Bolsonaro se irrita com apoiadora, brinca com impeachment e mira 22

Presidente ironiza mídia e diz não ver a hora de decidir o partido político para disputar as eleições para o Planalto do ano que vem

O presidente Jair Bolsonaro se irritou, nesta terça-feira (25), com a cobrança ríspida de uma apoiadora que estava no Palácio do Alvorada para saudá-lo e pedir a intervenção das Forças Armadas. O chefe do Executivo federal também brincou com um novo pedido de impeachment e revelou ansiedade para definir o partido político pelo qual vai se candidatar e disputar as eleições ao Planalto em 2022.

Ao descer do carro oficial, Bolsonaro foi surpreendido pela eleitora, que lembrou que ele é chefe das Forças Armadas e, em seguida, pergunta por que deixava o povo brasileiro, os ministros sofrerem e ele próprio sofrerem. Visivilmente aborrecido, o presidente disparou. 

“Você passou 30 anos votando em quem? Você passou 30 anos votando em quem? Você passou 30 anos votando em que tipo de gente? Calma lá, vamos com calma no negocio aí. Quer ditadura? Não é comigo”, começou. “Tem um posicionamento contra, a favor, do 31 de Março de 64? Tem alguma posição tua? Porque vieram tudo para cima da gente, contra a gente naquela época. Não vou discutir esse assunto, não vou debater. Quem não tá contente comigo tem Lula em 22″, afirmou.

Após fotos com outros apoioadores, Bolsonaro voltou a dirigir a palavra à mulher que o criticou. “O povo reclama de alguns prefeitos aí, igual aquele de Araraquara. Ele deitava e rolava no lockdown, foi reeleito. Então, por favor, não me venha falar dessa maneira comigo mais. Não me venha mais falar dessa maneira comigo porque se o cara foi reeleito é porque está fazendo a coisa certa. Continua fechando Araraquara. Se não fosse a nossa CEAGESP socorrer com 300 toneladas de alimentação, o povo lá tava numa situação bastante complicada”, explicou. 

Diante do clima tenso, a senhora pediu desculpas e afirmou que foi mal interpretada. “Não entendi mal não. A senhora é forte candidata em 22 para chegar, assumir e resolver os problemas do Brasil”, finalizou Bolsonaro.

“Assisto ao Chaves”

O presidente pergunta aos apoiadores se gostaram do passeio de moto no Rio de Janeiro no último domingo (23) e ironiza a mídia, que, segundo ele, deu pouca importância ao evento. “Eu não estou preocupado com mídia não. A gente vê sem querer essas porcarias aí. Eu, quando não tenho o que fazer, assisto Chaves”, disse para comemoração dos apoioadores.

Bolsonaro também respondeu a um homem, que destacou um pedido de impeachment assinado pelo ex-jogador Walter Casagrande e a apresentadora Xuxa, além de outras personalidades. “Tem três pedindo meu impeachment aí. Nem dormi essa noite. Xuxa foi uma […]. Conheci o pai dela, era capitão do Exército“, lembrou.

Eleições 2022 e Tarcísio em SP

O chefe do executivo federal avisou que quer resolver logo a situação eleitoral para poder disputar as eleições de 2022. “Eu não vejo a hora de decidir o partido, mas não é decisão minha. […] Sobre partido? Partido, sendo meu, eu aceito a indicação do partido. Se for meu partido, eu aceito a indicação agora. Ninguém quer entregar o osso para gente. Querem entregar só o casco do boi, nem um ossinho com tutano”, disse.

Bolsonaro também reforçou o desejo do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, em disputar as eleições para o governo de São Paulo. Para o presidente, o auxiliar tem grandes chances de conquistar o Palácio dos Bandeirantes.

“Tarcísio está pensando em ser governador em São Paulo. Eu acho que leva em São Paulo. Ele é competente, mostra serviço, trabalha, é formado pelo academia em Resende. Formado pelo IME, concursado da Câmara. Foi uma vaga só, foram duas vagas e ele passou. Não tem jeitinho com ele não. Ele tá trabalhando no Brasil todo com orçamento pequeno”, discursou.

