Assembleia Legislativa inova com implantação do Sistema de Processo Eletrônico em RO

Ferramenta é desenvolvida pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), disse durante coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (24), através de videoconferência, que a implantação do Sistema de Processo Eletrônico ETCDF, dará ainda mais transparência nas ações e nos processos do Parlamento Estadual.

“É mais uma ação inovadora que implantamos em nossa gestão, com apoio dos demais deputados. Com essa nova ferramenta, vamos eliminar os processos em papel, com tudo podendo ser acessado através do sistema, permitindo que o cidadão possa acompanhar todos os trâmites em tempo real”, destacou.

De acordo com Laerte Gomes, o treinamento dos servidores da Casa, que será iniciado nesta segunda, mas segue ao longo da semana, numa parceria com o Tribunal de Contas do Estado, vai capacitar para que o Sistema de Processo Eletrônico E-TCDF, desenvolvido pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal e já utilizado com sucesso por outros poderes e instituições do país, possa ser operacionalizado por todos os setores do Legislativo.

Presidente Laerte Gomes destaca a transparência com a implantação do Sistema de Processo Eletrônico
Treinamento para o novo serviço será iniciada nesta segunda, afirma o presidente da casa.

“É mais praticidade, agilidade e resolutividade. É o fim do papel aqui nesta Casa, com tudo disponibilizado no sistema e também no Portal da Transparência. Estamos, de uma vez por todas, escancarando as portas da Assembleia Legislativa e me sinto feliz em poder fazer essa ação, que considero da maior importância”, afirmou o presidente.

Fonte: ALE-RO

Presidente da assembleia destaca importância do BASA para a economia em RO

Parlamentar participou de videoconferência com o presidente da instituição, Valdecir Tose que abordou o crédito digital

Na manhã de ontem quarta-feira (19), o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) participou de uma reunião do Banco da Amazônia de Rondônia (BASA), na Superintendência Regional de Rondônia (Super-RO) que contou com a participação, por videoconferência, do presidente da instituição, Valdecir Tose.

Na pauta da reunião, que contou ainda com a presença do deputado Chiquinho da Emater (PSB), Tose falou sobre as oportunidades de negócios sustentáveis, entre os quais, os programas de financiamento do BASA, a exemplo do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO).

Segundo Valdecir Tose, o FNO é a principal fonte de recursos financeiros estáveis para o crédito de fomento da Região Norte e um dos principais instrumentos econômico-financeiros de execução da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), elaborada pelo Ministério da Integração Nacional.

“E hoje, os caminhos que a instituição está tomando no momento é de estender os braços do banco para parceiros, através de repasse, para credenciados, através de correspondentes bancários e na parte de microcréditos, estamos  outras unidades, antes o BASA trabalhava com microcrédito só em Porto Velho e a ideia agora é abrir em Ariquemes e Cacoal de forma totalmente digital, sem a necessidade do banco abrir uma agência física”, destacou Tose.

Ele ainda explicou que o BASA tem interesse em abrir agências que fogem do modelo tradicional, mas sim, agências voltadas para o crédito.

Após agradecer o convite para participar da videoconferência, o presidente Laerte Gomes, ressaltou a importância do Banco da Amazônia para a economia de Rondônia.

“O BASA é peça fundamental para o desenvolvimento da nossa agricultura, das nossas indústrias. Aproveito para ressaltar o comprometimento do nosso superintendente aqui em Rondônia, Diego Campos, que no acompanhou em várias visitas a indústrias de Ji-Paraná, junto com o senador Marcos Rogério, onde pudemos ver in loco a importância do BASA na vida dessas empresas, de como as oportunidades do banco agregam valor ao setor produtivo. Os próprios produtores confirmaram que o crescimento deles e o tamanho em que estão, os empregos que eles estão gerando, devem ao principal parceiro que é o BASA”, contou o presidente Laerte.

O parlamentar reforçou que a instituição é responsável por fomentar o setor produtivo de Rondônia e parabenizou a gestão do superintendente Diego Campos pelo interesse de andar por todo o estado.

“E é isso que temos que ter, interatividade. A primeira vez que convidamos o Diego para ir ao interior visitar os empresários ele foi de imediato, se colocou à disposição para ver de perto como é a nossa Rondônia, que cresce e desenvolve a cada dia. E como presidente da Assembleia, aqui acompanhado do colega deputado Chiquinho da Emater, também coloca nossa Casa à disposição do BASA para continuarmos com essa parceria e interagimos sempre a favor do desenvolvimento do nosso estado”, concluiu o parlamentar.

Fonte: ALE/RO

Presidente da ALE,RO relata sobre fechamento de igrejas ao ministro da Justiça

Na última semana o Corpo de Bombeiros de Rondônia cumpriram com vistorias determinada pelo MP em templos religiosos de Ji-Paraná. Porém, houve relatos de abusos por parte da corporação.

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB), acompanhou o senador Marcos Rogério (DEM-RO) em visita ao ministro da Justiça, André Mendonça, para tratar do fechamento de templos religiosos em Ji-Paraná pelo Corpo de Bombeiros. O deputado comunicou os abusos cometidos pelos Bombeiros contra igrejas evangélicas nesse momento de pandemia.

Marcos Rogério apresentou ao ministro um relato pormenorizado do que é considerado uma ofensa à liberdade religiosa, contando a situação vivenciada pelos pastores de Ji-Paraná. O senador entregou cópia de documentos e autos emitidos pelos Bombeiros e pediu ao ministro que fossem tomadas providências em relação a essa situação.

“Juntamente com o senador Marcos Rogério, sou solidário a esse sério problema que as igrejas de Ji-Paraná estão passando, em um momento de pandemia. Com o Decreto de Calamidade Pública o Governo não precisa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, não precisa cumprir a lei que trata das licitações, mas a lei dos Bombeiros é preciso cumprir?”, indagou Laerte Gomes.

O presidente da Assembleia classificou esses contrapontos como “estranhos”, porque até antes da pandemia as Igrejas estavam funcionando, mas agora não podem abrir devido a problemas com projetos de combate a incêndio. “Isso é um abuso, por isso vamos tomar providências”, assegurou.

Laerte Gomes lembrou que as igrejas desenvolvem um importante trabalho social, papel que deveria ser cumprido pelo Governo, por isso os líderes religiosos merecem respeito. “As igrejas desenvolvem tratam dependentes químicos, distribuem cestas básicas às famílias carentes nesse período de isolamento social, quando muitos não podem trabalhar, mas aparentemente nada disso está sendo considerado”, destacou o deputado.

Fonte: ALE-RO