Número de pedidos de seguro-desemprego volta a subir em janeiro 

Foram registrados 529.826 requerimentos, um aumento de 10% em relação ao mesmo mês do ano passado

O número de pedidos de seguro-desemprego voltou a subir no começo deste ano. Foram registrados 529.826 requerimentos em janeiro, um aumento de 10% em relação ao mesmo mês de 2021, em que houve 463.834 solicitações, e também a dezembro, com 481.481.

No acumulado do ano, porém, houve uma queda de 10,2%. De janeiro a dezembro de 2021 foram registrados 6,08 milhões de pedidos ante 6,78 milhões em 2020. Mas o recorde de requerimentos foi registrado em maio de 2020, com 960.308, a maior marca da série histórica, no começo da pandemia de coronavírus.

Outro índice que antecipa os rumos do mercado de trabalho iniciou 2022 com queda pelo terceiro mês seguido, indo em janeiro ao menor nível em quase um ano e meio, o que aponta dificuldade de recuperação, de acordo com a FGV (Fundação Getulio Vargas).

O Indicador Antecedente de Emprego do Brasil teve queda de 5,3 pontos em janeiro (76,5 pontos), retornando ao menor nível desde agosto de 2020 (74,8 pontos).

A piora mais acentuada no começo de 2022 decorre da combinação da desaceleração econômica iniciada no quarto trimestre com o surto de Ômicron e influenza, que afeta principalmente o setor de serviços, o maior empregador, tornando a curto prazo difícil vislumbrar uma alteração no curso do indicador

O Brasil abriu 2.730.597 empregos com carteira assinada entre janeiro e dezembro de 2021, de acordo com o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho e Previdência Social. Já a taxa de desemprego recuou para 11,6%, no trimestre finalizado em novembro, o nível mais baixo desde o início de 2020, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

No entanto, a renda real dos trabalhadores chegou à mínima da série histórica. Nesta semana, será divulgado o desemprego de dezembro com os dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), fechando o ano de 2021.

Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, a explicação para o crescimento do seguro-desemprego em janeiro é o fato de que mais pessoas foram demitidas em dezembro. “Historicamente, esse número sempre sobe nesse mês, pois é quando as contratações temporárias para as festas de fim de ano são encerradas. Esse aumento faz parte da sazonalidade natural da dinâmica econômica”, afirma a pasta em nota.

A questão da sazonalidade para o aumento de pedidos de seguro-desemprego em janeiro também é destacada pelo economista Josilmar Cordenonssi, professor de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie. 

Apesar de janeiro de 2022 estar 10% acima do mesmo mês no ano passado, o acumulado dos últimos 12 meses teve um recuo de mais de 8,34% nos pedidos. Assim, de forma geral, esse número de requerimentos (529.826) não indica nenhuma piora nem melhora no mercado de trabalho

Para Cordenonssi, os dados de desemprego retratam melhor as condições do mercado de trabalho do que os de seguro-desemprego. “Você pode ver que ao longo dos anos 2000, em que o Brasil teve um crescimento econômico razoável, os pedidos de seguro-desemprego eram crescentes. Mas a partir do final de 2014, os pedidos de seguro-desemprego caíram junto com a recessão de 2015-2016. Então, o aumento de pedidos de seguro-desemprego nem sempre é uma má notícia”, avalia. 

Um dos pontos defendidos pelo governo para evitar maior queda dos empregos durante a pandemia de Covid-19 foi a criação do BEm (Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda), que permitiu que empresas firmassem acordos de redução de jornada e salário ou de suspensão de contratos de trabalho. O programa vigorou até agosto do ano passado, beneficiando 10 milhões de trabalhadores em 2020 e 2,5 milhões em 2021.

Fonte: R7

Começa hoje prazo para pedidos de reaplicação do Encceja 2020

Participantes que tiveram sintomas de Covid-19 ou problemas logísticos

Participantes que tiveram problemas logísticos ou sintomas de doenças infectocontagiosas no último sábado (28) ou ontem (29) e não puderam fazer ao Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2020 podem solicitar, de hoje (30) até até a próxima sexta-feira (3/9), a reaplicação da prova, por meio do site do Encceja.

A reaplicação será nos dias 13 e 14 de outubro. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), será necessário comprovar a condição que motivou a ausência e os casos serão analisados individualmente. A regra vale para pessoas que apresentaram sintomas de covid-19 ou de outra doença infectocontagiosa prevista no edital, como coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola ou varicela.

Comprovação

No momento da solicitação, a pessoa deverá inserir, obrigatoriamente, documento legível que comprove a condição. É necessário constar o nome completo do participante, o diagnóstico com a descrição da condição, o código da Classificação Internacional de Doença (CID10), além da assinatura e da identificação do profissional que realizou o diagnóstico, com o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde ou de órgão competente, assim como a data do atendimento. O documento precisa ser anexado em formato PDF, PNG ou JPG, no tamanho máximo de 2 MB.

Os inscritos que comprovaram a condição e tiveram a solicitação aprovada vão participar da reaplicação do exame. 