Em seguida, Bolsonaro alfinetou a oposição: “Você lembram como era o Ministério do Transporte no passado? Era só escândalo, pô. Ou não? Era só escândalo. Lembram como era o BNDES? Quase meio trilhão que foi para o espaço. Como era Caixa Econômica, Banco do Brasil. Só indicação política. Só desvio. Ou você acha que R$ 50 milhões no apartamento do cara ele pegou da onde? Foi num bosque e colheu? Colheu aí nas estatais, nos bancos”, encerrou.

Fonte: R7

Bolsonaro recebe hoje governadores e presidentes de outros Poderes

Reunião no Palácio da Alvorada é sobre ações relacionadas à covid-19

O presidente Jair Bolsonaro recebe hoje (24), no Palácio da Alvorada, governadores e presidentes dos outros Poderes da República. De acordo com a Presidência, o objetivo do encontro é “fortalecer o ambiente de união nacional para prevenção e combate ao vírus da covid-19, além de ser um espaço para discussão de ações institucionais conjuntas”.

Participam da reunião os presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco; da Câmara dos Deputados, Arthur Lira; e do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, bem como o procurador-geral da República, Augusto Aras. O vice-presidente Hamilton Mourão também estará presente, além de governadores das cinco regiões do país.

O novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, estará no encontro, ao lado do ex-titular da pasta Eduardo Pazuello. A troca do comando do Ministério da Saúde foi oficializada ontem (23) pelo presidente Bolsonaro.

No encontro, há ainda a previsão de participação de toda a equipeministerial do governo, como os ministros da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça; da Economia, Paulo Guedes; da Defesa, Fernando Azevedo; da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos; do Meio Ambiente, Ricardo Salles; e da Advocacia-Geral da União, José Levi. A presença do vice-presidente do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, também é esperada.

Fonte: Kleber Sampaio A/B

Bolsonaro se encontrou com Pazuello hoje (22) no Alvorada

Encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Saída do ministro da Saúde é esperada desde a semana passada

Diante do momento mais grave da pandemia de covid-19 no Brasil e da demora para o troca no comando do Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta segunda-feira (22), com ministro Eduardo Pazuello no Palácio da Alvorada. O encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Na saída da residência oficial, Pazuello estava com Bolsonaro no momento em que o presidente conversou com apoiadores.

A saída de Pazuello do ministério é esperada desde a semana passada, quando Bolsonaro indicou o médico Marcelo Queiroga para ocupar o comando da Saúde. A nomeação, contudo, ainda não ocorreu. Conforme o Estadão mostrou, a participação do cardiologista como sócio de duas empresas contribui para o atraso na sua nomeação para o cargo. A legislação impede que servidores públicos participem da gerência ou administração de empresas privadas.

A previsão informal era que a cerimônia de posse de Queiroga ocorresse nesta terça-feira (23), mas sem a nomeação não será possível. O presidente chegou a dizer que Pazuello deixaria o cargo na última sexta-feira, 19, mas isso também não ocorreu.

Enquanto a troca na Saúde segue ainda sem previsão, o País continua registrando alta nos números da crise sanitária, falta de medicamentos para a intubação de pacientes e em ritmo lento com a campanha de vacinação – até este domingo eram 11.805.991 de pessoas vacinadas com a primeira dose, ou 5,58% da população, e 4.160.093 vacinadas com a segunda dose (1,96% da população). No total, o País tem quase 295 mil mortos e quase 12 milhões de casos da doença, a segunda nação com mais registros, atrás apenas dos Estados Unidos.

Fonte: R7

Maia sugere a Bolsonaro que resolva teto antes de Renda Cidadã

A reunião aconteceu nesta manhã no café, do Palácio da Alvorada.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reuniu na manhã desta segunda-feira (5) com o presidente Jair Bolsonaro e o relator do orçamento de 2021 e da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, senador Márcio Bittar (MDB-AC). Também estiveram no café da manhã os ministros da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Em divergência aberta com Maia, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não esteve presente no encontro. Há previsão de que os dois se encontrem em jantar hoje à noite na residência do ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU). O jantar está sendo articulado pelos senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Kátia Abreu (PP-TO) e visa aparar as arestas entre as duas autoridades.

No café da manhã no Alvorada, foram discutidos o orçamento de 2021 e o financiamento do programa Renda Cidadã, ampliação do Bolsa Família que o governo pretende viabilizar a partir do ano que vem. A ideia é que o programa imprima a marca da gestão Bolsonaro e dê continuidade ao auxílio emergencial, que será encerrado em dezembro deste ano. Maia defendeu, em entrevista, que a solução para o programa não pode romper o teto de gastos públicos.

“A solução do Renda Cidadã tem que ser posterior à solução do teto de gastos. Isso é necessário para garantir que as despesas ficarão controladas nos próximos 24 meses. É preciso resolver os gatilhos imediatamente. Temos pouco tempo para solucionar os problemas”, alertou Maia. “Temos que unir esforços para resolver a situação fiscal do país”, completou o presidente da Câmara.

A apoiadores na saída do Alvorada, Bolsonaro comentou o encontro com Maia. “Tô errado? Quem é que faz a pauta na Câmara?”, perguntou retoricamente ao grupo de simpatizantes. Bolsonaro disse que irá sancionar, nos próximos dias, o projeto que modifica o Código de Trânsito para aumentar a validade da carteira de motorista e aumentou o número de pontos para a suspensão da habilitação.

Fonte: Congresso em Foco

Bolsonaro descansa no Palácio do Alvorada após cirurgia em SP

Cirurgia para retirar pedra da bexiga foi bem-sucedida e presidente se recupera bem. Ele volta a ter compromissos oficiais nesta segunda-feira (28) 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou por volta das 16h15 deste sábado (26) à cidade de Brasília, depois de passar por uma cirurgia em São Paulo para retirar uma pedra na bexiga. Bolsonaro teve alta do hospital Albert Einstein, na capital paulista, às 13h30, depois de se recuperar muito bem do procedimento cirúrgico.

A retirada da pedra foi feita por meio de cistolitotripsia, uma operação minimamente invasiva, sem cortes e realizada por endoscopia. Bolsonaro voltará a ter compromissos oficiais já nesta segunda-feira (28).

Mais cedo, o deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), que também é candidato à Prefeitura de São Paulo, visitou Bolsonaro no hospital e disse que o presidente estava muito bem de saúde.

Hoje de manhã, a mulher de Bolsonaro, Michelle Bolsonaro, postou uma foto do marido dentro do hospital, pouco antes de receber alta médica. Sorrindo, o presidente acenou para a câmera.

Desde que foi internado, na manhã da sexta-feira, o presidente não teve febre ou qualquer complicação e já caminhava pelos corredores do hospital neste sábado. Bolsonaro voltará a Brasília ainda hoje, no início da tarde.

Fonte: R7

Governo prorroga auxílio emergencial e anuncia novo valor de R$ 300 até o fim do ano

Anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro anunciou hoje (1º) que o auxílio emergencial será prorrogado em mais quatro parcelas de R$ 300. Ele se reuniu na manhã desta terça-feira (1º) com ministros e parlamentares da base do governo, no Palácio da Alvorada, para alinhar as próximas ações do governo na área econômica.

O auxílio é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, como forma de dar proteção emergencial durante a crise causada pela pandemia da covid-19. O benefício começou a ser pago em abril, e foi estabelecido em três parcelas de R$ 600.

Ajuda

Cerca de 4,4 milhões (6,5%) de domicílios brasileiros sobreviveram, em julho, apenas com a renda do auxílio emergencial pago pelo governo federal para enfrentar os efeitos econômicos da pandemia de covid-19. Entre os domicílios mais pobres, os rendimentos atingiram 124% do que seriam com as rendas habituais, aponta estudo publicado nesta quinta-feira (27) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A ajuda financeira também foi suficiente para superar em 16% a perda da massa salarial entre as pessoas que permaneceram ocupadas, segundo a análise que usa como base os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid-19 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fonte: Fernando Fraga A/B

Bolsonaro e Guedes discutem prorrogação do auxílio emergencial

Outros assuntos devem ser discutidos em encontro. Guedes, que já negou ter intenção de sair do governo, veio com secretários para discussão técnica

O ministro Paulo Guedes já está no Palácio do Planalto para uma de suas reuniões com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os encontros estavam inicialmente marcados para o Palácio da Alvorada, mas foram transferidos para o Planalto. 

