Especialistas garantem que Bolsonaro e Guedes salvaram a economia do país

Só em abril a indústria automobilística cresceu 8%, segundo dados do ministério da economia

A retomada definitiva do crescimento da economia brasileira ainda durante a pandemia, como se viu nesse primeiro trimestre de 2021, na alta de 1,2% no PIB (Produto Interno Bruto), teve como principal ator o próprio governo federal segundo especialistas ouvidos em reportagem da Revista Oeste.

Entre as ações rápidas e precisas, apontadas pelo diretor executivo da Federação das Indústrias de São Paulo, André Rebelo, as flexibilizações de regras trabalhistas, como “a suspensão de contratos, com redução de salários e jornadas” e ainda a ajuda financeira, por meio de verbas públicas para a complementação de salários, teria dado o fôlego suficiente para que as empresas sobrevivessem e demitissem menos do que o esperado, após sofrer com as políticas do fique em casa, determinadas por prefeitos e governadores.

Rebelo disse ainda que o atraso no recolhimento de impostos das empresas, a oferta de linhas de crédito para capital de giro, a juros baixos, e injeção de cerca R$ 300 bilhões em auxílio emergencial, permitiu que o dinheiro permanecesse em circulação, garantindo o consumo e, por consequência, o funcionamento das linhas de produção.

Ainda segundo os especialistas ouvidos pela Oeste, entre eles, Marcelo Azevedo, gerente de análise econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o crescimento será visto com mais força em determinados setores, como de veículos automotores, afetado principalmente pela falta de insumos para a produção de peças. Só em abril a indústria automobilística cresceu 8%, segundo dados do ministério da economia, o que deve se repetir quando do anúncio dos números referentes a maio.

A retomada do crescimento em “V”, preconizada pelo ministro da economia Paulo Guedes, em meados de 2020, em pleno auge da pandemia do vírus chinês, se confirma, e mostra a sintonia perfeita entre o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe de primeiro escalão.

Vale destacar que, na via das boas notícias, a agência americana de classificação de crédito, Fitch Ratings, acaba de elevar a previsão de alta do PIB brasileiro em 2021, de 3,3% para 5%.

E a esquerda pira!

Fonte: JCO

“Fizeram tanto esquema de corrupção que nós herdamos um país quebrado”, afirma Salles

O ministro aproveitou o momento e desmentiu a narrativa de que o Governo Federal diminuiu recursos para o Meio Ambiente.

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, uma das pessoas mais atacadas do Governo Bolsonaro, foi o entrevistado, desta sexta-feira (21), no programa “Agora com Lacombe”, da Rede TV!, e fez revelações bombásticas sobre o estado como estava o Ministério quando ele assumiu.

“Recebemos uma parte de agenda ambiental urbana, totalmente, abandonada. O que fizeram os ministros de Meio Ambiente (anteriores) e esses ambientalistas que ‘jogam pedra’ no Governo Bolsonaro? O que eles fizeram pro saneamento no Brasil? Nada! O que eles fizeram pra resolver o problema do lixo, resíduos sólidos? Nada!”, disparou.

“Nós recebemos um país com 100 milhões de pessoas sem coleta e tratamento de esgoto, 35 milhões que, sequer, tem água potável. Recebemos um país com mais de 3 mil municípios com ‘lixões’, um caos na gestão do lixo…”, destacou.

O ministro aproveitou o momento e desmentiu a narrativa de que o Governo Federal diminuiu recursos para o Meio Ambiente.

“Mentira! A grande queda do orçamento do Ibama se deu entre os anos de 2014 e 2015. O orçamento do Ibama em 2013, 2014 estava próximo de R$ 14, R$ 13 bilhões e caiu pra R$ 4 bilhões, em 2015. Reduziu, praticamente, R$ 8 bilhões”, explicou.

