CPI da Covid aprova reunião com Witzel e convoca Google, Facebook e Twitter

Ex-governador do Rio afirmou à comissão que tem informações importantes, mas só as passará em um encontro secreto

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (23) a convocação de representantes das companhias Google, Facebook e Twitter e a marcação de uma reunião secreta com o ex-governador do Rio, Wilson Witzel.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor das solicitações de convocação às empresas, considera que as empresas estão sendo coniventes com discursos negacionistas que acabam prejudicando o combate à pandemia de covid-19 no país.

reunião secreta de Witzel foi um pedido de Randolfe após Witzel dizer na CPI que tinha informações importantes para passar, mas, pela gravidade do que tinha para falar, precisava passá-las em reunião fechada.

Depoimento adiado

A CPI ouviria nesta quarta-feira o proprietário da Precisa, Francisco Maximiano. A empresa é a importadora da vacina indiana Covaxin.

A Precisa, no entanto, alegou que ele não poderia ir à CPI porque estaria em quarentena após viagem recente à Índia.

A Procuradoria da República abriu uma investigação preliminar para avaliar se houve crime no contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa. O órgão aponta risco temerário no acerto firmado.

Fonte: R7

Sesau define estratégias de vacinação com representantes dos 52 municípios em RO

A reunião aconteceu no Rondon Palace Hotel, e foi coordenada pelo Secretário do estado da Saúde, Fernando Máximo.

A continuidade da vacinação contra a covid-19 dos grupos prioritários elencados no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (PNO) e início da vacinação da população geral de 18 a 59 anos de idade foram temas discutidos durante a 5ª reunião ordinária da Comissão Intergestores Bipartite de Rondônia (CIB), na manhã desta quinta-feira (17), no Rondon Palace Hotel, em Porto Velho.

O evento foi aberto oficialmente pelo gestor da Secretaria de Estado da Saúde, Fernando Máximo, que juntamente com técnicos da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), debateu com representes das Secretarias de Saúde dos 52 municípios rondonienses sobre as estratégias adotadas para viabilizar a vacinação contra a covid-19, bem como a transparência dos dados para a população.

Durante o evento, como ações da Agevisa foi proposto aos representantes da Saúde nos municípios, a vacinação dos trabalhadores da Educação com o imunizante da farmacêutica Janssen, além de reforçar a necessidade de maior agilidade e transparência no Estado relativa à campanha nacional de vacinação contra a covid-19 dos grupos prioritários previstos no PNO. “Dar transparência aos dados tem sido uma de nossas maiores dificuldades, no entanto hoje os municípios trouxeram todas as principais dificuldades que enfrentam para que possamos reverter essa situação”, disse Edilson Silva, diretor executivo da Agevisa.

O coordenador de Imunização da Agevisa, Ivo Barbosa explicou que os critérios para informar o percentual de vacinados deve considerar o público prioritário e não a população geral de Rondônia, descrita no IBGE.

O secretário da Sesau, Fernando Máximo conduziu a reunião e orientou os representantes dos municípios a seguirem o atendimento aos públicos previstos no PNO. “Não é adequado somente que se baixe a faixa etária para os atendimentos, é preciso cumprir a sequência do público indicada pelo Ministério da Saúde e ter o cuidado minucioso quanto à reserva das segundas doses, para evitar transtornos futuramente”.

Em Rondônia atualmente estão sendo contemplados os seguintes grupos prioritários: pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento e forças armadas (restrita aos profissionais nas ações de combate a covid-19) e trabalhadores de transporte aéreo.

No entanto, devido a importantes impactos ocasionados na Educação, inclusive aos grupos sociais menos favorecidos e que tem por exemplo, dificuldade ou mesmo inviabilidade para a adesão ao ensino à distância, está sendo apresentada a proposta de antecipar a vacinação dos profissionais que atuam neste seguimento. Para o grupo de trabalhadores da Educação deve ser seguida a seguinte ordem de prioridade: creches, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, ensino profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA) e na sequência, os trabalhadores da Educação do ensino superior.

Ao mesmo tempo, será iniciada a vacinação da população geral (18 a 59 anos), de maneira escalonada e por faixas etárias decrescentes até o atendimento geral da população acima de 18 anos. Os municípios que não apresentam demanda ou tenham demanda diminuída para vacinação dos grupos com maior vulnerabilidade e trabalhadores da Educação poderão pactuar em CIB, a adoção imediata da estratégia de vacinação segundo a faixa etária em ordem decrescente de idade garantindo o percentual para continuidade da vacinação dos demais grupos prioritários.

Fonte: Secom-RO

Município fará estudos de viabilidade de atendimento de demandas dos taxistas da capital

As demandas foram encaminhadas para os estudos técnicos que serão analisados.

Representantes do Sindicato dos Taxistas e dos Transportes Escolares, Turísticos e Fretamento (Sintax) participaram de reunião, nesta quarta-feira (02), no Prédio do Relógio, sede da Prefeitura Municipal, onde apresentaram diversas reivindicações. Ao final do encontro, a categoria foi informada que as demandas serão avaliadas sobre a viabilidade de cada uma.

A pauta de reivindicações foi apresentada pelo presidente da Sintax, Francisco Ferreira dos Santos, o “Chiquinho”. Também participou da reunião o vereador Paulo Tico.

O grupo foi recebido pelo secretário-geral de Governo (SGG), Fabricio Jurado e pelo secretário-adjunto Devanildo Santana.

Os taxistas pediram que seja promovida a anistia das multas relacionadas ao táxi-compartilhado, de 2018 a 2021, ou Programa de Recuperação Fiscal (Refis) de 90%; redução do Imposto Sobre Serviços (ISS) de cinco para duas UPFs e outras isenções.

“Sabemos que a categoria está sendo muito afetada durante a pandemia de Covid-19. As demandas foram encaminhadas para os estudos técnicos. Vamos analisar a viabilidade de atendimento muito brevemente”, disse Jurado aos taxistas.

A pauta foi apresentada ao prefeito Hildon Chaves, que acionou as Secretarias Municipais de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran) e da Fazenda (Semfaz) para que apresentem as análises sobre as reivindicações o mais breve possível ao seu Gabinete.



Fonte: Comdecom

Projeto de construção do porto graneleiro é apresentado ao Município

A empresa responsável atua na área de logística, transporte e escoamento de grãos e fertilizantes.

O prefeito Hildon Chaves participou de reunião com representantes da empresa multinacional Hidrovias do Brasil nesta quinta-feira (27), no Prédio do Relógio, sede do poder executivo municipal. Na ocasião, ele conheceu o projeto de construção do porto graneleiro da capital. A companhia atua na área de logística, transporte e escoamento de grãos e fertilizantes.

Com investimentos de R$ 100 milhões e estimativa de geração de 500 empregos durante a fase de construção, e mais 127 empregos efetivos da parte operacional, o porto será construído a 30 quilômetros do centro urbano de Porto Velho, no Ramal Saraiva, numa área denominada “Zona de Urbanização Portuária” (ZUEP).

O empreendimento contará com estruturas de grande porte na terra e no rio. Em terra será construída uma ponte de acesso ao rio Madeira, amostragem, balança rodoviária, área administrativa, portaria, área de descanso para os caminhoneiros e sala elétrica com transformadores de energia.

Para a parte do rio está previsto no projeto a construção de uma balsa, instalação de um guindaste, uma moega, quatro conjuntos de amarras e poitas, sistema de movimentação das balsas de grãos e fertilizantes, geradores com sistema de distribuição de energia, dois tombadores de caminhões e correias transportadoras de correntes.

“Pretendemos estar em operação, se conseguirmos avançar todas as etapas, em fevereiro de 2023”, anunciou Gleize Gealh, diretora-geral do Norte, da Hidrovias do Brasil.

Além do prefeito Hildon Chaves e dos representantes da empresa Hidrovias do Brasil, o secretário-geral de Governo, Fabrício Jurado, e o secretário-adjunto Devanildo Santana também participaram da reunião no gabinete do prefeito.

Fonte: Comdecom

Representantes da Defesa Sanitária Animal assinam acordo para fortalecer ações de fiscalização

A Reunião aconteceu entre as três agências de defesa que foram: Rondônia, Acre e Amazonas.

O fortalecimento das ações de fiscalização de trânsito de animais na divisa de Rondônia com os estados do Acre e Amazonas foi destaque na última quinta-feira (6), em Manaus, durante reunião entre representantes das Agências de Defesa Sanitária Animal dos três estados.

Dentre outras deliberações, a Agência de Defesa Sanitária Agrossilvopastorial (Idaron) de Rondônia, Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) do Acre, assinaram termo de cooperação para o compartilhamento de estruturas e banco de dados, a fim de facilitar a troca de informações entre as entidades e permitir maior cooperação entre as agências, no que se refere a fiscalização de trânsito animal.

“A equipe de Rondônia e do Acre foi à Manaus para alinhar as ações entre as três agências. Tratamos de muitos assuntos, mas a questão da divisa territorial foi destaque. Como o sul do Amazonas integra o Bloco I, sendo reconhecido nacionalmente como área livre de febre aftosa sem vacinação, a Adaf se prontificou em participar com a Idaron e Idaf de uma estratégia de sincronização de ações fiscalizatórias e compartilhamento de dados para fortalecer o trabalho que já é desenvolvido na região”, explicou o presidente da Idaron, Julio César Rocha Peres.

Fonte: Idaron

Empresários apresentam sugestões para fortalecimento do setor da economia na capital

Essa foi a 10ª reunião virtual com setores produtivos que buscam Propostas para melhorias no pós-pandemia.

Encontros são virtuais com foco no fortalecimento da economia
Encontros são virtuais com foco no fortalecimento da economia

A Prefeitura de Porto Velho segue ouvindo os empresários na busca pelo fortalecimento da economia local após o controle da Covid-19. Na última semana (16), integrantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial e Empresarial de Porto Velho (ACEP) e Federação do Comércio (Fecomércio) sugeriram importantes contribuições durante o Encontro com o Setor.

A presidente da CDL, Joana Joanora das Neves, destacou a importância da reunião coordenada pela Agência de Desenvolvimento de Porto Velho (ADPVH) e a vontade do prefeito Hildon Chaves de organizar a cidade e promover melhor qualidade de vida para todos.

Ela indicou a necessidade de implantação de medidas capazes de gerar mais eficiência e viabilizar um ambiente de negócios que contribua para reaquecer o comércio. Joanora disse é necessário organizar os centros comerciais para atrair clientes.

Representante do comércio imobiliário, Abraão Lima reforçou que segurança pública também é uma oportunidade de melhoria.

Por sua vez, o presidente da ACEP, Vanderlei Oriani, recomendou melhorias na sinalização e paisagismo, especialmente as vias principais.

Segundo o diretor técnico da ADPVH, Guilherme Gonzales, é muito importante que os segmentos empresariais participem deste processo e que manifestem suas sugestões.

Gonzales acrescentou que a gestão do prefeito Hildon Chaves apoia as demandas que ajudam melhorar a cidade e o fomento da economia.

“Estas contribuições são muito valiosas. É importante entender como o serviço público, a partir da experiência dos empresários, pode colaborar para uma gestão municipal mais eficiente para todos os munícipes”, declarou.

SETORES

Essa foi a 10ª reunião virtual com setores produtivos que formam a economia de Porto Velho. Em encontro anteriores, a Prefeitura ouviu os segmentos da construção civil, educação, hotelaria e turismo, bares e restaurantes, lojistas, setor de vestuário, conselhos profissionais, bebidas e academias.

Os próximos serão os seguintes:

Dia 11 de maio – Setor agropecuário

Dia 12 de maio – Indústria de Base – madeira e móveis

Dia 13 de maio – Metal e autopeças

Dia 14 de maio – Supermercados e atacadistas

Dia 18 de maio – OAB/RO

Dia 20 de maio- Saúde e beleza

Dia 25 de maio – Setor de gráficas

INSCRIÇÕES

Para participar das reuniões remotas é necessário fazer a inscrição com antecedência. Para tanto, basta acessar o link aqui.

Fonte: Comdecom

“Operação Verde Brasil 2″ conclui ações com quase mil intervenções nas áreas de proteção ambiental

Atuação ocorreu em todo Estado de Rondônia, em 16 localidade do Acre e 13 pontos geográficos do Sul do Amazonas

Governo de Rondônia trabalhou por meio da Sedam e do Batalhão da Polícia Ambiental

Na manhã desta terça-feira (4), representantes da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), dirigentes do Exército Brasileiro e demais instituições estaduais, municipais e federais deram entrevista coletiva sobre o balanço final da “Operação Verde Brasil 2”. Na ocasião, foram abordadas várias atividades deflagradas pelos agentes de fiscalização, a exemplo de combate a incêndio e apreensões de madeiras ilegais em terras federais e Territórios indígenas.

A ação, que se caracteriza como repressiva e preventiva, há mais de 350 dias sob o comando da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Dda. Inf. Sl.), atuou em diferentes localidades de Rondônia e regiões vizinhas como no Acre e Sul do Amazonas.

Além das ações já mencionadas, outras práticas mais intensificadas foram aplicadas pelos integrantes da Operação Verde Brasil 2, como o combate à extração de madeira, que resultou na apreensão de 56.745,519 m (cinquenta e seis mil, setecentos e quarenta e cinco e quinhentos e dezenove metros cúbicos), encontradas entre as 94 madeireiras visitadas na região. Já, como forma de evitar o avanço do desmatamento na floresta amazônica, foram combatidos 356 focos de incêndios em uma área de mais de 54 mil hectares, resultando em multas e infrações para os responsáveis pela ilegalidade.

Durante a ação, ao todo, foi designado um efetivo de 1.255 pessoas entre homens e mulheres, na função de militares e agentes civis. Além da 17ª Brigada e a Sedam, outros órgãos e departamentos públicos atuaram em diversas equipes compostas pela: Força Área Brasileira (FAB), Marinha do Brasil, Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Fundação Nacional do Índio (Funai), Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Cenispam), Polícia Militar (PM) o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia (CBM), Defesa Civil do Estado e demais entidades públicas do Amazonas e Acre.

BALANÇO DA AÇÃO

Durante as ações realizadas de maio de 2020 a 30 de abril de 2021, no geral, foram obtidos os seguintes resultados:

  • número de ações: 919;
  • número de incêndios combatidos: 356;
  • aérea embargada de incêndios: 54.777,33 hectares;
  • prisões: 44;
  • termos de infração e multas: 454;
  • madeireiras visitadas: 94;
  • apreensões de madeiras: 56.745.519 metros cúbicos;
  • embarcações apreendidas: 74;
  • veículos apreendidas: 81;
  • armas e munições apreendidas: 33 e
  • apreensão de drogas: 16,250kg.

Além destas apreensões, outros produtos e equipamentos para prática ilegal foram retidos pelas equipes de fiscalização. Só na região que corresponde Rondônia, desempenharam-se atividades em 47 localidades de proteção ambiental, entre terras indígenas e reservas extrativistas e biológicas; 16 locais no Acre e em 13 pontos geográficos do Sul do Amazonas. Nos casos de incêndios, teve aplicação de multa no total de R$ 359.882.095,01, e, da madeiras apreendidas, inserção de multa no valor de R$ 100 milhões.

Outras Ações Cívicas Sociais (ACISO) e de conscientização também foram desencadeadas em distritos e comunidades adjacentes às Bases de Operações, por meio de atendimentos médicos-odontológicos, prevenção à saúde, exames e distribuição de medicamentos.

A Operação Verde Brasil 2 teve como objetivo realizar ações preventivas e repressivas contra crimes ambientais, por meio do combate ao desmatamento ilegal, além de incêndios em regiões de fronteira, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental e áreas pertencentes à Amazônia Legal.

O encerramento desta ação foi estabelecido para o dia 30 de abril deste ano, também por meio do Decreto Presidencial nº 10.539, de 4 de novembro de 2020.

No ano de 2019, foi deflagrada também uma operação com o mesmo nome, em vários Estados do país com objetivo de diminuir os princípios de queimadas e grandes focos de incêndio em diversas regiões de Rondônia.

Fonte: Sedam

Governo se reúne com representantes de laticínios e produtores de leite em busca de solução para a crise no setor leiteiro em RO

A reunião ocorreu no auditório do Palácio Rio Madeira.

Governo de Rondônia garante avanço no entendimento entre indústrias de laticínios e produtores do setor leiteiro

O Governo de Rondônia garantiu a abertura de um diálogo entre produtores rurais do setor leiteiro e das indústrias de laticínios com intuito de buscar uma solução para o impasse que estava gerando a crise do leite no Estado. Logo no início da semana, o Poder Executivo intermediou uma reunião, realizada na segunda-feira (26) visando buscar um acordo e, consequentemente, resolver o impasse instalado na cadeia produtiva do leite no Estado. A reunião ocorreu no auditório do Palácio Rio Madeira, conduzida pelo superintendente Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Sérgio Gonçalves.

Conforme destacado pelo superintendente da (Sedi) a interveniência do Governo do Estado foi necessária para a proposição de encaminhamentos em função da situação enfrentada pelos produtores de leite do Estado, que tiveram o preço do produto entregue aos laticínios reduzido e estavam mobilizado em uma paralisação. De um lado, estavam os representantes dos laticínios por meio do Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Rondônia (Sindileite). Do outro, os produtores, representados pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro) e pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon).

A interveniência do Governo do Estado garantiu que as discussões evoluíssem se chegando a um termo com proposta apresentada pelos representantes das indústrias de laticínios que chegou a ser questionada pelas federações, mas a cada momento a pauta evoluía para o fim do bloqueio causado pelos produtores de leite.

Todo o impasse entre indústria de laticínios e produtores do setor leiteiro teve início em meados de fevereiro deste ano, devido ao preço que passou a ser pago pelo litro de leite. Como não se chegava a um  avanço nas negociações entre as categorias e a situação estava se agravando. Para não permitir um maior agravamento, o Governo de Rondônia atuou com eficiência e garantiu o encontro de representantes das categorias.

Foram mais de 5 horas de reunião, quando o Sindileite apresentou um valor que seria garantido na compra do litro de leite para colocar fim ao impasse sendo rejeitado pelas federações que representam os produtores. Os representantes das indústrias de laticínios chegaram a apresentar outra proposta estabelecendo então garantias para o produtor de leite, com o valor de referência do Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite do Estado de Rondônia (Conseleite-RO) com acréscimo de R$ 0,05 (cinco centavos) no período de 90 dias. No caso deste mês de abril, por exemplo, o valor de referência do Conseleite é de R$ 1,2560. Com o acréscimo de R$ 0,05, ficaria R$ 1,3060 o valor mínimo que será pago pelo litro de leite.

Mesmo ponderando quanto à proposta apresentada pelas indústrias, representantes da Fetagro e Faperon concordaram com o pedido feito pelo Governo do Estado quanto a permitir com que cada produtor pudesse ter garantida a livre manifestação de poder negociar diretamente com as indústrias, ou seja, garantindo o direito ao produtor poder negociar diretamente o produto com os laticínios, partindo do valor apresentado pelo Sindileite.

O produtor rural Rogério José ressaltou a importância da interveniência do Governo do Estado em busca de uma solução para o impasse que vinha mais de um mês atingindo o setor. “Tudo o que queríamos era ser ouvido. O Governo do Estado colocou frente a frente os representantes das indústrias e os dos produtores de leite e isso foi fundamental para iniciarmos a conversa. Não chegamos ao que pretendíamos, mas percebemos que avançamos pois antes, as indústrias queriam pagar pouco mais de R$ 0,60 pelo litro de leite. Depois da reunião, foi apresentada a proposta que hoje chega a R$ 1,30 o litro. A ação do Governo foi importante nesse processo de discussão”, disse o produtor que enfatizou a cadeia produtiva do leite do município de Machadinho do Oeste.

Quanto ao momento de greve que estava ocorrendo em alguns pontos do Estado, Rogério José, disse que logo após a reunião proposta pelo Governo do Estado, voltou a reunir-se com a categoria e deixou claro que a proposta não era a que eles reivindicavam, mas destacou o avanço nas negociações. Rogério garantiu que a paralisação dos produtores que ocorreu em alguns pontos da BR-364 foi desfeita. “Chegamos a um acordo de que cada um irá negociar diretamente com as indústrias, partindo do valor apresentado na reunião”, disse o produtor, enfatizando que os produtores contrários à proposta irão manter a paralisação dentro de suas próprias propriedades.

A reunião contou com a participação dos deputados estaduais Chiquinho da Emater e Jhonny Paixão, representando a Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia; do Secretário de Estado da Agricultura, Evandro Padovani; do diretor-presidente da Emater, Luciano Brandão; Secretário de Estado de Finanças, Fernando Luís; do presidente da Faperon, Hélio Dias; da presidente da Fetagro, Alessandra Lunas; superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) José Valterlins e dos representantes do Sindileite/RO.

Fonte; Secom

Hildon Chaves se encontra com representantes dos taxistas em Porto Velho

Prefeito destacou a importância da parceria com a categoria. Também durante reunião foi debatida a regulamentação do serviço de táxi compartilhado.

Representantes dos profissionais taxistas de Porto Velho foram recebidos em audiência pelo prefeito Hildon Chaves, na terça-feira (27). Os trabalhadores apresentaram demandas e defenderam um amplo debate para regulamentar o serviço de táxi compartilhado.

Participaram da audiência representações de associações que atuam no Aeroporto Internacional, na Rodoviária, no serviço comum de táxi e no táxi compartilhado.

O prefeito destacou que a parceria com a categoria é importante para garantir a legalidade e segurança no serviço prestado à população. “As medidas tomadas pela Prefeitura combatem fortemente o transporte pirata de passageiros. Mas, precisamos do apoio dos representantes da categoria para construir um novo caminho e garantir segurança aos usuários do serviço”, disse o prefeito.

Na reunião foi tratada também a viabilidade da regulamentação do táxi compartilhado, modalidade que ainda não é reconhecida no Município. O assunto será objeto de novos debates e estudos.

“A sociedade tem um grande respeito pela categoria dos taxistas. E é com o apoio desses profissionais que a Prefeitura continuará a construir o caminho para manter, de forma efetiva, o transporte da capital”, finalizou o prefeito.

Fonte; Comdecom

Encontro de representantes de hotelaria e turismo discutem sobre retomada econômica na capital

O assunto foi tratado em encontro virtual promovido pela Prefeitura de Porto Velho.

A atualização do Plano de Turismo e a reativação do Conselho de Turismo foram itens indicados por representantes dos setores de hotéis e viagens como mecanismos que vão contribuir para a retomada da economia no período que virá após o controle da pandemia de Covid-19. O assunto foi tratado em encontro virtual, quarta-feira (7), promovido pela Prefeitura de Porto Velho.

A reunião faz parte de uma série que a Agência de Desenvolvimento de Porto Velho programou para dialogar com segmentos do setor produtivo em busca de contribuições para proporcionar um ambiente positivo nos negócios na fase pós-pandemia.

O estabelecimento de políticas públicas necessárias para superar o impacto causado na economia por conta das medidas de isolamento social em vigência é tratado como essencial pelo prefeito Hildon Chaves. A Agência de Desenvolvimento se encarrega do diálogo com os setores da classe empresarial para ouvir as demandas e sugestões.

O encontro virtual, de quarta-feira, reuniu representantes dos setores de hotelaria e turismo, além do Sebrae-RO e Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur).

Durante as discussões, foi apontada, também, a necessidade de nova capacitação dos atores que formam a cadeia do turismo no município.

O diretor técnico da Agência de Desenvolvimento de Porto Velho, Guilherme Gonzales, vê contribuições importantes no processo de escuta dos setores. “O que há de mais nobre nestes encontros é entender a percepção dos empresários sobre como o poder público pode melhorar a prestação de serviços no contexto da retomada da economia com renda, trabalho e poder de compras”, explica.

Gonzales acrescenta que a partir deste entendimento com os diferentes setores, a Agência de Desenvolvimento fará o encaminhamento das demandas às secretarias municipais, para que cada uma, dentro de sua esfera de atuação e possibilidades de recursos, possa implementar as melhorias com foco no desenvolvimento econômico e qualidade de vida da população como um todo.


Nesta quinta (8), é a vez do encontro com representantes de bares e restaurantes. Para participar do Encontro Setorial deste segmento, basta fazer uma inscrição acessando o link a seguir: https://www.sympla.com.br/encontro-setorial–bares-e-restaurantes__1172932 . Foram programados 18 encontros com os setores que movem a economia em Porto Velho.

Confira os próximos encontros setoriais:
Lojistas – 13/04 às 16h
Vestuário – 15/04 às 16h
Conselhos Profissionais – 22/04 às 16h
Academias, Pilates – 04/05 às 16h
Bebidas – 05/05 às 16h
Comércio – 06/05 às 16h
Agropecuária – 11/05 às 16h
Indústria de base – 12/05 às 16h
Metal e Autopeças – 13/05 às 16h
Supermercados / Atacadistas – 14/05 às 16h
OAB/RO – 18/05 às 16h
Saúde e Beleza – 20/05 às 16h
Gráficos – 25/05 às 16h

Fonte: Comdecom