Problemas logísticos 

No caso de pessoas que não puderam fazer a prova por problemas logísticos, é necessário que a situação esteja enquadrada nas previstas no edital do Encceja 2020. Desastres naturais ou falta de energia elétrica que prejudicaram a aplicação do exame, por exemplo, são alguns dos contextos que permitem a solicitação. Nessas situações, a pessoa deverá descrever o que aconteceu, por meio do sistema Encceja. O Inep também receberá documentos que comprovem o ocorrido e analisará cada caso.

Encceja

O Encceja é um exame destinado a jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada. Mais de 1,6 milhão de pessoas confirmaram a participação nesta edição de 2020; dessas, 297.543 em busca da certificação para o ensino fundamental e 1.310.593, para o ensino médio. A reaplicação ocorrerá nas mesmas datas do exame para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Encceja PPL) 2020.

Fonte: Denise Griesinger A/B

Pacheco leva pedidos de governadores a Bolsonaro

Presidente da República esteve na residência do Senado para visita de cortesia. Reunião do comitê para covid será segunda

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) disse na sexta-feira (26) após reunião com governadores, que irá levar as reivindicações deles ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e aos demais membros do comitê criado na semana passada para coordenar as ações de combate à pandemia da covid-19. 

A próxima reunião do comitê será na segunda-feira pela manhã, em horário e local ainda a serem definidos por Bolsonaro.

Os governadores pedem para ser ouvidos, pedem coordenação nacional em relação a insumos, leitos e vacinação, além de socorro financeiro às pessoas, empresas e aos Estados. 

“Segunda-feira teremos a primeira reunião para materializar o trabalho. Eu vou levar a reivindicação dos governadores, que precisam ser ouvidos e ser chamados para falar sobre os problemas dos Estados como insumos de sedação, oxigênio, leitos, vacinação. Eles pedem uniformização para faixas etárias entre Estados. São reinvindicações justas e básicas, mas precisa sentar e conversar. Esse anseio geral e pontos que destacam nessa síntese que levarei ao presidente para que cheguemos a um denominador comum”. 

O presidente do Senado falou ainda do encontro que teve com Bolsonaro nesta sexta na residência oficial do Senado, após a reunião dos governadores, em que trataram de pandemia e da pauta de reformas. Pacheco pregou a união entre os Poderes. 

“Falamos por telefone logo cedo e presidente disse que queria fazer uma visita de cortesia à residência do Senado. Passei a ele os pontos dos governadores, ajustamos a reunião do comitê para segunda, provavelmente no Palácio do Planalto. Falamos da pandemia e logo na sequência de reformas administrativa e tributária. Foi uma visita de cortesia e uma sinalização positiva de que estamos buscando alinhamento com governadores e com o presidente da Câmara. Não haverá convergência sobre tudo, mas temos que valorizar a convergência. O único caminho que nós temos é o da união, essa união será um grande exemplo para a sociedade que nós estamos buscando”. 

Fonte: R7

Secretária de Transportes dos EUA deixará o cargo após invasão

Elaine Chao é a primeira integrante do gabinete do presidente Trump a abandonar o governo, depois de outros de menor escalão

A secretária de Transportes do governo dos EUA, Elaine Chao, anunciou nesta quinta-feira (7) que irá deixar o cargo na próxima segunda-feira. A decisão foi tomada após a invasão ao Capitólio, sede do Congresso norte-americano, durante a certificação do resultado da eleição presidencial de 2020, por apoiadores do presidente Donald Trump, na quarta.

Chao, que é esposa do líder republicano no Senado, Mitch McConnell, é o primeiro membro do gabinete do governo dos EUA a se demitir após as cenas de violência em Washington. O cargo de secretário é equivalente ao de um ministro no Brasil.

Antes dela, a subsecretária de imprensa, Sarah Matthews, a chefe do gabinete de Melania Trump, Stephanie Grisham, o secretário da Casa Branca, Rickie Niceta, e o principal conselheiro do governo sobre a China, Matt Pottinger, entregaram os cargos oficialmente durante a noite de quarta e madrugada desta quinta.

“Ontem, nosso país presenciou um evento traumático e totalmente evitável, quando apoiadores do presidente invadiram o Capitólio após um comício onde ele falou. Da mesma forma que, tenho certeza, aconteceu com muitos de vocês, isso me perturbou profundamente e não posso deixar para lá”, escreveu Chao, na nota em que anunciou sua saída.

Fonte: R7

VERGONHA: Presidente do Senado arquiva todos os pedidos de impeachment contra ministros do STF

No total, existiam 38 pedidos de impeachment contra os magistrados e o procurador-geral da República

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), arquivou todos os pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e todos contra o Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras. A informação é do O Globo.

A decisão tomada por Alcolumbre aconteceu em 22 de dezembro, último dia do ano legislativo. No total, existiam 38 pedidos de impeachment contra os magistrados e o procurador-geral da República.

Foram rejeitadas 36 denúncias contra os ministros do STF e duas contra o PGR, todas apresentadas durante a gestão de Alcolumbre.

O principal alvo dos pedidos de impeachment era o ministro Alexandre de Moraes e o jurista Modesto Carvalhosa foi quem mais ingressou com ações de impedimento. Foram cinco contra ministros e uma contra Aras.

%d blogueiros gostam disto: