Estrada do Areia Branca é regularizada e prefeitura anuncia recuperação

Apesar de fazer parte da cidade há muitos anos, a área não pertencia legalmente ao município.

Haverá melhorias na mobilidade urbana e na qualidade
Estrada do Areia Branca é regularizada

A Estrada do Areia Branca, localizada na zona sul da cidade, passou a compor legalmente o sistema viário de Porto Velho. Concluídos estes trâmites, a Prefeitura Municipal poderá realizar obras de infraestrutura para atender a população da área.

A Secretaria Municipal de Resolução Estratégica de Convênios e Contratos (Semesc), vai desenvolver o projeto de infraestrutura urbana e apontar as políticas públicas que vão beneficiar os moradores da Estrada do Areia Branca, como obras de drenagem e pavimentação, entre outras.

A inclusão da estrada como parte do sistema viário da cidade foi determinada pelo prefeito Hildon Chaves e realizada a partir de esforços da equipe técnica da Secretaria Municipal de Regularização Fundiária, Habitação e Urbanismo (Semur).

O trecho tem 2,5 quilômetros de extensão, contados a partir da fábrica de refrigerantes sentido zona rural. Apesar de fazer parte da cidade há muitos anos, esta área não pertencia legalmente ao município.

Agora, a Prefeitura poderá fazer investimentos no local com recursos próprios ou de emendas parlamentares. Como consequência haverá melhorias na mobilidade urbana e na qualidade de vida dos moradores.

“Significa que transformamos a Estrada do Areia Branca em uma via urbana de Porto Velho e poderemos beneficiar cerca de 800 famílias que moram ali há muitos anos. Já fizemos a topografia, o georreferenciamento e o projeto urbanístico do local”, explica o secretário Edemir Brasil (Semur).

Brasil acrescenta que a Prefeitura está amparada pela Lei Federal Nº 13465/2017, que permite, mesmo em loteamentos irregulares ou clandestinos, a legalização de vias que já são utilizadas tradicionalmente pela população, por meio da matrícula registrada no cartório.

Fonte: Comdecom

Luizinho Goebel acompanha obras de recuperação da Linha 2 com recursos do Fitha em Cerejeiras

Segundo o parlamentar, a recuperação da rodovia irá proporcionar adequadas condições de trafegabilidade com segurança e conforto

O deputado estadual Luizinho Goebel (PV) esteve nesta quinta-feira, 05 de agosto, visitando o município de Cerejeiras. Na oportunidade, ele vistoriou os trabalhos de recuperação da Linha 2 do 4º Eixo para o 5º Eixo, são 14 km que estão sendo executados pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços públicos (Semosp) através do Fundo para Infraestrutura de Transporte e Habitação (FITHA), atendendo as reivindicações dos agricultores.

O deputado Luizinho esteve acompanhado da Prefeita Lisete Marth (PV), vice-prefeito José Carlos Valendorff (PP), Secretário Municipal da Agricultura Danilo Marth, presidente da Câmara de Vereadores Samuel Carvalho (PTB), vereador Elói Antônio Ronsani (PV) e do empresário Nego dos parafusos, representando ao agronegócio da região.

Segundo o deputado Luizinho Goebel, a recuperação da referida rodovia irá proporcionar adequadas condições de trafegabilidade com segurança e conforto, para as pessoas que transitam na via, se faz importante para a consolidação da zona rural, fato que facilita o escoamento da produção agrícola e refletindo no crescimento da região e do município”, enfatizou Goebel.

O deputado agradeceu ao governador Coronel Marcos Rocha (Sem partido), e ao diretor geral do DER, Elias Rezende, por terem liberado os recursos do Fundo para Infraestrutura de Transporte e Habitação (FITHA). Luizinho aproveitou para parabenizar ainda toda a equipe da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), que se dedica em prestar serviços de qualidade.

Texto e foto: Assessoria

Presidente Alex Redano celebra a liberação de R$ 1 milhão para recuperação de estradas em Vale do Anari

Previsão é de que cerca de 100 quilômetros de vicinais no município sejam recuperados, com recursos destinados pelo Governo

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), celebrou a liberação por parte do Governo, através do Departamento de Estradas de Rodagens (DER), de um convênio de R$ 1 milhão com a prefeitura de Vale do Anari, para ser aplicado na recuperação de mais de 100 quilômetros de estradas vicinais do município, ação indicada pelo parlamentar ao Estado.

“A grande demanda dos municípios é sem dúvidas as manutenção das estradas vicinais. Temos prefeitura com milhares de quilômetros para cuidar em vicinais e sem esse apoio do Governo, não conseguiriam melhorar as condições das estradas rurais”, disse Redano, ressaltando ainda a força produtiva de Vale do Anari, sendo prioritário que os produtores contem com boas estradas para escoar a produção agropecuária.

O termo de convênio foi celebrado há duas semanas, entre o DER, através do diretor-geral, Elias Rezende, e o prefeito de Vale do Anari, Anildo Alberton (MDB), objetivando a recuperação de 104,74 quilômetros de estradas vicinais, com serviços de limpeza lateral, conformação da plataforma e revestimento primário. Agora, o recurso foi liberador e está na conta da prefeitura.

O recursos será utilizado na contratação de terceiros e na aquisição de equipamentos e material de consumo para execução do serviço. A prefeitura vai oferecer uma contrapartida no valor de R$ 52.395,22.

Tchau Poeira

Alex Redano atua ainda para garantir junto ao Governo que Vale do Anari seja contemplado com as ações do programa Tchau Poeira. A previsão é de que o município deverá receber três quilômetros de recapeamento e pelo menos mais três quilômetros de asfalto novo.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Alex Redano anuncia convênio para recuperação de estradas do município Vale do Anari

O recursos será utilizado na contratação de terceiros e na aquisição de equipamentos e material de consumo para execução do serviço.

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), anunciou que o Governo celebrou o convênio de R$ 1 milhão com a prefeitura de Vale do Anari, para ser aplicado na recuperação de pouco mais de 100 quilômetros de estradas vicinais do município, ação indicada pelo parlamentar.

“É um volume significativo de investimento que é feito pelo Governo, para beneficiar a população rural de Vale do Anari, município produtivo e que tem necessidade de boas estradas para atender aos produtores rurais e aos moradores das zonas rurais”, disse Redano, que fez a indicação e se empenhou pessoalmente para que o recurso fosse liberado para Vale do Anari.

O termo de convênio foi celebrado entre o Departamento de Estradas de Rodagens (DER), através do diretor-geral, Elias Rezende, e o prefeito de Vale do Anari, Anildo Alberton (MDB), objetivando a recuperação de 104,74 quilômetros de estradas vicinais, com serviços de limpeza lateral, conformação da plataforma e revestimento primário.

O recursos será utilizado na contratação de terceiros e na aquisição de equipamentos e material de consumo para execução do serviço. A prefeitura vai oferecer uma contrapartida no valor de R$ 52.395,22.

Tchau Poeira

Alex Redano atua ainda para garantir junto ao Governo que Vale do Anari seja contemplado com as ações do programa Tchau Poeira. A previsão é de que o município deverá receber três quilômetros de recapeamento e pelo menos mais três quilômetros de asfalto novo.

Fonte: ALE-RO

Presidente Alex Redano destaca empenho de R$ 500 mil para recuperação de estradas em Monte Negro

Demanda será atendida após indicação do parlamentar, que atuou junto ao Governo para a liberação desse recurso

O município de Monte Negro foi atendido, através de convênio, com a destinação de R$ 500 mil para a recuperação das estradas vicinais, após a indicação do presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos) ao Executivo.

“Fomos informados de que o recurso está empenhado e vai atender à demanda do município, que é a melhoria das estradas vicinais para a garantia do escoamento do produção agropecuária e o livre trânsito de veículos. Fazer estradas é garantir que o acesso aos demais serviços públicos se torne possível”, destacou Redano.

O recursos empenhado via Departamento de Estradas de Rodagens (DER) está na conta da prefeitura de Monte Negro.

Quartel

Neste ano, para Monte Negro, Alex Redano assegurou emenda parlamentar, no valor de R$ 70 mil, para melhorias no quartel do 1° PEL/3°CIA/7°BPM, atendendo ao pedido do sargento 2º PM Walmir, comandante do pelotão. O recurso será utilizado para construir o muro do quartel que abriga o pelotão e também para a compra de alguns utensílios, para melhorar a estrutura da unidade militar.