Ainda nesta segunda (17) Guedes desmentiu os rumores de que poderia deixar o governo, e disse a interlocutores que não tinha essa intenção. 

O ministro da Economia chegou ao Palácio do Planalto com uma equipe de secretários para poder ter uma discussão técnica sobre uma eventual prorrogação do auxílio emergencial. A última parcela do benefício será paga agora no final de agosto. 

Guedes e secretários aguardando a reunião no Planalto

Outros temas que podem ser tratados no encontro são: a edição de uma medida provisória para liberar R$ 5 bilhões para obras de infraestrutura, a elaboração de uma PEC do Gatilho, que iria unificar e substituir as PECs Emergencial e do Pacto Federativo para acelerar a tramitação no Congresso e a elaboração do Renda Brasil, programa que irá ampliar o Bolsa Família como forma de minimizar os impactos do fim do auxílio emergencial. 

Fonte: R7

Governo sanciona com 11 vetos novo ‘Marco Legal do Saneamento’

Bolsonaro participou de evento virtual no Palácio da Alvorada

Aprovado no Senado Federal no final do mês passado, após tramitar também pela Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei (PL) 4.162/19, que atualiza o novo Marco Legal do Saneamento Básico, foi sancionado hoje (15) pelo presidente Jair Bolsonaro. A cerimônia começou às 13h, por videoconferência, no Palácio da Alvorada. Participam do evento virtual diversos ministros, sendo que alguns, como o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam presencialmente do evento. 

Trechos vetados

Um dos trechos vetados por Bolsonaro autorizava as estatais a renovar por mais 30 anos os contratos vencidos, desde que isso ocorresse até março de 2022. 

Outro veto, explicado por Marinho, é o que permite que o segmento de resíduos sólidos participem de licitações do marco do saneamento.

O governo vetou trecho que desobrigava a licitação para serviços de resíduos sólidos e drenagem. Da forma como havia sido aprovado pelo Congresso, o novo marco só obrigaria a concorrência para os serviços de água e esgoto, o que gerou forte reação das empresas privadas que trabalham com resíduos sólidos.

Marinho mencionou o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também presente na cerimônia de sanção, e disse que a questão dos resíduos sólidos também é relevante para o setor como um todo. “O artigo impedia que esse pedaço do saneamento fosse contemplado em sua plenitude”, afirmou.

O terceiro veto é o que trata dos processos de privatização de empresas estatais. Nos casos em que há venda do controle acionário da companhia, com substituição do contrato de programa (fechado sem licitação), o dispositivo barrado pelo governo definia que, caso os entes públicos decidissem pela não anuência à proposta, caberia a eles assumir a prestação dos serviços.

Em comunicado à imprensa, o Planalto afirmou que o dispositivo criava uma nova regra para indenização de investimentos não amortizados das prestadoras de saneamento, gerando insegurança jurídica. “Ademais, como não é possível na prática a distinção da receita proveniente de tarifa direcionada para um ativo, haveria inviabilidade de pagamento da indenização.”

O projeto

O Senado aprovou no fim de junho, com 65 votos favoráveis e 13 contrários, o projeto de lei do novo marco legal do saneamento básico, que altera as regras para a prestação de serviços de distribuição de água e esgoto nas cidades brasileiras e facilita a entrada de empresas privadas no setor.

Com a aprovação, esses serviços, que em 96% do país são feitos por empresas públicas ou de capital misto controladas por governos, como a Sabesp em São Paulo, ou a Cedae no Rio de Janeiro, poderão ser feitos por empresas e grupos privados.

As cidades e estados vão poder privatizar, conceder, ou terceirizar os serviços de distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto, condicionados a investimentos com compromisso de atender o máximo de pessoas possíveis com os serviços.

A iniciativa foi apresentada pelo Governo Federal, que vê no marco regulatório uma possibilidade de universalizar [tornar mais acessível] a cobertura de água e esgoto até 2033, prazo determinado pelo projeto. A expectativa é que a alteração possa movimentar R$ 700 bilhões de investimentos nesse período.

Confira a cerimônia completa:

Fonte: Denise Griesinger A/B