Saúde e Educação elaboram protocolo de retorno seguro às aulas

Aulas retornariam no mês de agosto

Os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e da Educação, Milton Ribeiro, defenderam hoje (8) o retorno dos estudantes às salas de aula. Os dois anunciaram a preparação de um protocolo de retorno e fizeram, de forma conjunta, um “apelo” a gestores municipais e estaduais para que comecem de imediato a preparação para essa retomada.

Segundo o ministro da Saúde, 80% dos professores do ensino básico já receberam a primeira dose da vacina, o que possibilitaria, a partir de agosto, um retorno seguro às aulas. “Temos apoio da Unicef, da Unesco, da OMS e da OCDE [para isso]. Há absoluto consenso de que vacinação não é pré-requisito para o retorno às aulas. Vamos, portanto, criar um protocolo conjunto que será estabelecido por portaria interministerial, estabelecendo as regras para o retorno seguro”, disse ele ao reiterar que a narrativa de que o Brasil vai mal na vacinação já estaria se dissolvendo.

A expectativa é de que a portaria com o protocolo de retorno às aulas seja publicada no início da semana que vem.

O ministro da Educação disse que o país “chegou ao limite”. “Somos um dos últimos países com as escolas fechadas. A perda é acadêmica, emocional e pode até ser considerada nutricional para muitas crianças”, disse ele ao criticar “a falta decisão política dos entes federados lá na ponta”.

Na avaliação de Ribeiro, “alguns estados e algumas redes infelizmente estão politizando o assunto de educação, tratando as crianças como peça de manobra política”.

Ele criticou também discursos que tem ouvido, segundo os quais seria necessário vacinar crianças antes de se dar início ao retorno das aulas. “Daqui a pouco o discurso vai ser vacinar os pais e avós, e aí não se volta mais”.

Dirigindo-se aos “narradores da narrativa de que tudo vai mal”, que segundo ele “regularmente tomam emprestados exemplos de fora para mostrar nossos erros”, Ribeiro disse que, agora, o país tem de “buscar exemplos de fora para mostrar que estamos errados em não restabelecer a aula presencial”.

Fonte: Claudia Felczak A/B

Mesmo na pandemia, Prefeitura de Porto Velho investe em ações para estimular o uso dos ônibus

Três ações do município oferecem benefícios para recuperar passageiros do transporte coletivo

Antes da pandemia da Covid-19, cerca de 58 mil passageiros usavam todos os dias o transporte público de Porto Velho, mas o movimento caiu substancialmente. Passado um ano desde o início da crise sanitária, a Prefeitura está investindo em ações para estimular o uso dos ônibus e a manutenção dos protocolos de saúde.

Entre as medidas adotadas pelo município destacam-se o subsídio para a manutenção do serviço, cartão eletrônico para a tarifa exclusiva e aplicativo que detalha rotas e horários dos ônibus.

“Porto Velho viu uma explosão de veículos e aplicativos de mobilidade urbana nos últimos anos. O resultado disso é um trânsito que precisa, cada vez mais, de ajustes e os ônibus públicos têm um papel central nisso”, explica Ronaldo Flores, secretário da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transporte (Semtran).

Em abril desse ano, a Prefeitura investiu no serviço público de transportes para garantir à população passagens com valor inferior à tarifa oficial.

O subsídio permitiu que, em abril, os usuários tivessem tarifa zero, ou seja, puderam transitar sem pagar nada. Desde o dia 10 de maio, o valor da passagem passou para R$ 1, valor que vai seguir até o dia 9 de agosto deste ano. De 10 agosto a 9 de novembro a tarifa vai custar R$ 2 e, de 10 de novembro a 31 de dezembro passa para R$ 3.

“Essa é uma medida já adotada em grandes cidades do Brasil e do mundo. Foi a forma encontrada pela Prefeitura para garantir as atividades do comércio local e da população. É uma oportunidade para os moradores conhecerem o novo transporte coletivo da capital”, resume Hildon Chaves, prefeito de Porto Velho.