Educação

Redano também assegurou emenda, no valor de R$ 225.150,00 para a prefeitura de Monte Negro adquirir material didático para a rede municipal de ensino, através do projeto Aprender Construindo. O processo de convênio foi garantido ainda no final de 2020.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Vacinação consolida processo de recuperação da economia do país

Sondagens apontam para confiança elevada de todos os setores e melhora no ambiente de negócios após a 2ª onda da covid-19

Após atingir marcas negativas com o agravamento da pandemia do novo coronavírus, a economia brasileira já vive um processo consolidado de recuperação.

A melhora do ambiente de negócios é guiada pelo avanço da vacinação, que neste sábado (17) completa 6 meses de início, e pode ser comprovada pelos indicadores que medem as expectativas de setores, empresários e consumidores.

De acordo com dados da FGV (Fundação Getulio Vargas), da CNC (Confederação Nacional da Indústria) e da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), o aumento da confiança manteve o processo de recuperação após a segunda onda da covid-19 no Brasil e já aparece acima do patamar pré-pandemia.

“O ritmo moderado dos negócios no primeiro semestre com perspectivas de aceleração no segundo, associados ao otimismo com a campanha de imunização contra a covid-19 parecem ser dois fatores importantes a sustentar a tendência de alta da confiança”, apontam os pesquisadores do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia), da FGV.

O economista Roberto Dumas, do Insper, confirma a expectativa mais otimista da economia, mais alerta que ela ainda é cautelosa.

“Alguns setores cresceram bastante, como a venda de eletrodoméstico, móveis e imóveis, porque o home office ajudou muito. […] Mas não é isso que mexe com a economia do Brasil”, aponta ele ao sinalizar a retomada dos serviços como a mais aguardada para confirmar o processo de recuperação.

Em junho, o principal destaque entre as sondagens da FGV partiu justamente do setor de serviços, cuja confiança avançou aos 93,8 pontos e atingiu maior patamar desde fevereiro de 2020, último mês sem os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia.

Com a movimentação recente, a confiança do setor de serviços se aproximou das melhoras apresentadas pelo comércio (95,9 pontos) e pela construção (92,4 pontos), áreas menos afetadas pela segunda onda da covid-19 no Brasil.

Para Dumas, o avanço da vacinação até a imunidade de rebando ainda é “absolutamente crucial” para a ascensão do segmento com a volta dos serviços prestados às famílias, como o turismo. “Serviços é o que mais emprega. Voltando, o nível de emprego melhora”, pontua ele.

Indústria

Índices da FGV mostram retomada da confiança
Índices da FGV mostram retomada da confiança

Na indústria, a situação é mais confortável, A confiança do setor foi a primeira a recuperar o nível pré-pandemia, já em agosto do ano passado, e atingiu seu pico em dezembro, quando flertou com os 115 pontos, maior patamar em 10 anos. Atualmente, o índice figura aos 107,6 pontos.

O dado também é mostrado pela CNI, que aponta para o crescimento das expectativas em 29 dos 30 setores industriais em junho. O segundo avanço consecutivo disseminado da confiança do setor foi guiado pelos segmentos de máquinas e materiais elétricos (+7,9 pontos); móveis (+6,6); e produtos de madeira (+6,4).

Claudia Perdigão, economista do FGV/Ibre, avalia que a saída mais veloz da indústria do fundo do poço aconteceu porque a pandemia estabeleceu uma “reconfiguração do consumo” e limitou o acesso da população aos serviços.

“Boa parte dos recursos que seriam destinados para restaurantes, shoppings e cinemas foi direcionado para o consumo de bens”, diz Cláudia. Ele vê também a contribuição do auxílio emergencial para o setor com a busca maior por alimentos.

A economista da FGV explica que a desaceleração da confiança industrial nos primeiros meses de 2021 passa pela discussão sobre a retomada do auxílio emergencial, mas avalia que o ramo também será beneficiado pelo avanço da imunização, apesar do ritmo inferior ao planejado para o setor de serviços.

“A vacinação vai gerar uma retomada mais consistente e, obviamente, vai se propagar pela economia como um todo, com a recomposição da renda, do mercado de trabalho”, diz Cláudia ao observar uma dependência menor das fábricas. “A indústria tem mecanismos para a demanda de produtos básicos e aqueles que não têm a produção interrompida devido às compras pela internet.”

