a perda de amigos próximos, amigos que eu amava e quantas outras pessoas também tiveram perdas? Inclusive de familiares. Vamos nos dedicar juntos, pois sozinhos não conseguimos fazer nada”, comentou o governador Marcos Rocha, durante coletiva.

Fonte: Secom

Rondônia terá mais 56 leitos para pacientes com Covid-19 em RO

Estrutura será entregue pronta para o Estado, podendo ser utilizada pós-pandemia

O anexo hospitalar montado pela indústria de alimentos JBS ao lado do Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), por meio do programa Fazer o Bem Faz Bem – Alimentando o Mundo com Solidariedade, está quase pronto, e será entregue ao Governo de Rondônia no próximo dia 24 de julho, segundo o cronograma da empresa.

O secretário adjunto da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), juntamente com a assessoria técnica, esteve visitando o local, que em breve atenderá pacientes acometidos pela Covid-19.

Saúde - Governo de Rondônia contará com mais 56 leitos clínicos ...
Equipe Técnica vistoriando a construção do anexo

“Nosso objetivo maior hoje é salvar vidas. Rondônia é um Estado que já vinha se preparando para esse enfrentamento, mesmo com muitas dificuldades e tentando em todos os aspectos fazer com que tenhamos menos casos e principalmente menos óbitos, menos taxas de ocupação de leitos, tantos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), como clínicos”, disse Nélio Santos.

A ala térrea conta com 56 leitos clínicos e com dois quartos para isolamento, dando acesso direto ao Cemetron. A obra está sendo executada por uma empresa contratada pela indústria de alimentos JBS, através do programa “Fazer o Bem Faz Bem”. Nesse primeiro momento, a estrutura modular está sendo montada para receber pacientes clínicos acometidos pela Covid-19.

De acordo com o engenheiro Murilo Blanco Melo, a empresa irá entregar a estrutura pronta para o Estado, podendo ser utilizada pós-pandemia.

Fonte: Sesau

Cero vai ampliar a oferta de leitos de UTI para pacientes com Covid-19

Com o aumento de casos de coronavírus no estado, a clínica de reabilitação se transformará em um hospital de retaguarda.

O Centro de Reabilitação de Rondônia (Cero), na zona Leste de Porto Velho, durante anos funcionava com o foco na reabilitação de pacientes, sendo considerado referência em tratamentos de fisioterapia ortopédica adulto, fisioterapia neurológica adulto e infantil, terapia ocupacional e fonoaudiologia a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), nunca tendo sido utilizado para internação. Com a ocorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, houve a necessidade de transformar a unidade em hospital de retaguarda para pacientes em tratamento da Covid-19.

De acordo com o cronograma, foram feitas reformas com recursos provenientes tanto de doações de empresários quanto do governo do Estado, para que pudesse ser reformulado com leitos clínicos para a população, fato amplamente divulgado na imprensa, inclusive oficial e em todas as redes sociais.

LEITOS CLÍNICOS SÃO DIFERENTES DE UTI 

Como a necessidade inicial de leitos clínicos (de internação) mudou para demanda de leitos de UTI, foi necessária uma readequação no planejamento com a transformação do Cero em leitos de UTIs para atender a demanda de pacientes, sendo imprescindível instalação de uma nova rede de gases e realocação/aquisição de vários equipamentos necessários.

Sendo assim, visando a liberação imediata de mais UTIs para a população, foi dada prioridade ao Hospital de Campanha (Regina Pacis), tendo em vista que este já estava com estrutura completa como usina de gases, gerador de energia, aparelho de raio-x, laboratório, equipamentos, tais como respiradores mecânicos e monitores multiparamétricos, dentre outros, os quais ainda não estão disponíveis no Cero.

Tanto o Cero quanto o Hospital de Campanha estão no planejamento da Sesau para tratamento da Covid-19. A existência de um não exclui a do outro, até porque os dois são fundamentais na proposta de ampliação dos leitos no estado. O Centro de Reabilitação era voltado para leitos clínicos, necessitando de adaptação para leitos de UTI. O Hospital de Campanha já estava pronto para funcionamento de leitos de UTI e com disponibilidade de leitos clínicos, também.

MEDICAMENTOS

Com relação aos medicamentos como hidroxicloroquina e azitromicina, esses foram adquiridos pelo Estado para tratamento dos pacientes internados, e não estão em falta nas unidades de saúde do Estado. Nas unidades básicas de saúde, cabe aos municípios a aquisição dos mesmo.

AMPLIAÇÃO DE LEITOS

Já foram criados no Estado 340 leitos clínicos e 136 de UTI exclusivos para pacientes com Covid-19, os quais serão ampliados nos próximos dias, de acordo com o cronograma, com a chegada dos equipamentos adquiridos e com a apresentação de novos médicos, esses últimos constantemente chamados em processos seletivos públicos.

O Governo de Rondônia reafirma o compromisso com a transparência nos gastos (www.transparencia.ro.gov.br) e nos dados, especialmente nos relacionados ao enfrentamento da Covid-19, o que lhe garante o primeiro lugar em transparência de dados no Brasil (https://transparenciacovid19.ok.org.br).

Fonte: Sesau

MP e TCE iniciam fiscalização conjunta em “call center” da Prefeitura

A fiscalização é para apuração e esclarecimento sobre formas de conduta e como estão procedendo no atendimento a pacientes com covid-19.

Será iniciada ainda nesta semana uma fiscalização conjunta a ser efetivada pelo Ministério Público Estadual (MP-RO) e pelo Tribunal de Contas de Rondônia (TCE-RO) em relação ao atendimento especial do “Call Center” disponibilizado pela Prefeitura de Porto Velho para pacientes com suspeita de Covid-19. Durante a operação, servidores dos dois órgãos verificarão, especialmente, o atendimento eletrônico (teleconsulta), que é feito por equipes médicas de plantão 24 horas visando atender à população, tirar dúvidas e esclarecer sobre formas de conduta que cada pessoa deve ter no que se refere à doença.


Fonte: (DCI/MPRO)