E completou:

“Estamos sendo obrigados a corrigir a economia porque eles roubaram, aparelharam, destruíram os fundos de pensão. Aparelharam as estatais, fizeram tanto esquema de corrupção que nós herdamos um país ‘quebrado’. Então, eu recebo os órgãos ambientais sem pessoal, com déficit de 50%, orçamento de um terço do que foi em 2015 e uma incapacidade de gerar riquezas no país em razão da corrupção e da ineficiência , do aparelhamento que nós herdamos”, concluiu.

Confira o vídeo:

Fonte: JCO

O Brasil não é um país sério! Ou falta seriedade nos governantes?

Que país é esse que junta milhões de pessoas numa marcha gay

Há mais de 50 anos, Carlos Alves de Souza, embaixador do Brasil na França, na época, disse a seguinte frase: O Brasil não é um país sério”. A expressão atribuída ao diplomata brasileiro, sinalizava o grau de seriedade dos políticos Brasileiros.

Certamente, sua avaliação, não veio de uma bola de cristal, mas, seguramente, pautada na seriedade dos governantes de plantão – aqueles os quais nunca deveríamos entregar a chave da cidade -, e sim, trocar a fechadura. Já se passaram quase 60 anos e praticamente, nada mudou. Muito pelo contrário, parece que muitas coisas se agravaram. Infelizmente, diante dos últimos acontecimentos, não há como avaliar diferente – em alguns momentos, parece que está tudo de ponta-cabeça.

Quando ouvimos frases como essa, nos questionamos, o Brasil tem um potencial extraordinário, contudo, não é considerado um país de primeiro mundo, mesmo com um potencial incrível em produzir alimentos. Certamente, é considerado um dos maiores produtores agrícola do mundo. Mais que país é esse?

Essa pergunta me fez lembra da canção “Que país é esse?”, de Renato Russo, cantada pela banda Legião Urbana. Isso mesmo! A letra tem como refrão a pergunta “que país é esse?”.

Este artigo, no entanto, não é sobre a canção. É sobre o país. Se, há quase 40 anos, um compositor já dizia que havia “sujeira pra todo lado”, quer dizer que a insatisfação com o país, como se vê, não é de hoje.

Através da Lava-Jato foi descoberto o maior escândalo de corrupção já visto na história desse país. Só pra limitar um pouco, vamos ficar nos principais casos que chegaram à figura do Presidente da República.

Durante o governo de Fernando Collor de Mello, em uma entrevista à revista Veja, seu irmão denunciou um escândalo que só não terminou com impeachment porque ele renunciou durante a votação na Câmara, porém, mesmo assim o processo foi conduzido até o fim.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, teve mais de um pedido de impeachment. Mas ele tinha uma boa base no Congresso Nacional e nunca houve uma votação como a que desalojou Dilma Rousseff, do Planalto.

No governo do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, houve o famoso caso do Mensalão, que não chegou a derrubar o presidente, mas, nos proporcionou várias sessões no STF ao vivo e a cores. Com os mesmos figurantes que agora anulou todas as condenações do ex-condenado.

Afinal: que país é esse que tem um potencial incrível mais não é uma potência? Tem um povo pacifico mas ao mesmo tempo é violento? Todo mundo defende, mais não é considerado um país sério? Tem muitas riquezas, mas é considerado um país pobre?

“Que país é esse que junta milhões de pessoas numa marcha gay, centenas de milhares numa marcha a favor da liberação da maconha? Mas não se mobilizam contra a corrupção e os desmandos dos governantes (…)

Que país é esse que um motorista do senado que ganha mais do que um oficial da Marinha que pilota uma fragata?

Que país é esse que um ascensorista da Câmara Federal que serve os elevadores da casa, ganha mais do que um oficial da Força Aérea que pilota um Mirage?

Que país é esse que um diretor que é responsável pela garagem do senado ganha mais que um General do Exército que comanda uma Região Militar?

Que país é esse que um diretor sem diretoria no senado, cujo título é só para justificar o salário, ganha o dobro do que ganha um professor universitário federal, concursado, com mestrado e doutorado?

Que país é esse que um assessor de 3º nível de um deputado, que também tem esse título para justificar seus ganhos, mas que não passa de um “aspone” ou um mero “estafeta” de correspondência, ganha mais do que um cientista-pesquisador da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, com vários anos de formação e que dedica o seu tempo buscando curas e vacinas para salvar vidas?

Que país é esse que o Sistema Único de Saúde paga para um médico, por uma cirurgia cardíaca com abertura de peito, a importância de R$ 70,00 – bem menos que uma diarista cobra para fazer uma faxina num apartamento de dois quartos?

Que país é esse que o Presidente da República faz a indicação dos membros do STF, mas milhões de brasileiros através de requerimento de abaixo-assinado exige a saída do ministro através do processo de impeachment, mas, não consegue?

Que justiça é essa que para uns age de um jeito, para outros, age de maneira diferente? Nem todos os cidadãos são tratados da mesma maneira pela Suprema Corte. Para uns, os “rigores da Lei, para outros, os favores da Lei…”

Sinceramente, não entendo! Mas, se me explicarem, certamente entenderei…

Precisamos urgentemente de um choque de moralidade nos três poderes da república, estados e municípios.

Os resultados não justificam o atual número de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores.

Já mais chegaremos a ser um país sério, sem que haja responsabilidade social e honestidade com os gastos públicos.

Será que perdemos a capacidade de nos indignarmos?

Acredito que não. Não podemos aceitar que as coisas continuem como se tivesse que ser assim mesmo, ou simplesmente, não estivesse mais jeito. Tem jeito sim! É só acreditar…

Se nada for feito, se não levantarmos a nossa bandeira contra essa forma equivocada de governar estaremos fadados ao fracasso bolivariano. Contudo, se cada um fizer a sua parte, as coisas podem mudar. Eu estou fazendo a minha! E você, está fazendo a sua?

Em tom de ameaça, Lula promete “desarmar” o país se o PT voltar ao poder (veja o vídeo)

.

O molusco, está, realmente, revelando sua real intenção

O condenado em 2ª instância por corrupção e lavagem de dinheiro e ex-presidiário, Luiz Inácio Lula da Silva, está, finalmente, revelando suas reais intenções.

Em tom ameaçador, o petista prometeu “desarmar” o país, caso o PT volte ao poder.

“Nós aprovamos o Estatuto do Desarmamento. Veja a diferença entre eu e o Bolsonaro. Ele não quer dar arma pro favelado nem pro trabalhador, ele quer dar arma pros milicianos, pros fazendeiros”, afirmou Lula.

E prosseguiu:

“Ele quer dar arma pras pessoas atirarem em sem terras, em quilombolas, pra matarem Marielle. Podem saber, se o PT voltar no governo, a gente vai fazer com que as pessoas devolvam essas armas. Vamos desarmar esse país. Quem tem que ter armas são as Forças Armadas e as Polícias Militares.”

Assista:

Lula, assim como o seu partido, está seguindo à risca os moldes que formam ditadores…

Um povo desarmado estará à mercê do socialismo que reina em países como Venezuela e Cuba.

Esse sujeito é capaz de tudo para chegar ao poder.

Entretanto, sua insanidade junto com as mentiras não tem fim! Em antigo vídeo que circula na web, veja a contradição do petista:

Lula deveria estar em seu devido Lugar… Atrás das grades!

Fonte: JCO

Vale do Jamari é o terceiro maior produtor de peixe do país

Segundo levantamento feito pela revista, o maior produtor de peixe do Brasil é a cidade de Nova Aurora (PR)

Ariquemes, RO – A revista Seafood Brasil, de circulação nacional e referência em conteúdo sobre a piscicultura, divulgou reportagem em sua edição de dezembro, com os municípios com a maior produção de peixe no Brasil. A cidade de Ariquemes possui lugar de destaque, ocupando a terceira colocação.

Segundo levantamento feito pela revista, o maior produtor de peixe do Brasil é a cidade de Nova Aurora (PR), seguido por Morada Nova de Minas (MG), Ariquemes (RO), Toledo (PR) e Aparecida do Taboado (MS) – o município de Ariquemes possui um diferencial, pois é o único que produz exclusivamente peixes nativos, sendo que o Tambaqui é o carro-chefe da cidade rondoniense, enquanto as demais cidades cultivam também peixes exóticos, como a Tilápia.

IBGE x PEIXE BR

A revista também destaca a diferença das metodologias usadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Associação Brasileira de Piscicultura (PeixeBR).

Por exemplo, no ano de 2019, o IBGE apontou uma produção em Rondônia de 48,7 mil toneladas de peixe por ano. Já a Peixe BR estima que o Estado produziu cerca de 68,8 mil toneladas.

Para o presidente da Associação de Criadores de Peixes de Rondônia (ACRIPAR), Francisco Hidalgo Farina, a produção anual de Rondônia deve passar de 90 mil toneladas, levando em consideração a quantidade de alevinos e de ração colocados no mercado no período correspondente a safra do ano de 2019.

GEORREFERENCIAMENTO

Devido às imprecisões nos dados sobre a produção aquícola de Rondônia, a ACRIPAR desenvolveu uma parceria com a Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a empresa Bússola Farm para a realização do georreferenciamento das propriedades produtoras de peixe em Rondônia, com informações sobre produtividade e área utilizada para a produção de peixe.

“Rondônia já é destaque nacional na produção de peixe. Queremos agora certificar e georreferenciar a nossa produção, para garantir segurança ao mercado, principalmente no aspecto da industrialização do peixe produzido no nosso Estado”, afirma Farina.

A Bússula Farm vai iniciar a coleta de informações e entrevistas com os piscicultores de Rondônia pelas cidades de Ariquemes e Machadinho D’Oeste. A previsão é de que em junho o trabalho seja concluído e a ACRIPAR e outros parceiros sejam detentores do mapeamento do peixe de Rondônia (MAPEIXE).

Fonte: Luiz Martins

Polícia Civil prende dois dos maiores distribuidores de LSD do país

Os dois homens foram presos imediatamente 

Nesta quarta-feira (13), a Polícia Civil do Distrito Federal efetuou a prisão de três homens, cujos nomes ainda não foram divulgados, pelo crime de tráfico interestadual de drogas e associação criminosa.

O grupo, que utilizava a internet para a comercialização e os correios para a distribuição da droga, era considerado o maior produtor e distribuidor de LSD no Brasil.

Policiais da Coordenação vinham monitorando os suspeitos, quando um doa membros foi filmado saindo de sua residência no Guará carregando uma maleta até o Núcleo Bandeirante, onde a entregou para o colega responsável pelo envio dos entorpecentes, que despachou os envelopes contidos na maleta para os estados do Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás.

O envio foi interceptado e 2 mil ‘microsselos’ de LSD foram descobertos no interior dos envelopes. Os dois homens foram presos imediatamente, e o terceiro foi preso em flagrante em sua residência, onde foram localizados mais 50mil ‘microsselos’ , cristais de LSD e apetrechos para confecção e distribuição da droga.

Segundo a PC, cada ‘microsselo’ era vendido por até R$ 50, o que significada a retirada de cerca de R$ 2,5 milhões de lucro dos traficantes.

Fonte: JCO

Apreensão de drogas causa prejuízo de R$ 2,2 bi ao crime, diz Justiça

Ministério informou, nesta terça-feira (22), que foram feitas 5.682 prisões e apreensão de menores entre janeiro a 15 de dezembro de 2020

O Ministério da Justiça informou, nesta terça-feira (22), que a apreensão de drogas neste ano causou prejuízo de R$ 2,2 bilhões ao crime organizado e evitou rombo de R$ 483 milhões aos cofres públicos.

De acordo com a pasta, foram apreendidos pelo programa Vigia de janeiro a 15 de dezembro de 2020: 101 mil maços de cigarro, mais de 760 toneladas de drogas, 3.766 veículos; 373 embarcações; 1.578 armas; 20.769 celulares; mais de 118 quilos de agrotóxicos; 10.380 pneus e 5.682 prisões e apreensão de menores.

A gestão de bens apreendidos de criminosos foi ampliada pelo ministério e resultou na realização de aproximadamente 120 leilões. O resultado, segundo a pasta, foi uma arrecadação recorde para o Fundo Nacional Antidrogas, com R$ 140 milhões. O recurso será destinado ao fortalecimento das polícias e para ações de enfrentamento à criminalidade e ao tráfico de entorpecentes.

Rede de Perfis Genéticos
RIBPG (Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos) recebeu mais de R$ 28 milhões para investimentos em laboratórios de DNA, além de quase R$ 98 milhões destinados ao fortalecimento das equipes de perícia em local de crime, por meio da compra de viaturas, maletas de local de crime e tablets.

Atualmente, o banco do MJSP possui mais de 91 mil perfis genéticos cadastrados, entre condenados, vestígios de locais de crimes, restos mortais, dentre outros. Desde que foi criada, a RIBPG já ajudou na resolução de mais de 1,4 mil crimes.

Fonte: R7

Eleições 2020 terão o maior número de candidatos militares dos últimos 16 anos

Aumento é de 12,5% do total de postulantes a cargos eletivos no comparativo com 2016; PSL, partido pelo qual Bolsonaro foi eleito, apresenta o maior número de registros.

A eleição de 2020 já é a disputa municipal com o maior número de candidatos policiais e militares dos últimos 16 anos. Em números absolutos, são 6,7 mil postulantes aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador em todo país, superior ao total registrado em 2012. O aumento dessas candidaturas também é de 12,5% em relação à eleição de 2016. Esses números, no entanto, podem ser ainda maiores, segundo especialistas, porque há casos de policiais ou militares que se autodeclaram apenas servidores públicos.

No levantamento na base do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foram considerados policiais militares, civis, bombeiros militares, integrantes das Forças Armadas e militares reformados. Entre essas categorias, a que apresenta a maior variação proporcional é a de integrantes das Forças Armadas, com aumento de 48% no comparativo com 2016. Mas em números absolutos essa categoria soma apenas 182 militares. Policiais militares, por outro lado, mantêm o maior número de candidatos de toda a série, chegando agora a 3,5 mil postulantes a um cargo político.

Quantos militares disputam cada cargo nas eleições municipais de 2020

O aumento das candidaturas de militares neste ano é levemente maior que o total das candidaturas, que teve um crescimento de cerca de 10% quando comparadas com as de 2016. A maior parte dos militares candidatos disputa uma vaga para as Câmaras municipais (5,9 mil). Outros 387 são postulantes ao cargo de prefeito.

A distribuição dos candidatos militares por partido mostra que o PSL, partido pelo qual o presidente Jair Bolsonaro foi eleito em 2018, apresenta o maior número de registros. São 649 candidatos. Logo depois aparecem Republicanos (433), PSD (422) e MDB (402).

Na avaliação do professor de ciência política da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Adriano Codato, o crescimento de candidaturas de militares costuma estar associada a crises na área da segurança, quando o tema ganha muita visibilidade e acaba estimulando a participação de agentes da segurança nas eleições. O aumento neste ano, no entanto, pode estar associado à eleição de Bolsonaro.

Número de candidatos militares, por partido, nas eleições municipais de 2020

“Como a crise de segurança pública já se tornou uma questão obrigatória da agenda política, como acesso à saúde, a questão da política de educação, e não houve um grande evento crítico, exceto as execuções aleatórias no Rio de Janeiro, a eleição de Bolsonaro em 2018, um candidato cuja carreira política esteve bastante identificada com os agentes de segurança, funcionando como um ‘super-sindicalista’ dessas categorias sociais de Estado, é razoável especular que sua presidência tenha trazido mais visibilidade a esses atores políticos e, assim, aberto uma janela de oportunidade a mais”, diz Codato, que é também coordenador do Observatório de Elites Políticas e Sociais do Brasil na UFPR.

A participação de mais candidatos militares altera o tipo de campanha. Segundo Codato, militares na política tendem a estimular discursos mais radicais de lei e ordem, mas ele destaca outro ponto relativo à atuação de políticos militares nas casas legislativas.