Consumidores

Ainda que a confiança empresarial e dos setores esteja se reerguendo, a recuperação ainda não chegou às famílias, que seguem um pouco mais cautelosas e não segue a melhora acelerada do comércio e dos serviços, indica a FGV.

Dados mostram que o ICC (Índice de Confiança do Consumidor) alcançou os 80,9 pontos no mês passado, mas ainda segue distante dos mais de 90 pontos atingidos antes da crise.

Pela primeira vez em um ano, a melhora do índice ocorre com o avanço da intenção de compras de bens duráveis, o que pode estar relacionado com o maior otimismo em relação ao mercado de trabalho nos próximos meses.

Conforme os dados coletados em junho, diferença entre os níveis de confiança das famílias de renda mais alta (88,8 pontos) e de renda mais baixa (72,4 pontos) aumentou após a pandemia. Trata-se da maior diferença entre ricos e pobre desde setembro de 2009.

Fonte: R7

Jean Oliveira é atendido e o DER conclui a recuperação da RO 383

“Buraco na pista é sinônimo de prejuízo e até de acidente”, entre Alta Floresta d’Oeste e Santa Luzia d’Oeste

Alta Floresta d’Oeste, RO – O deputado Jean Oliveira voltou a agradecer o Governo do Estado que, por meio do DER, concluiu na última terça-feira (06) a manutenção (tapa-buracos), na pavimentação asfáltica da rodovia 383, entre os municípios de Alta Floresta d’Oeste e Santa Luzia d’Oeste.

Os serviços foram executados pela equipe da 4ª Usina de asfalto de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (Cbuq), nos 25 quilômetros de extensão da RO-383 e no perímetro urbano de ambos os municípios.

O gerente da 4ª Usina de Asfalto do DER, em Rolim de Moura, Thiago Moreira, explicou que a rodovia passou por uma manutenção rigorosa removendo todas as patologias (buracos e borrachudos). “A equipe trabalhou realizando um serviço de qualidade para proporcionar a viagem mais segura para quem utiliza a RO-383. Buraco na pista é sinônimo de prejuízo e até de acidente”, comentou Moreira.

Jean Oliveira ressaltou que sempre esteve cobrando do DER a manutenção permanente da RO 383, rodovia de importância capital para a zona da Mata. “Ficamos felizes, e só temos que agradecer, como temos feito, ao Governo do Estado, que tem à frente o Coronel Marcos Rocha e sua competente equipe do DER sob a gestão do senhor  Elias Rezende que vem realizando um trabalho de excelência”, ressaltou o deputado.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dep. Jean Oliveira

Ismael Crispin e vereador Elias Ribeiro pedem ao DER recuperação da ponte sobre rio Araras

Parlamentar ressaltou que a interdição da ponte está prejudicando o trânsito da população e o escoamento da produção

Em visita ao município de Primavera de Rondônia, distante 545 km de Porto Velho, o deputado Ismael Crispin (PSB) esteve com o vereador Elias Ribeiro verificando a situação da ponte sobre o rio Arara na RO-494 que está interditada.

Segundo o deputado, a ponte dá acesso aos municípios de Chupinguaia e Parecis. “A pedido do vereador Elias Ribeiro, estarei encaminhando um requerimento para o DER, solicitando com urgência, a recuperação da ponte para que a população dos três municípios possam ter seu direito de ir e vir assegurado”, apontou.

Ismael ressaltou ainda, que a interdição da ponte está prejudicando também o escoamento da produção. ” Os pequenos produtores rurais da região estão tendo muita dificuldade de transportar suas mercadorias e precisamos trabalhar para reverter essa situação o mais breve possível”, finalizou. 

Texto: Laila Moraes – ALE/RO

Presidente Alex Redano vistoria obras de recuperação da RO-460, ligando Buritis a BR-421

Trecho com cerca de 54 quilômetros está sendo restaurado e melhorado pelo DER

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), acompanhou os trabalhos de recuperação do asfalto da RO-460, ligando a cidade de Buritis até a BR-421, com extensão de cerca de 54 quilômetros. As obras estão sendo executadas pelo Departamento de Estradas de Rodagens (DER), após indicação de Redano e de outros parlamentares.

“Agora, está sendo feito um trabalho grandioso. É uma restauração completa, com praticamente um novo asfalto em diversos trechos, para dar mais segurança aos motoristas e durabilidade nos serviços”, destacou Redano.

