Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Justiça nega pedido de liberdade para filhos de Flordelis no Rio

De acordo com a decisão, a defesa dos acusados não levou nenhum fato contundente capaz de alterar os fundamentos da prisão preventiva

A Justiça negou na quarta-feira (14), os pedidos de liberdade para três filhos adotivos da deputada federal Flordelis, acusados de participação no assassinato do pastor Anderson do Carmo, em junho do ano passado.

De acordo com a decisão, a defesa de Marzy Teixeira da Silva, André Luiz de Oliveira e Carlos Ubiraci Francisco da Silva não levou nenhum fato contundente capaz de alterar os fundamentos da prisão preventiva.

O marido da deputada federal Flordelis (PSD) foi assassinado no dia 16 de junho na região de Pendotiba, em Niterói, região metropolitana do Rio. De acordo com informações iniciais da Polícia Militar, Anderson Carmo foi baleado por volta das 4h na casa deles.

Segundo o registro de ocorrência, o casal havia acabado de chegar de uma comemoração.

Flordelis

A deputada federal Flordelis se apresentou na tarde da última quinta-feira (8), para colocar a tornozeleira eletrônica na unidade da Seap (Secretaria de Administração Penitenciária) de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.

A parlamentar chegou ao local por volta das 15h, após a Justiça ter determinado um prazo de 48 horas, na noite de terça-feira (6), para o cumprimento da medida.

A deputada é acusada de ser a mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, com a colaboração de outros filhos. 

Em 18 de setembro, o juiz Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou o monitoramento eletrônico e o recolhimento domiciliar noturno da parlamentar.

*Sob supervisão de PH Rosa

Fonte: R7

“Eu estou triste. Ela enganou todo o Brasil”, diz Damares sobre Flordelis

Deputada foi acusada de ser mandante do crime do marido, o pastor Anderson do Carmo.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quinta-feira (27) que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), apontada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro como a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo.

Damares disse que conheceu Flordelis em 2013 e fez referência ao filme que retrata a vida da pastora evangélica estrelado por atores globais.

“A história que ela contava para o Brasil era linda, de adoção. Me apaixonei por aquela história. Quando ela foi eleita deputada, me procurou já como ministra. A minha ligação com ela era a pauta da adoção”, afirmou Damares, ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

“Eu estou triste, temos que aguardar o resultado final, mas me parece que o relatório da polícia é robusto. [Estou] indignada de que tenha usado a fé, usado os irmãos, igreja. A igreja brasileira é uma igreja séria. Ela enganou todo o Brasil, não só o segmento evangélico, enganou a nação inteira. Nós estamos muito triste com isso e vamos aguardar agora a decisão da Justiça”, disse. Ela pediu para que o caso não interfira na pauta da adoção. “Vamos continuar adotando no Brasil”, finalizou.

Bolsonaro afirmou que também há fotos dele e de sua esposa, Michelle Bolsonaro, com Flordelis, reforçando que ele e a família tiram fotos ao lado de diversas pessoas.

Entenda o caso

Em junho do ano passado, o pastor Anderson do Carmo, foi assassinado dentro de casa com mais de 30 tiros. O crime ocorreu no bairro Badu, em Niterói. A deputada Flordelis dos Santos de Souza relatou que seu marido teria sido assassinado durante um assalto. Ela afirmou em depoimento e à imprensa que eles teriam sido seguidos por suspeitos em uma moto quando retornavam para casa.

Flordelis foi acusada de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Fonte: Congresso em Foco