“A presença de forças repressivas do Estado nas campanhas eleitorais em geral traz mais radicalização para o discurso político, mas, também em termos gerais, é uma pregação aos radicais já convertidos ao radicalismo. O que um estudo recente aqui da UFPR mostra é que a atuação parlamentar dos policiais militares nas Assembleias Legislativas mostra baixa iniciativa e baixa capacidade de aprovação de temas ligados à segurança”, observa Codato.

Diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima considera negativa a eventual eleição de candidatos militares porque se cria mais confusão entre os papeis que eles terão que desempenhar. Ele defende o afastamento definitivo de servidores que desejam concorrer a cargos eletivos.

Segundo o diretor-presidente do Fórum de Segurança, o interesse dos militares pela política vem crescendo antes mesmo de 2018, e parte disso se deve ao que ele chama de uma “convergência ideológica”, que uniu interesse pela pauta da ordem e dos costumes, e não um interesse pela política de segurança em si.

“Vejo o movimento de crescimento dos policiais na política como um processo que teve início muito antes do que 2018, que foi apenas o ápice de um processo de convergência ideológica entre pautas policiais e a pauta bolsonarista. Os policiais são peças-chave para entender o bolsonarismo, que não é só um projeto da família Bolsonaro. É a tradução de uma retomada conservadora mais ampla no Brasil. O foco deles não é a segurança pública em si, mas o debate sobre ordem e costumes, onde a ideia de autoridade ganha relevo”, aponta Lima.

Fonte: G1

Gilmar, Maia e Guedes são atacados por reforma administrativa durante live

A live teve mais de 50 mil visualizações e chegou a receber 19 mil avaliações negativas, diante de apenas 603 positivas no YouTube.

Uma transmissão ao vivo promovida pelo centro de ensino de Direito IDP, na última semana, gerou uma onda de ataques de servidores ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes e ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Ao lado da senadora Kátia Abreu (PP-TO) e do ministro do TCU, Bruno Dantas, eles debateram sobre a reforma administrativa apresentada pelo governo ao Congresso.

A live teve mais de 50 mil visualizações e chegou a receber 19 mil avaliações negativas, diante de apenas 603 positivas no YouTube.

“Interessante esse novo formato de ‘debate’ onde só se tem um único lado, ninguém se contrapõe a ninguém e há apenas elogios. Cômico mesmo”, disse uma das espectadoras. “Não foi debate porque só teve opiniões a favor. Deveria se chamar ‘tentativa de convencimento’”, disse outra.

A proposta, conforme foi mostrada para todo o País, faz uma mudança ampla na regulamentação do serviço público e permite o fim da estabilidade para a quase totalidade das categorias. A maioria das novas regras só valem para os servidores que forem contratados após a vigência da legislação. As Forças Armadas, congressistas, juízes, procuradores e promotores não estão incluídos no texto.

“Isso não é reforma! Mantém privilégios para militares, juízes, parlamentares, promotores. Será o fim do serviço público, estabilidade é essencial para manter a impessoalidade no serviço”, protestou um dos espectadores.

“​Isso é uma vergonha! Se fosse tão boa essa reforma por quê deixar vocês de fora? Um absurdo!” e  “não à precarização dos serviços públicos”, foram alguns dos comentários recebidos durante a transmissão. 

Na sexta-feira (11), o Novo apresentou cinco emendas ao texto original do Executivo. O partido quer a extensão da vedação de privilégios aos membros de todos os poderes, como juízes, desembargadores e parlamentares, pois acredita não ser “justo que as posições que concentram as maiores distorções fiquem de fora”.

Outra pessoa que acompanhou o debate afirmou que o Brasil “não está preparado para retirar a estabilidade dos seus servidores, nem mesmo os das carreiras administrativas” e que isso criará uma “ingerência política sem precedentes”.

Um dos comentários recebidos durante a live classificou a reforma como “extremamente absurda”. “Abre as portas para o apadrinhamento político e aparelhamento do Estado”.