Alex Redano agradeceu ao governador Marcos Rocha e ao diretor geral do DER, Elias Rezende, pela atenção que tem dado a todo o Vale do Jamari. “Essa recuperação da RO460 mostra o compromisso com a nossa região, que é estendido para as demais regiões do Estado. Agradeço ao governador e ao diretor geral do DER por mais esse benefício assegurado”, completou.

A rodovia possui alguns trechos sem a base adequada e outros trechos com a largura do asfalto menor do que seis metros, que é a mínima aceitável, e por isso precisa ser alargada.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

ONU pede a países recuperação de 1 bilhão de hectares de terra

Relatório foi divulgado hoje pela organização

A Organização das Nações Unidas (ONU) apelou hoje (3) aos países que cumpram os compromissos de recuperar 1 bilhão de hectares de terra, para enfrentar as crises climáticas e de biodiversidade.

A recuperação de pelo menos 1 bilhão de hectares degradados na próxima década é uma forma de enfrentar as ameaças das alterações climáticas, perda de natureza e poluição, diz a ONU em relatório hoje divulgado no âmbito da Década das Nações Unidas para a Restauração dos Ecossistemas 2021-2030.

Os países, afirma a organização, também precisam acrescentar compromissos idênticos em relação aos oceanos, segundo o relatório do Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA) e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

O documento destaca que a humanidade está utilizando cerca de 1,6 vezes a quantidade de serviços que a natureza pode fornecer de forma sustentável.

Isso significa, de acordo com o relatório, que os esforços de conservação por si só são insuficientes para prevenir um colapso em larga escala dos ecossistemas e perda de biodiversidade. Os custos globais da recuperação terrestre, não incluindo a parte marinha, estão estimados em pelo menos US$ 200 bilhões por ano até 2030, sendo que, estima a ONU, cada dólar investido na restauração cria até US$ 30 de benefícios econômicos.

Os ecossistemas que requerem uma recuperação urgente incluem terras agrícolas, florestas, prados e savanas, montanhas, turfeiras, áreas urbanas, zonas de água doce e oceanos.

O relatório diz ainda que as comunidades que vivem em quase 2 bilhões de hectares degradados de terra incluem algumas das mais pobres e marginalizadas do mundo.

“Esse documento apresenta também os motivos pelos quais todos nós temos de nos empenhar no esforço global de recuperação. Baseando-se nas mais recentes provas científicas, expõe o papel crucial desempenhado pelos ecossistemas, desde florestas e terras agrícolas a rios e oceanos, e traça as perdas que resultam de uma má gestão do planeta”, escreveram no prefácio do documento o diretor executivo do PNUMA, Inger Andersen, e o diretor-geral da FAO, QU Dongyu.

Eles acrescentam que a “degradação já afeta o bem-estar de cerca de 3,2 mil milhões de pessoas – ou seja, 40% da população mundial”, e que em cada ano se perdem serviços ecossistêmicos que valem mais de 10% da produção econômica global.

A recuperação dos ecossistemas consiste em travar e inverter a degradação, o que resulta em ar e água mais limpos, mitigação de condições meteorológicas extremas, melhor saúde humana e recuperação da biodiversidade, incluindo melhor polinização das plantas.

Segundo a ONU, a restauração contribui ainda para a realização de vários Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluindo a saúde, água limpa, e paz e segurança, e para os objetivos das três “convenções do Rio” sobre Clima, Biodiversidade e Desertificação.

A recuperação, se combinada com a redução da conversão dos ecossistemas naturais, pode ajudar a evitar 60% das extinções de biodiversidade esperadas. Além do que, diz o relatório, pode ser altamente eficiente na produção de benefícios econômicos, sociais e ecológicos. A agroflorestação, por exemplo, tem o potencial de aumentar a segurança alimentar para 1,3 mil milhão de pessoas.

As duas agências da ONU responsáveis pelo relatório lançam hoje também uma ferramenta para monitorar os esforços de restauração, que permite aos países medir o progresso dos projetos de restauração em ecossistemas-chave.

A Assembleia-Geral da ONU declarou 2021-2030 como a década para a recuperação dos ecossistemas, liderada pelo PNUA e pela FAO. A iniciativa visa a acelerar a promoção global da recuperação de ecossistemas degradados.

Fonte; Agência Brasil

1 2 3 5