Os valores da tarifa especial só são possíveis aos passageiros que realizarem o pagamento com o cartão COM Card. Caso o usuário faça o pagamento em espécie, a passagem custará R$ 4,05.

O cartão também é necessário para estudantes que pagam meia tarifa e aos idosos e portadores de deficiência que possuem direito à gratuidade.

A capital possui um ponto específico para o cadastro do COM Card. É o auditório da Emater, na avenida Farquar, 3055, bairro Panair, de segunda à sexta, das 08h às 17h, e aos sábados das 08h às 12h.

Além disso, foram disponibilizados pontos de recarga do cartão:

Net Infor Informática & Celulares
Av. Jatuarana, 4245 – Nova Floresta
De segunda a sexta, das 8h às 18h

Farmácia Super Popular
Avenida Farquar, 515 – bairro Panair
De segunda a sábado, das 7h às 19h

Auditório da Emater
Avenida Farquar, 3055 – Bairro Panair
De segunda a sexta-feira, da 8h às 17h
Sábado, das 8h às 12h

Cantinho da Pizza (Shopping Porto Velho)
Avenida Prefeito Chiquilito Erse, 3288
Loja 204/01, 2° andar – bairro Flodoaldo Pontes Pinto
De segunda a sábado, das 10h às 22h
Domingo, das 12h às 21h

ACR – Associação Comercial de Rondônia
Av. Presidente Dutra, 2815 – Centro
De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

Panificadora Canaã
Rua José Amador dos Reis, 2817 – Bairro JK
De segunda a domingo, das 6h às 22h

Ótica Diniz
Avenida Sete de Setembro, 1140 – Centro
De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h30
Sábado, das 8h às 13h

Mercado Batiolly
Avenida Calama, 7443 – bairro Planalto
De segunda a domingo, das 8h às 21h

CITTAMOBI

A população conta ainda com o aplicativo CittaMobi. A plataforma, adquirida pela Prefeitura, possibilita que o usuário consulte rotas e horários dos ônibus em tempo real.

O usuário pode, em qualquer ponto da cidade, pesquisar as paradas de ônibus mais próximas e, a partir delas, saber quais rotas estão disponíveis, sua atual localização e a previsão de chegada.

A ferramenta ajuda o usuário a escolher a rota que garanta um trajeto mais rápido e também um menor tempo de espera nos pontos de ônibus.

“Todas essas iniciativas da Prefeitura mostram o nosso compromisso com um trânsito mais ágil, democrático e justo. São benefícios para os moradores que economizam tempo e recursos durante seus afazeres. É uma garantia segura do ir e vir em tempos de pandemia”, finaliza o secretário municipal de trânsito.

Fonte: Comdecom

Estado libera aulas presenciais para rede privada e pública em RO

Porém, essa retomada só poderá ocorrer nos municípios em que estiverem na fase 4 do Plano Todos por Rondônia.

Governo libera aulas da rede privada e manda servidores retornarem ao trabalho
Somente 9 municípios podem voltar seguindo os protocolos de medida

Um novo decreto foi divulgado pelo Governo de Rondônia, liberando as atividades educacionais no Estado. O decreto já está em vigor, mas as atividades da rede estadual de educação continuam suspensas.

De acordo com o decreto, as aulas presenciais podem retornar em instituições privadas de educação infantil, fundamental, médio e superior. Porém, essa retomada só poderá ocorrer nos municípios que que estiverem na fase 4 do Plano Todos por Rondônia (veja a lista abaixo).

O documento do governo determina que o retorno das aulas presenciais deve ser de forma gradual e escalonada, com até 50 % de sua taxa de ocupação. As carteiras dos estudantes precisam manter m distanciamento mínimo de 120 cm.

Ainda segundo o decreto, os pais ou responsáveis dos alunos menores de idade poderão optar pelo ensino presencial ou manter o ensino remoto (virtual), independente de ser grupo de risco. A mesma regra vale para estudantes acima de 18 anos, que terá “seu poder de decisão”.

“AS MANTENEDORAS FICAM RESPONSÁVEIS PELA MANUTENÇÃO DAS ATIVIDADES EDUCACIONAIS REMOTAS, PARA OS ALUNOS QUE OPTAREM POR NÃO RETORNAR ÀS INSTITUIÇÕES DE ENSINO”, DIZ O GOVERNO.

O governador Marcos Rocha também decidiu que as instituições de ensino municipais podem voltar com as aulas presenciais, mas essa decisão é facultativa, seguindo o plano de retomada que cada município organizar. O decreto já está em vigor.

Quais municípios:

  1. Porto Velho
  2. Ariquemes
  3. Mirante da Serra
  4. Candeias do Jamari
  5. Primavera de Rondônia
  6. Guajará-Mirim
  7. Chupinguaia
  8. Pimenteiras do Oeste
  9. Vale do Paraíso

O que mais é importante saber sobre o decreto N° 25.170

  • Os ajustes necessários para o cumprir o calendário escolar serão estabelecidos pelos órgãos competentes, após o retorno das aulas presenciais.
  • As creches podem disponibilizar atendimento presencial aos filhos de profissionais vinculados às atividades essenciais e crianças com deficiência, seguindo sempre as fases do distanciamento social controlado e limite de até 50% da capacidade.
  • Estágio supervisionado ou internatos poderão ser realizadas nas unidades de saúde, públicas e privadas, pelos alunos de medicina que estejam cursando o quinto ou sexto ano e pelos discentes de outros cursos.
  • As aulas presenciais só estão autorizadas às cidades que tiverem na fase 4 de distanciamento.

As aulas presenciais em Rondônia estão suspensas desde março, por causa da pandemia do novo coronavírus.

 CLIQUE AQUI E CONFIRA O NOVO DECRETO

Fonte: Rede Amazônica

MEC lança guia com protocolos para volta às aulas

Documento oferece informações para que as redes estaduais e municipais possam se preparar para um retorno seguro

O Ministério da Educação lançou nesta quarta-feira (7) o Guia de Implementação de Protocolos de Retorno das Atividades Presenciais nas Escolas de Educação Básica. O documento, produzido pelas secretarias de Alfabetização, Educação Básica e Modalidades Especializadas de Educação, oferece informações para que as redes estaduais e municipais possam se preparar para um retorno seguro, para evitar risco de transmissão da covid-19.

Veja também: Confira o Guia de Implementação de Progocolos de Retorno das Atividades Presenciasis nas Escolas de Educação Básica

O guia reúne normas técnicas de segurança em saúde e recomendações de ações sociais e pedagógicas a serem observadas pelos integrantes da comunidade escolar no retorno seguro. A secretária de educação básica, Izabel Lima Pessoa, destaca que a decisão de retorno às aulas presenciais deve ser tomada por estados e municípios, de acordo com a orientação das autoridades sanitárias locais.

Para elaboração do guia, o MEC teve como base orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde), da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), do Unincef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e do próprio Ministério da Saúde.

Além disso, o guia também considerou os documentos e sugestões produzidos pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação e pela União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, além dos cuidados relativos à educação alimentar e nutricional e à segurança dos alimentos, elaborados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

Durante a apresentação, a secretária de Educação Básica do MEC, Izabel Lima Pessoa, destacou também a destinação de recursos, por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola, para apoiar o retorno seguro às aulas. “Entre as ações que o MEC está desenvolvendo para dar suporte ao retorno está o repasse de R$ 525 milhões para 117 mil escolas para adquirir os itens de biossegurança”, informou.

O protocolo foi definido de acordo com a escala de intensidade de transmissão do vírus em determinada região divididas por cores: regiões sem casos de transmissão (azul), regiões de transmissão de casos esporádicos (verde), regiões de transmissão de aglomerados (amarela), regiões de transmissão comunitária (vermelha).

Entre as orientações, está o distanciamento físico entre grupos, como limitar ao máximo a mistura de turmas e grupos de idades diferentes para atividades escolares e pós-escolares; considerar a possibilidade de retorno de forma gradual; considerar a possibilidade de ampliação do número de professores ou recorrer ao apoio voluntário; evitar atividades que envolvam a coletividade; etc.

Fonte: R7

Procon fiscaliza lojas que não cumprem com os protocolos de segurança em RO

De acordo com fiscais, uma loja da capital foi notificada por anúncios em redes sociais convidando várias pessoas para inauguração, e conforme o decreto de calamidade estabelecimentos devem cumprir com medidas de distanciamento e não causar aglomerações.

 A Agência de Proteção de Defesa do Consumidor (Procon-RO) em cumprimento ao Decreto nº 25.220, de 10 de julho de 2020, e para a segurança nos estabelecimentos, e principalmente dos consumidores, tem feito o trabalho de fiscalização para evitar o descumprimento das normas sanitárias das lojas de confecções, sapatarias e afins, como aconteceu com uma loja que iria inaugurar e fez publicidade com convite a várias pessoas para o evento de abertura.

De acordo com o coordenador estadual do Procon, Ihgor Rego, foi feita uma fiscalização para verificar a recomendação da Nota Técnica n°35 e foi orientado à proprietária para que fosse feita a contrapropaganda (Art. 56, inciso XII da Lei Federal nº 8.078/90). Nessa contrapropaganda, a empresa é obrigada a veicular nas mesmas plataformas, no mesmo período de tempo inversa, dizendo que vai respeitar o decreto de calamidade. 

A loja de roupas foi notificada a providenciar, no prazo de 24 horas, a adoção de todas as medidas sanitárias necessárias para o funcionamento do estabelecimento, que estão na nota técnica, como; limitação de 40% da área de circulação interna de clientes, recomenda-se, caso possível, aferir a temperatura de clientes e colaboradores antes do ingresso no estabelecimento, vedação da possibilidade de vestir, experimentar e/ou utilizar peças de vestuário no interior da loja e demais.

“As lojas de confecções têm mantido uma certa regularidade, um padrão de conformidade com o decreto de calamidade pública”, nos disse o coordenador. Isso fez com que o Procon de Rondônia não recebesse muitas denúncias.

O desrespeito das lojas às regras ou decreto de calamidade pública, faz com que o Procon esteja autorizado à fiscalização e, diante da irregularidade, para lavrar o auto de infração. Podendo em último caso até tomar medida mais rigorosa, que seria a interdição do estabelecimento. “Essas multas são aplicadas depois de ser respeitado o devido processo legal contraditório e ampla defesa ou seja, a empresa terá oportunidade para apresentar sua justificativa”, disse o coordenador.

A atuação do Procon é pautada nas denúncias que recebe e a instituição também desempenha fiscalização de ofícios, sem provocação de ninguém. Dada a grande quantidade de situações que merecem a atenção da Agência de Proteção e Defesa do Consumidor, as equipes estão sendo direcionadas de acordo com as denúncias mais graves que recebem.

Fonte: Procon-RO

Igreja católica autoriza reabertura de templos a partir de setembro em RO

Retorno será gradual e deverá acontecer por fases, seguindo as orientações arquidiocesanas e das autoridades sanitárias.

Após cinco meses de celebrações on-line, por conta do protocolo de segurança para enfrentamento à pandemia da Covid-19, a Arquidiocese de Porto Velho planeja retomar as atividades com a presença de fiéis em setembro deste ano.

As primeiras celebrações de missa ocorrerão no final de semana nos dias 5 e 6 de setembro com lotação de até 25% da capacidade de público.

Já as paróquias poderão retornar às atividades nos dias 12 e 13 de setembro. O comunicado foi dado pelo arcebispo de Porto Velho, Dom Roque Paloschi. As novas regras levam em consideração a Lei nº 4.791, de 16 de julho de 2020, do Governo do Estado estabelecendo as igrejas e os templos de qualquer culto como atividade essencial em período de calamidade pública.

Desde do início da pandemia, as celebrações estavam suspensas, circunstância que motivou ao uso da tecnologia e a criatividade para adaptação à nova realidade.

Conforme programação da Arquidiocese de Porto Velho, o retorno será gradual e deverá acontecer por fases, seguindo as orientações arquidiocesanas e das autoridades sanitárias. Dentre as celebrações elencadas para o retorno são eucarísticas, batismos de crianças, casamentos, reconciliação e penitência, unção dos enfermos, exéquias. Todavia, atividades similares em grandes grupos, passíveis de forte propagação da pandemia, como peregrinações, procissões, festas, romarias, concentrações religiosas, retiros, acampamentos continuarão suspensas, sem previsão de retorno.

LEI ESTADUAL Nº 4.791

A lei nº 4.791, de 16 junho de 2020, em seu artigo 1º estabelece as igrejas e os templos de qualquer culto como atividade essencial em período de calamidade pública no Estado de Rondônia, sendo vedada a determinação de fechamento total de tais locais.

Parágrafo único. Poderá ser realizada a limitação do número de pessoas presentes em tais locais, de acordo com a gravidade da situação e desde que por decisão devidamente fundamentada da autoridade competente, devendo ser mantida a possibilidade de atendimento presencial em tais locais.

Fonte: Secom-RO

Cristo Redentor passa por desinfecção no Rio e reabertura será neste sábado

Pão de Açúcar, Corcovado, AquaRio e Rio Star voltam a funcionar após cinco meses fechados por conta da pandemia. Espaços reabrem ao público com uma série de medidas de prevenção contra a Covid-19.

4 Motivos para conhecer o Cristo Redentor - Mundo dos Viajantes
Cristo Redentor volta neste sábado com todos os protocolos de segurança

O Mirante do Cristo Redentor passa por uma desinfecção, na manhã desta quinta-feira (13), no Rio. A limpeza faz parte dos preparativos para a reabertura do ponto turístico no próximo sábado (15).

A limpeza acontece desde as 7h, com apoio da Arquidiocese do Rio e do Parque Nacional da Tijuca. Além do Cristo, o Bondinho do Pão de Açúcar, a roda-gigante Rio Star e o AquaRio também reabrem no sábado.

Os pontos turísticos vão adotar uma série de medidas de prevenção à Covid-19. Os detalhes da retomada das atividades foram expostos em um encontro nesta quarta-feira (12). Veja a seguir alguns protocolos adotados como uso obrigatório de máscara, distanciamento social mínimo e disponibilização de álcool em gel.

As atrações também vão oferecer descontos especiais a partir de sábado. A campanha Redescubra o Rio tem como objetivo permitir que moradores do Rio descubram ou redescubram lugares que o mundo inteiro gostaria de conhecer.A promoção vai até o dia 15 de setembro.

“Pela primeira vez na história do Rio de Janeiro os atrativos se uniram. Primeiro na concepção de um protocolo de segurança permeado por todos os atrativos para trazer maior segurança sanitária para os visitantes”, disse Sandro Fernandes, CEO do Bondinho do Pão de Açúcar.

O protocolo conjunto começou a ser elaborado em maio. Por conta da união, o grupo decidiu voltar abrir em conjunto apenas no próximo sábado, apesar de já terem autorização para isto desde a fase 4.

Para a Rio Star, a reabertura é um recomeço. A atração abriu no ano passado e, mesmo atraindo mais de 200 mil visitantes, fechou com pouco tempo de funcionamento.

“Em dezembro do ano passado inauguramos a maior roda gigante da América latina e tivemos cerca de cem dias e tivemos que fechar”, destacou Fábio Bordin, CEO da roda gigante Rio Star, que considera a reabertura uma nova estreia.

Funcionários utilizam máscara e protetor de face no Morro da Urca — Foto: Cristina Boeckel / G1
Funcionários utilizam máscara e protetor de face no Morro da Urca

Rio Star

A maior roda gigante da América Latina adotou medidas de segurança para que seu retorno seja adequado. Dentre as mudanças, a atração agora opera com 50% de sua capacidade técnica nas cabines, ou seja, quatro pessoas por vez. Torna-se obrigatório o uso de máscaras e aferição da temperatura dos visitantes na entrada.

Rio Star contará com o máximo de quatro pessoas por cabine, onde antes cabiam oito. Apenas pessoas da mesma família irão na cabine. Se uma pessoa estiver sozinha, ela viajará sozinha.

A Rio Star só estará fechada às quartas-feiras. Nos demais dias, estará funcionando das 10h às 18h. O acesso do público à praça de alimentação e a loja de souvenirs do parque será controlado e monitorado, para que colaboradores mantenham uma distância segura uns dos outros.

A administração irá disponibilizar, nas entradas e saídas dos ambientes, a aplicação de álcool 70% por meio de totens.

Bondinho do Pão de Açúcar

Bondinho do Pão de Açúcar — Foto: Cristina Boeckel/G1 Rio
Bondinho do Pão de Açúcar

O parque reabrirá ao público, de quinta a segunda-feira, das 10h às 19h, adotando todas as medidas de saúde e higienização recomendadas pela OMS no combate à Covid-19. O bondinho conquistou quatro certificações que atestam o cumprimento das normas de prevenção da doença (em âmbitos municipal, estadual, federal e internacional).

Ficou determinada a redução da capacidade total de visitantes por dia e no transporte nos bondes, que operarão com dois terços da capacidade.

O bondinho do Pão de Açúcar, que contava com até 65 passageiros, terá 32 por viagem. A expectativa é de 25 mil a 35 mil visitantes por mês, inicialmente.

A medida segue o critério de ocupação gradual voltado para transportes turísticos, adotado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Por todo o parque, em pontos estratégicos, estará disponível álcool 70.

Veja outros detalhes do protocolo de segurança

  1. Máscara de proteção: obrigatória durante todo o passeio, exceto em momentos de alimentação, desde que seja mantido o distanciamento social entre pessoas que não sejam do mesmo grupo familiar.
  2. Distanciamento Social: será necessário manter a distância de, pelo menos 2 metros de outras pessoas. Nas filas, haverá pontos de sinalização com a distância mínima demarcada.
  3. Higiene pessoal: as mãos devem ser higienizadas com frequência. E em caso de espirros e/ou tosse, deve ser utilizada a parte interna do braço para cobrir nariz e boca.
  4. Álcool 70%: foram instalados dispensers de álcool em pontos estratégicos do parque.
  5. Pagamento: a compra do bilhete deverá ser feita, prioritariamente, no site oficial. Em caso de compra presenciais, recomenda-se o uso de cartão.
  6. Sanitização: todos os ambientes estão sendo frequentemente sanitizados.
  7. Higienização: todas as superfícies de contato, como corrimãos e botões, estão sendo frequentemente limpas e higienizadas.
  8. Aglomeração: os bondes estão operando com 2/3 da capacidade. Outros ambientes confinados estão com limite de visitantes ou temporariamente interditados.
  9. Temperatura: todos os visitantes e funcionários terão a temperatura aferida na entrada do parque.
  10. Comunicados com os protocolos adotados em prevenção à disseminação da Covid-19 estão sendo disponibilizados de forma ampla.
Cristo Redentor passa por limpeza para reabertura — Foto: Reprodução/ TV Globo
Cristo Redentor passa por limpeza para reabertura

Fonte: G1

Eleições 2020: votação deve ser estendida em pelo menos uma hora

TSE estuda recomendar horários de votação diferentes por faixa etária

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse hoje (5) que o horário de votação das eleições municipais deste ano deve ser estendido em pelo menos uma hora, das 8h às 18h, em razão da pandemia de covid-19. “E nós estamos igualmente definindo, com base em cálculos estatísticos e demográficos, a conveniência, ou não, de recomendarmos, não seria vinculante, que cada grupo de faixa etária votasse em um determinado horário”, disse o ministro, em entrevista coletiva virtual.



De acordo com Barroso a ideia é que ao menos sejam reservados os primeiros horários de votação para quem tem mais de 60 anos ou é considerado do grupo de risco para a doença provocada pelo novo coronavírus. O objetivo das medidas é impedir a formação de filas e aglomerações que aumentam o risco de transmissão dos vírus.

Ministro Roberto Barroso

O pleito está marcado, em primeiro turno, para 15 de novembro e, em segundo turno, para 29 de novembro.

Baseado na experiência de eleições anteriores, em que se verifica a concentração de eleitores no início dos trabalhos, às 8h, e ao final, às 17h (horário padrão de encerramento), o ministro fez um apelo para que as pessoas se espalhem mais ao longo do dia. “Evitar a concentração é uma das nossas principais preocupações em termos de saúde pública”, disse.

A expectativa é que, nas próximas semanas, o TSE chegue à definição de horário e fluxo de votação por faixa etária, a partir de estudos que estão sendo feitos pelo Setor de Estatística do tribunal e por uma consultoria externa do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

No mês passado, o tribunal já havia anunciado que vai excluir a necessidade de identificação biométrica, por meio de impressão digital, tendo em vista o risco de contágio por covid-19. Uma consultoria sanitária também está trabalhando na elaboração de um protocolo de segurança para a realização das eleições municipais em novembro.

Para a adoção das medidas de segurança para mesários e eleitores, o TSE vai propor uma parceria público-privada com entidades de classe, federações e empresas para a aquisição de materiais e equipamentos “com o mínimo de gastos de dinheiro público”. “Para que, com o apoio da livre iniciativa brasileira, possamos realizar eleições seguras e sem a utilização de recursos que, neste momento, podem ser aproveitados em outros lugares”, disse Barroso.

Sobre a realização de campanhas de rua e comícios, o presidente do TSE afirmou que, diante da diversidade de cenários da pandemia no país, a questão será definida pelos municípios, que são os responsáveis pelas regras de comportamento de distanciamento e isolamento social.

Fonte: Agência Brasil

Sine retorna atendimento presencial em Porto Velho

Segundo a Secretária, alguns serviços já são feitos pelo sistema online, a equipe do Sine continuava prestando atendimento de forma remota, tirando dúvidas e ensinando as pessoas a acessarem os serviços.

Desenvolvimento - Sine estadual inicia atendimento presencial para ...
Sine voltou as atividades nesta terça-feira

O Sine Municipal retomou os atendimentos presenciais na terça-feira (21), seguindo todas as orientações de segurança sanitária e distanciamento para evitar contaminação do coronavírus.

O atendimento presencial no Sine estava suspenso desde o decreto de calamidade pública assinado pelo prefeito Hildon Chaves, por causa da Covid-19. Nesse período, no entanto, toda atenção ao público era feita de forma remota (pela internet ou telefone), especialmente a emissão da Carteira de Trabalho Digital e o Seguro Desemprego, já que este último teve uma grande demanda em razão da pandemia.

De acordo com o o subsecretário Euzébio da Semdestur, ele informa que o atendimento presencial é importante auxiliar as pessoas que não estão conseguindo, através das ferramentas tecnológicas, acessar os serviços de Seguro Desemprego ou baixar a Carteira de Trabalho Digital. Obviamente, algumas pessoas vão comparecer ao Sine em busca de oportunidades de também de trabalho porque não conseguem fazer o cadastro pelo sistema online.

Como vários serviços já são feitos pelo sistema online, a equipe do Sine continuava prestando atendimento de forma remota, tirando dúvidas e ensinando as pessoas a acessarem os serviços. Quem não conseguia acessar devido as dificuldades com o uso da tecnologia, recebia atendimento presencial agendado e com toda segurança.

Agendamento

“Agora com o retorno da equipe, a gente retorna também com a busca de oportunidades de trabalho, divulgação na nossa página através do site da prefeitura (www.portovelho.ro.gov.br) e ainda atendendo as pessoas que estão em busca de emprego. A maioria dos serviços continua sendo feita por agendamento, como por exemplo, a pessoa que não conseguir resolver pelo celular a questão do seguro desemprego”, explica Lopes.

Os servidores, por sua vez, estão trabalhando com uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) contra o novo coronavírus, como máscara, protetor facial e luvas, entre outros. A partir da próxima semana, tanto os guichês no posto do Sine Municipal da zona Leste como os da sede central contarão com tela de proteção.

Fonte: Comdecom

Aulas presenciais só deve retornar após definição de protocolo de medidas

A secretária informou que não há previsão.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), informou nesta quarta-feira (8) que não há data prevista para o retorno das aulas presenciais na rede pública de ensino estadual.

Segundo o secretário de estado da educação, professor Suamy Vivecananda, o retorno só será possível após o Poder Executivo e os órgãos de controle em saúde definirem os protocolos de segurança para a retomada das atividades.

A secretaria está seguindo as orientações estabelecidas no Decreto nº 25.138, de 15 de junho, assinado pelo governador Marcos Rocha. E, quanto à possibilidade de retorno às aulas presenciais no ano de 2020, o secretário informou que não há como estabelecer datas.

Educação - Rondônia adota o Ensino Médio integral a partir de ...
Poder Executivo e Órgãos precisam decide protocolos de segurança para retorno.

“Precisamos aguardar as recomendações do Poder Executivo que expede os decretos, e os estudos técnicos que são realizados com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa) e ainda, órgãos de controle que acompanham de perto o desenvolvimento dessas ações.

De acordo com a Seduc, o Ministério da Educação (MEC) anunciou no dia 1º de julho diretrizes para retomada às aulas presenciais, mas ainda não há uma data prevista de retorno das atividades educacionais em todo o País.

A secretaria informou ainda, que está trabalhando coletivamente com os órgãos de controle no planejamento de retorno às aulas presenciais, objetivando receber os estudantes com segurança, quando for possível o regresso, portanto não há data prevista para retomada das atividades.

AULAS ONLINE

Estão sendo ofertadas aulas online nas plataformas digitais do canal da Mediação Tecnológicas-RO, e na plataforma do Revisa Enem #Agoravai, além da disponibilização de conteúdos impressos para os estudantes que não possuem acesso à internet.

São realizadas constantes reuniões pela equipe técnica-pedagógica, para alinhamento e planejamento das ações que estão sendo executadas nas escolas por professores, para o devido atendimento com qualidade, aos estudantes em aulas não presenciais, durante a pandemia da Covid-19. A Seduc proporcionou aos professores, formação, via google meet e webex, para trabalhar com as plataformas tecnológicas que estão sendo utilizadas nas aulas remotas.

De acordo com secretário Suamy Vivecananda, quando ocorrer o retorno das aulas presenciais, será realizada uma avaliação diagnóstica para mensurar as aprendizagens, onde também será feito um trabalho de nivelamento com os alunos.

“As aulas remotas, durante esse período de pandemia da Covid-19, são uma forma de ofertar o ensino e manter o vínculo com a escola, e garantir a segurança dos nossos alunos, professores e demais profissionais da educação, além de evitar o aumento na contaminação pela Covid-19, também é uma forma de contribuir com as ações de enfrentamento ao coronavírus, realizadas pelo governo de Rondônia”, ressaltou o secretário.

Fonte: Secretaria Estadual de Educação