Pecuaristas protestam contra o baixo preço pago pelo leite em Rondônia

Durante protesto cerca de 10 mil litros de leite foram descartados.


Nesta terça-feira (6) um caminhão que transporta leite de propriedades rurais até laticínios foi parado por manifestantes em União Bandeirantes (RO), distrito de Porto Velho. Como forma de protesto cerca de 10 mil litros de leite foram descartados.

Os produtores rurais pedem o reajuste no valor do litro do leite. Em Rondônia os valores variam de acordo com cada laticínio, mas em média o preço do litro é R$ 1,20.

O estado tem mais de 28 mil produtores de leite que entregam mais de 1,6 milhão de litros de leite pro dia. Rondônia é o maior produtor de leite da Região Norte, e cerca de 40% do setor leiteiro aderiu a paralisação.

Pecuaristas protestam contra o baixo preço pago pelo leite em Rondônia — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Para a Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon), uma alternativa para preservar a cadeia produtiva do estado é aumentar o consumo do leite. Entre as propostas está oferecer o produto na merenda escolar por meio de programas governamentais.

O Sindicato de Laticínios do estado de Rondônia diz que o problema é recorrente, mas há expectativa de melhorias.

Por Thais Gomes, Rede Amazônica

Consumidores protestam contra aumento na conta de luz e quedas de energia em RO

Os moradores estão decididos a interpelar a empresa junto à Promotoria de Defesa do Consumidor na tentativa, inclusive, de obterem redução na tarifa

Porto Velho, RO – Moradores de Porto Velho resolveram protestar contra a péssima qualidade do serviço de energia elétrica em Rondônia. A constante queda de energia em vários pontos da cidade obrigaram os consumidores a apelarem ao Ministério Público através da Promotoria de Defesa do Consumidor e órgãos vinculados desta Corte Ministerial.

O objetivo da manifestação é cobrar uma solução para o problema das constantes quedas de energia, que tem causado prejuízos aos moradores com a queima de eletrodomésticos por conta das quedas de energia que acontece em diversos pontos da capital rondoniense, além do aumento na conta de energia elétrica.  

O manifesto dos moradores realizado nesta terça-feira, 7, na Vila Isabel, no bairro São Francisco, Zona Leste da capital foi compartilhada por moradores dos residenciais Crystal da Calama, Cidade de Todos, Porto Madero (Zona Leste), Morar Melhor e Areia Branca, região Sul.

Mas, o grau mais intenso das reclamações contra a queda de energia cuja distribuição é de responsabilidade é do Grupo Energisa, com sede em Minas Gerais, partiu de moradores da antiga Vila Isabel, no Bairro São Francisco e região. Segundo os moradores, a exemplo dos residenciais do Programa Habitação, Minha Casa, Minha Vida, de responsabilidade do Governo Federal, ‘um transformador ainda não substituído pela ENERGISA, é o causador do problema’.

Como forma de obrigar a Energisa resolver o problema da falta de energia, na próxima quinta-feira, 9, os moradores estão decididos a interpelar a empresa junto à Promotoria de Defesa do Consumidor na tentativa, inclusive, de obterem redução nos valores cobrados acima do suposto consumo apontado pelos medidores.

Por Xico Nery

%d blogueiros gostam disto: