Sábado de calor intenso em Rondônia, segundo Sipam

Além da fumaça estado registra temperatura alta nas regiões; confira as temperatura das cidades.

Mesmo com o enfraquecimento do ar seco, o sábado (28) ainda será de sol e calor sobre toda Rondônia, segundo previsão do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

A previsão é de céu variando de claro a parcialmente nublado em todas as regiões, com possibilidade de pancadas isoladas de chuva com trovoadas a partir da tarde.

Confira a temperatura nas principais cidades de RO

CidadeMínimasMáximas
Ariquemes22ºC35ºC
Cacoal23ºC36ºC
Guajará-Mirim22ºC34ºC
Ji-Paraná22ºC37ºC
Porto Velho23ºC35ºC
Vilhena23ºC34ºC

Fonte: Sipam

Massa de ar polar provoca frio intenso durante a semana no país

Temperatura seguirá mais baixa em grande parte do país

A semana promete ser de frio intenso em boa parte do Basil, segundo previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A massa de ar polar que avança pelo Sul deve deixar as temperaturas abaixo de zero em uma ampla área entre o norte do Rio Grande do Sul, meio-oeste e planalto sul de Santa Catarina e o sul do Paraná. Há possibilidade de novas ocorrências de neve na região, como verificado na última segunda-feira (28).

Ao longo de toda a semana, segundo o Inmet, as condições atmosféricas propícias para a formação de geada, de moderada a forte, devem persistir na região Sul e no Mato Grosso do Sul, podendo se estender para São Paulo e Minas Gerais.

Na Região Norte, as temperaturas poderão ficar abaixo de 15 graus Celsius no Acre, oeste de Rondônia e sul do Amazonas nas manhãs dos dias 30 de junho e 1º de julho. Além dessas áreas, o frio também poderá avançar até o noroeste do Amazonas, informa o instituto.

Fonte: Agência Brasil

Segundo o Portal Covid, zonas norte e sul lideram com maior número de casos da doença em Porto Velho

Lista mostra os 10 bairros com mais casos confirmados na capital; veja abaixo.

Os dados são do Portal Covid, atualizados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) no último sábado (02).

Entre os 10 bairros de Porto Velho com maior concentração de casos confirmados do novo coronavírus, quatro estão na Zona Sul e outros quatro na Zona Norte.

Lista mostra os 10 bairros com mais casos confirmados na capital:

  • Aponiã – 1.315 casos
  • Agenor de Carvalho – 1.225 casos
  • Castanheira – 1.169 casos
  • Flodoaldo Pontes Pinto – 1.160 casos
  • Cohab – 1.159 casos
  • Embratel – 1.158 casos
  • Nova Porto Velho – 1.156 casos
  • Socialista – 1.017 casos
  • Nova Floresta – 1.016 casos
  • Caladinho – 1.002 casos

Rondônia chegou aos 96.433 casos de Covid-19 no sábado (2), desse total 43.867 foram registrados em Porto Velho, sendo 199 nas últimas 24 horas. A capital é a cidade com maior número de infectados. Em segundo lugar está Ariquemes, com 7.931 confirmações.

Sobre o número de mortes, os dados oficiais mostram que 1.825 rondonienses já perderam a vida para a doença, sendo 941 mortes na capital e 137 em Ariquemes.

Fonte: G1/RO

Gripe aviária se espalha por diversas regiões no Japão

Surto atingiu 12 prefeituras do Japão

O Japão tem sofrido o pior surto de gripe aviária já registrado no país, que espalhou-se para novas fazendas neta semana, com o vírus tendo sido encontrado em um quarto das 47 áreas administrativas do país, conhecidas como prefeituras, o que levou autoridades a ordenar o abate de aves.

Cerca de 32 mil aves foram abatidas e enterradas na cidade de Sukumo, na prefeitura de Kochi, no Sudeste do Japão, após a descoberta da gripe aviária em uma fazenda de produção de ovos, disse o ministério da agricultura nesta quarta-feira (16).

Mais aves contaminadas foram encontradas em duas fazendas na prefeitura de Kagawa, onde a epidemia começou no mês passado. Desde então, quase 30 mil aves foram sacrificadas por lá, segundo o ministério.

O surto atingiu 12 prefeituras do Japão, e um recorde de 3 milhões de aves foram sacrificadas até o momento.

Embora o ministério afirme que pessoas não podem ser contaminadas pela “influenza” aviária ao comer ovos ou carne de aves infectadas, autoridades de saúde pelo mundo estão preocupadas com a possibilidade de o vírus dar um “salto” para a espécie humana, causando uma pandemia como o novo coronavírus.

O surto no Japão e na vizinha Coreia do Sul é uma de duas diferentes epidemias de influenza aviária que têm atingido aves pelo mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentos e Agricultura e autoridades japonesas.

Tanto a cepa do vírus em circulação na Ásia quanto a que tem se espalhado rapidamente pela Europa tiveram origem em pássaros selvagens, afirmaram.

Fonte: Agência Brasil

Covid-19: Regiões de São Paulo estão na fase amarela

O plano passa a ter atualização mensal

Pela primeira vez, desde o início de implementação do Plano São Paulo, todas as regiões do estado paulista ficaram classificadas na fase 3 – amarela. O Plano São Paulo, plano de retomada econômica e de convivência com a pandemia do novo coronavírus, começou a funcionar no estado paulista no dia 1º de junho.

Desde a última classificação, feita na sexta-feira (4), apenas duas regiões do estado ainda se mantinham na Fase 2 – Laranja do Plano São Paulo: Ribeirão Preto e Franca. Mas nessa nova atualização, elas evoluíram de fase e passaram a ser classificadas também na fase amarela.

O Plano São Paulo é dividido em cinco fases que vão do nível máximo de restrição de atividades não essenciais (vermelho) a etapas identificadas como controle (laranja), flexibilização (amarelo), abertura parcial (verde) e normal controlado (azul). O plano também é regionalizado, ou seja, o estado foi dividido em 17 regiões [com a região metropolitana dividida em cinco sub-regiões] e cada uma delas é classificada em uma fase.

Na Fase 3 – Amarela é permitido o atendimento presencial em bares, restaurantes, salões de beleza, barbearias, academias, shoppings, comércios de rua, escritórios em geral e concessionárias pelo período de oito horas por dia, com capacidade limitada a 40%, com exceção das academias, que tem capacidade limitada de 30%.

Os estabelecimentos de alimentação que estão localizados em regiões há pelo menos 14 dias na fase marela podem funcionar até as 22h. Se estiverem localizados em regiões há menos tempo na fase amarela, eles só podem funcionar até as 17h.

Na fase amarela também é permitida a reabertura de eventos, convenções e atividades culturais. No entanto, para que isso ocorra, a região precisa estar há 28 dias na fase amarela e só é permitido público sentado, com capacidade limitada a 40%.

O governo paulista ressalta que, apesar da reabertura econômica, as pessoas devem evitar sair de casa, mantendo a quarentena sempre que for possível. O governo alerta também que, ao sair de casa, as pessoas devem fazer uso de máscara e sempre evitar as aglomerações.

Mudanças

O governo paulista anunciou hoje (11) que a atualização do Plano São Paulo passará de quinzenal a mensal, ou seja, a próxima atualização prevista no plano será feita somente no dia 9 de outubro. Isso, segundo o governo, vai dar mais segurança e estabilidade para a mudança de fase.

Outra mudança anunciada pelo Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, responsável pelas ações relacionadas à pandemia do novo coronavírus, é que, caso uma região regrida em seus indicadores, como por exemplo, aumentando a sua capacidade hospitalar, ela será colocada imediatamente e diretamente na Fase 1 – Vermelha pulando a Fase 2 – Laranja.

“Não haverá retorno para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de prefeitos, secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usando máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, disse o governador de São Paulo, João Doria.

Na Fase 1 – vermelha somente os serviços considerados essenciais, como de logística, abastecimento, segurança e saúde podem funcionar.

Plano São Paulo
Plano São Paulo – Divulgação/Governo de São Paulo

Fonte: Valéria Aguiar A/B

Sedam combate ações de queimadas em Cerejeiras e regiões

Conforme a secretaria, o objetivo e intensificar as ações contra os crimes ambientais durante a pandemia.

Gerente da Sedam em Cerejeiras

Em Cerejeiras, Pimenteiras do Oeste e região do Parque Estadual de Corumbiara, o Governo de Rondônia vem intensificando as ações de combate às queimadas, segundo informa o gerente do escritório da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) em Cerejeiras, Carlos José Fontana.

Devido à pandemia do novo coronavírus, o foco da Sedam tem sido o controle das queimadas urbana e rural em toda a região sob sua jurisdição.

“As queimadas potencializam os problemas respiratórios, agravando ainda mais o estado de saúde das pessoas que buscam atendimento médico na rede de saúde”, alertou Fontana.

Ele também destacou a campanha que o governo está desenvolvendo de conscientização para se evitar às queimadas. São materiais como folderes, adesivos, cartazes e peças publicitárias veiculadas nos meios de comunicação. “Queimada é crime. Apague essa ideia. Vida e fogo não combinam. Denuncie”, alerta o cartaz da campanha.

O gerente da Sedam em Cerejeiras ressaltou que, entre outras ações, o órgão vem atendendo todas as demandas da comunidade, seja empreendimentos rurais, empresariais e licenciamentos. Lembrou que está em andamento um projeto de criação do viveiro de mudas para recuperação o rio Araras, que abastece toda a cidade de Cerejeiras. O trabalho está sendo articulado em parceria com a Prefeitura. “Suas nascentes estão desmatadas e assoreadas, precisando ser cuidado e preservado”, explicou o gerente.

Fonte: Sedam-RO