Debate

Gilmar Mendes, primeiro a falar durante a live, disse que as discussões sobre a reforma vêm em boa hora, pois “estamos tendo um repensar do trabalho e do emprego com a utilização de tecnologias” e que isso precisa ser levado em conta nesta reforma que é “a primeira que se faz de maneira avançada no século 20”.

Já Rodrigo Maia defendeu que a reforma é o melhor caminho, pois o país alcançou uma carga tributária muito alta e os serviços públicos chegam aos cidadãos com “pouca qualidade”. Com a reforma, defendeu, será possível modernizar o estado brasileiro, o serviço público e sua qualidade.

Em sua fala, a senadora Kátia Abreu defendeu que a “aversão” da população à política se dá por conta dos “péssimos serviços públicos”. “Quando digo incapacidade do serviço público é a incapacidade de produtividade, insisto em dizer para não dirigirmos a nossa energia negativa aos servidores públicos, eles não são culpados, isso é um sistema, que tirou todas as ferramentas para que este servidor tivesse um serviço de qualidade”.

Uma das sugestões dos espectadores foi que a reforma possa prever avaliação periódica de desempenho. “Ao invés de destruir o nosso país com uma PEC que só vai favorecer a corrupção e o apadrinhamento”, argumentou.

Na semana passada, a senadora disse em entrevista que considera “uma aberração” o trecho da reforma  que prevê extinção de órgãos públicos sem o aval do Congresso.

O conteúdo da reforma administrativa do governo federal prevê mais possibilidades para o desligamento do servidor. Hoje isso só pode acontecer se o funcionário tiver sentença judicial confirmada em terceira instância e por infração disciplinar.

Guedes, que vem sofrendo pressão do governo e chegou a entrar em rota de colisão com Maia na semana passada, falou sobre a taxa de reposição dos servidores e funções obsoletas. “Além de termos uma taxa de reposição muito baixa, estimamos que no equilíbrio ela vai ser de 60, 70%, mas nestes primeiros anos estamos botando a reposição cá embaixo, em 20%, porque houve período de excesso  de contratação. Agora pisamos no freio e depois vai se estabilizar”.

O ministro também lembrou que os novos servidores estão adentrando a carreira pública com salários menores e defendeu valores maiores para cargos mais altos. “Acho um absurdo os salários da alta administração brasileira, eu acho que são muito baixos.  Muita gente preocupada com teto, minha preocupação é ao contrário, para preservar pessoas de qualidade no serviço público, o Bruno Dantas, por exemplo, em qualquer banco privado vai ganhar dois, três milhões de dólares por ano fácil. Então é difícil convencer o Bruno a ficar no TCU, vai ser muito difícil. O Brasil seguindo o caminho da prosperidade vai ser difícil reter gente de qualidade. A não ser que o setor público também entre na lógica da meritocracia”, disse.

Fonte: Congresso em Foco

Agências do INSS volta na próxima segunda e apenas segurados agendados serão atendidos

Reabertura será gradual e considerará as especificidades de cada uma das Agências da Previdência Social no país.

As agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vão reabrir na próxima segunda-feira (14), mas o atendimento será exclusivo para quem fizer agendamento. Para marcar hora, o segurado deve acessar o site Meu INSS e aplicativo ou ligar no 135.

Segundo o INSS, estarão disponíveis para atendimento presencial os serviços de perícia médica, avaliação social, cumprimento de exigência, justificação administrativa e reabilitação profissional.

O instituto ressalta que os segurados sem agendamento não serão atendidos, para evitar aglomerações dentro e fora das agências, de acordo com orientações do Ministério da Saúde.

Em agosto, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e do INSS informaram a nova data de retorno ao atendimento presencial – 14 de setembro.

O atendimento exclusivo por meio de canais remotos segue até amanhã (11). E mesmo com a abertura das agências, o atendimento remoto continuará a ser oferecido.

Segundo o INSS, a reabertura será gradual e considerará as especificidades de cada uma das Agências da Previdência Social no país. Cada unidade deverá avaliar o perfil do quadro de servidores e contratados, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva.

Fonte: Valéria Aguiar A/B