Corpo é encontrado no Rio Machado com perfurações na cabeça em Ji Paraná

Pescadores acionaram o Corpo de Bombeiros no local.

O Corpo de Bombeiros foi acionado nesta sexta-feira (27), em Ji-Paraná (RO), quando pescadores encontraram um corpo boiando na margem do Rio Machado. A vítima tinha marcas de perfurações na cabeça. 

A corporação informou que utilizou um barco para recolher o corpo até a beira do rio. A perícia técnica foi até o local e constatou que ele tinha quatro marcas perfurações na cabeça, provavelmente causadas por arma de fogo.

Segundo o Corpo de Bombeiros, pelo estado do corpo, o homem já estava no rio há cerca de três dias quando foi encontrado. 

A vítima aparenta ser um homem de 25 a 30 anos, mas não tinha nenhum documento com ele ou algo que pudesse identificá-lo. O que pode ajudar na identificação são tatuagens que ele tem. 

O caso deve ser investigado pela polícia. Até a tarde desta sexta-feira, a vítima ainda não tinha sido identificada. 

Fonte: Assessoria

CN

Corpo de prefeito ucraniano é exumado para perícia examinar se morte foi crime de guerra

De acordo com a prefeitura de Gostomel, Yuri Prylypko foi assassinado quando distribuía pão e remédios aos feridos 

O corpo do prefeito de Gostomel, Yuri Prylypko, foi exumado na útltima terça-feira (12). Em 7 de março, o ucraniano foi assassinado quando os soldados russos entraram na pequena cidade ao noroeste de Kiev, onde havia uma base militar.

Yuri Prylypko “era um grande patriota, um grande homem”, afirmou o padre Petro Pavlenko. “Ele era amado”.

De acordo com a prefeitura, Prylypko foi assassinado quando distribuía “pão e remédios aos doentes e feridos”.

“Morreu pela comunidade, por Gostomel, morreu como um herói”, afirmou o município em um comunicado, no qual explicava que, devido às circunstâncias, não era possível organizar o funeral.

O corpo foi exumado por investigadores ucranianos, que tentam determinar se a morte de Prylipko é um crime de guerra.

Ao lado do túmulo, sua esposa, Valentyna, começou a chorar ao ver o corpo do marido. A polícia registrou imagens de cada ferimento no corpo do prefeito.

“400 desaparecidos”


Gostomel, atacada um dia depois do início da invasão russa da Ucrânia, 25 de fevereiro, é um dos pontos estratégicos onde as tropas conseguiram deter a ofensiva rumo à capital Kiev.

Desde que a Rússia anunciou a retirada de suas forças da região de Kiev (para concentrar-se na ofensiva na região leste), os ucranianos retomaram o controle das cidades chaves na periferia da capital.

Todas foram destruídas pelos combates. As autoridades ucranianas citam “massacres” e acusam Moscou de “crimes de guerra”.

Em Bucha, a poucos quilômetros ao sul de Gostomel, as imagens de corpos com trajes civis em uma rua, com as mãos amarradas às costas, chocaram o mundo. O presidente russo Vladimir Putin voltou a repetir na terça-feira que as imagens eram falsas.

Com 17 mil habitantes antes da guerra, Gostomel também sofreu durante os dias de guerra. “O município calcula que 400 pessoas estão desaparecidas”, afirmou o procurador regional Andrii Tkatch. “Tentamos determinar quem os matou. É possível que não encontremos todos os corpos”.

O procurador considera difícil determinar a causa da morte do prefeito de Gostomel. “De acordo com as primeiras informações, ele morreu sem motivo particular, ao lado de seu motorista”, disse Tkatch, que acompanhou a exumação com um colete que tinha a frase: “Procurador para crimes de guerra”.

Dois enterros

No mesmo dia foram exumados outros corpos no âmbito da investigação, incluindo o de Oleksandr Karpenko, enterrado em um jardim.

Os corpos das vítimas foram levados para uma caminhonete refrigerada, a 5,7º C, para aguardar a autópsia. O veículo tinha entre 30 e 40 cadáveres. 

“Nunca fiz isto em minha vida, mas nossos cidadãos são assassinados e temos que enterrá-los da maneira correta”, afirma Igor Karpichen, ao carregar um corpo.

“Não tenho palavras para descrever o que sinto”, acrescenta. Mas, depois de fechar as portas do veículo como quem encerra um capítulo sombrio da história da cidad, Karpichen afirma: “Agora vivemos em paz”.

Fonte: R7

CN

Em Theobroma, caminhão da prefeitura pega fogo em área rural

Não há informações sobre possíveis feridos. Segundo a polícia, incêndio em veículo oficial aconteceu perto do assentamento Lagoa Nova, na linha 1, e estava quebrado.

Um caminhão caçamba da Prefeitura de Theobroma pegou fogo na estrada da área rural da cidade na última sexta-feira (16). Segundo a polícia, o veículo estava quebrado na linha 1, perto do assentamento Lagoa Nova, e começou o incêndio.

Não há informações sobre possíveis feridos.

Conforme o boletim de ocorrência, o titular da Secretaria de Obras do município, Marcos Dias da Silva, foi achado para atender o caso. Os policiais encontraram parte da gabina do caminhão queimado.

Uma equipe da perícia técnica foi chamada para liberar o caminhão para ser rebocado.

Fonte: Rede Amazônica

CN

Perícia do Ipem reprova itens da cesta básica em RO

Duas marcas de feijão foram avaliadas e reprovadas pelo órgão.

O Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Rondônia (Ipem-RO) realizou perícia laboratorial para a verificação oficial em produtos que integram a cesta básica. Duas marcas de feijão foram avaliadas e reprovadas pelo órgão.

No primeiro lote, o produto foi reprovado através da média de peso apresentada na pesagem. Já o segundo lote foi reprovado tanto na média quanto no individual, de acordo com a Portaria Inmetro 248/2008. “O segundo produto apresentou maior irregularidade onde de 13 unidades apenas duas tinham peso superior a 1 kg e uma chegou a pesar a 978g em uma unidade”, destacou a metrologista do Ipem-RO, Elli Maus.

Ainda de acordo com a metrologista, o peso da embalagem tem que ser desconsiderado no peso final do produto.

“Cada embalagem tem de 5 a 6 g e um produto desse tem que pesar em média com a embalagem até 1,010 kg”, acrescentou.

As empresas foram notificadas e terão dez dias para apresentar suas defesas junto ao jurídico do Ipem-RO em virtude da constatação da irregularidade na pesagem dos produtos.

Fonte: Ipem

CN