EUA não revogarão restrições de viagens devido à variante Delta

Segundo uma fonte da Casa Branca, número de casos no país está aumentando e deve seguir crescendo nas próximas semanas

Os Estados Unidos não revogarão nenhuma restrição de viagem atualmente em vigor “neste momento” devido a preocupações com a altamente contagiosa variante Delta do coronavírus e ao aumento do número de casos de covid-19 no país, disse uma autoridade da Casa Branca à Reuters.

A decisão, tomada após uma reunião de alto escalão da Casa Branca na sexta-feira (23), significa que as restrições a viagens que vigoram há tempos no país e que barraram a maior parte da população mundial de entrar nos EUA desde 2020 não serão revogadas no curto prazo.

“Dado que estamos hoje com a variante Delta, os Estados Unidos manterão as restrições de viagens existentes neste momento”, disse a autoridade à Reuters, citando a variante Delta dentro e fora dos EUA.

“Impulsionados pela variante Delta, os casos estão aumentando aqui, particularmente entre aqueles não vacinados e parece que continuarão a crescer nas próximas semanas”, completou.

O anúncio certamente condena quaisquer tentativas das companhias aéreas norte-americanas e do setor de turismo do país de salvar a temporada de viagens de verão dos europeus e de outros atingidos pelas restrições. As companhias aéreas têm feito lobby há meses junto à Casa Branca pela revogação das restrições.

Os EUA atualmente proíbem a entrada de praticamente todos os que não são cidadãos norte-americanos e que nos 14 dias anteriores estiveram no Reino Unido, nos 26 países europeus que compõem o espaço Schengen, além de Irlanda, China, Índia, África do Sul, Irã e Brasil.

As restrições de viagem foram impostas pelos Estados Unidos pela primeira vez contra a China em janeiro de 2020 para fazer frente à disseminação da covid-19 e outros países foram sendo incluídos na lista com o passar do tempo.

Na semana passada, o Departamento de Segurança Interna dos EUA disse que as fronteiras terrestres do país com o Canadá e o México permanecerão fechadas para viagens não essenciais pelo menos até 21 de agosto, apesar de o Canadá ter anunciado que começará a permitir a entrada de turistas norte-americanos completamente vacinados em 9 de agosto.

Indagado em 15 de julho durante uma aparição ao lado da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, quando os EUA revogariam as restrições impostas à Europa, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que “serei capaz de responder a essa pergunta a você nos próximos dias, o que provavelmente acontecerá”.

Merkel disse que qualquer decisão de retirar as restrições “tem de ser uma decisão sustentável. Certamente não é sensível ter de recuar dela alguns dias depois”.

Os casos de Covid-19 saltaram desde que essa entrevista coletiva foi realizada.

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), Rochelle Walensky, disse na quinta-feira (22) que a média móvel de sete dias de novos casos nos Estados Unidos teve alta de 53% em relação à semana anterior. A variante Delta, originada na Índia, agora responde por 80% dos casos nos EUA e foi detectada em mais de 90 países.

A autoridade da Casa Branca também citou o fato de que, na semana passada, o CDC fez um apelo para os norte-americanos evitarem viagens ao Reino Unido por causa do aumento dos casos.

Mas a autoridade acrescentou: “O governo entende a importância das viagens internacionais e está unido no desejo de reabrir as viagens internacionais de forma segura e sustentável”.

As restrições provocaram pesadas críticas de pessoas que estão sendo impedidas de encontrar entes queridos.

A porta-voz da Casa Branca Jen Psaki disse na sexta-feira que as viagens internacionais são “algo que todos nós gostaríamos de ver –não somente pelo turismo, mas para que famílias se reúnam”.

Mas ela acrescentou que “dependemos dos conselhos médicos e de saúde pública sobre quando determinaremos que mudanças sejam feitas”.

O governo Biden se recusou a anunciar critérios que levariam a reduzir restrições e não informou se retirará restrições de países individualmente ou se irá se concentrar em aprimorar a análise individual dos viajantes.

A Reuters informou na semana passada que a Casa Branca estava discutindo a possibilidade de exigir a vacinação contra covid-19 de visitantes internacionais, mas nenhuma decisão foi tomada, disseram fontes.

O governo Biden também tem discutido com as companhias aéreas norte-americanas nas últimas semanas sobre estabelecer o rastreamento internacional de contatos para passageiros antes de retirar as restrições.

No início de junho, a Casa Branca lançou grupos de trabalho inter-agências com União Europeia, Reino Unido, Canadá e México para analisar quando eventualmente as restrições fronteiriças e de viagem serão revogadas.

Em janeiro, o CDC impôs testes obrigatórios de Covid para quase todos os viajantes aéreos internacionais.

Fonte: R7

WhatsApp não imporá restrições a quem não aceitar regras de dados

Novas práticas são questionadas por órgãos como a ANPD, o Cade e o MPF

O WhatsApp não imporá mais restrições aos usuários que não aderirem às novas regras de coleta e tratamento de dados que estão em processo de adoção no Brasil e no restante do mundo. As novas práticas da plataforma são questionadas por órgãos como a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e o Ministério Público Federal (MPF).

A nova política foi anunciada no início do ano. Ela envolve o repasse ao Facebook, empresa controladora do WhatsApp, de dados das interações com contas comerciais. A nova política entrou em vigor no dia 15 de maio. Inicialmente, o WhatsApp divulgou restrições e limitações a quem não aceitasse a nova política.

Entre as restrições estavam a impossibilidade de acessar a lista de conversas e a suspensão do envio de mensagens e chamadas para o celular algumas semanas depois, caso o usuário não aceitasse a nova política.

Os órgãos ANPD, Cade e MPF apontaram problemas tanto para a proteção de dados dos usuários quanto para a concorrência do mercado de redes sociais e serviços de mensageria. Pesquisadores e entidades de direitos digitais também se manifestaram questionando a nova política.

Diante dos questionamentos, o WhtsApp se comprometeu a adiar a entrada em vigor das limitações por 90 dias. Agora, abandonou este prazo de três meses e abriu mão de impor tais obrigações.

Em nota à Agência Brasil, a empresa afirmou que, devido à discussão com autoridades regulatórias e especialistas em privacidade, a opção foi por não tornar as limitações obrigatórias.

“Ao invés disso, o WhatsApp continuará lembrando os usuários de tempos em tempos para que eles aceitem a atualização, incluindo quando as pessoas escolhem usar determinadas funcionalidades opcionais, como se comunicar no WhatsApp com uma empresa que esteja recebendo suporte do Facebook”, diz o comunicado da plataforma.

Por Jonas Valente – Agência Brasil

Reino Unido permite retomada de viagens com restrições a vários países

A medida vale a partir de 17 de maio

O Reino Unido permitirá a retomada de viagens internacionais a partir de 17 de maio, após meses de proibição da maioria das viagens ao exterior, mas quase todos os principais destinos foram deixados de fora da lista de países livres da quarentena no retorno.

Apenas 12 países e territórios entraram na chamada “lista verde”, incluindo Portugal, Israel, Nova Zelândia, Austrália e as Ilhas Faroe.

Os quatro principais destinos dos britânicos – Espanha, França, Itália e Estados Unidos – estão entre os que ficaram de fora, irritando companhias aéreas e empresas de viagens que lutam pela sobrevivência. Esses quatro se enquadram na categoria em que é exigido o auto isolamento para aqueles que retornam ao Reino Unido.

A Turquia, outro grande destino de férias, foi adicionada à lista vermelha. Isso exige que os viajantes passem 10 dias em quarentena gerenciada em um hotel no retorno, pago por eles mesmos.

Embora a proibição de todas as viagens internacionais não essenciais esteja suspensa pela primeira vez desde janeiro, o governo disse que as pessoas ainda devem evitar viajar a lazer para países de fora da lista verde.

“O dia de hoje marca o primeiro passo em nosso retorno cauteloso às viagens internacionais, com medidas concebidas acima de tudo para proteger a saúde pública e garantir que não desperdicemos os ganhos que todos lutamos para conquistar este ano”, disse o ministro dos Transportes, Grant Shapps.

Fonte; Agência Brasil

OMS diz que são necessárias novas restrições para combater pandemia

Para diretora da organização, situação na Europa é preocupante

A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu hoje (1º) como “necessárias” novas restrições na Europa devido ao crescente número de casos do SARS-CoV-2, em meio ao avanço da variante britânica e ao aumento da mobilidade pela semana da Páscoa.

“A situação na região é agora mais preocupante do que vimos em vários meses”, disse a diretora regional da OMS para Emergências na Europa, Dorit Nitzan.

“Muitos países estão adotando novas medidas que são necessárias e todos devem segui-las tanto quanto possível”, acrescentou Nitzan.

Em sua opinião, também existem “riscos associados” ao “aumento da mobilidade” e às reuniões neste feriado da Páscoa.

Em nota, do seu escritório europeu, a OMS também chamou de “inaceitavelmente” lento o ritmo da campanha de vacinação no continente.

De acordo com dados da OMS, na semana passada foram registrados 1,6 milhão de novos casos e quase 24 mil mortes no continente, em comparação com menos de 1 milhão há cinco semanas.

Um total de 27 países europeus aplica atualmente restrições de intensidade variável, dos quais 21 impuseram toque de recolher obrigatório. Nas duas últimas semanas, 23 Estados endureceram as medidas para conter a propagação da pandemia, enquanto 13 abrandaram as restrições.

Segundo o diretor regional da OMS para a Europa, Hans Henri Kluge, “agora não é hora de relaxar”.

“Não podemos ignorar o perigo. Todos temos que fazer sacrifícios, não podemos permitir que a exaustão nos derrote. Devemos continuar a conter o vírus”, disse Kluge.

Para ele, na situação atual, a “ação rápida” e a implementação de “medidas sociais e de saúde pública” são necessárias até que avance a campanha de vacinação.

A OMS considerou que as medidas restritivas devem ser usadas “enquanto a doença exceder a capacidade dos serviços de saúde para cuidar adequadamente dos pacientes e para acelerar a provisão dos sistemas de saúde locais e nacionais”. Acrescentou que os casos estão aumentando em todas as faixas etárias, exceto naquelas de mais de 80 anos, que, na sua opinião, mostram “os primeiros sinais do impacto da vacinação”.

A Europa é a segunda região com mais casos de covid-19. O número total de positivos gira em torno de 45 milhões e o número de mortos é próximo a 1 milhão, segundo dados da OMS.

Cerca de 50 países da região já indicaram que a variante B.1.1.7, inicialmente detectada no Reino Unido, é a que predomina em seus territórios.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2,8 milhões de mortes no mundo, resultantes de mais de 128,1 milhões de casos de infecção, segundo balanço feito pela agência francesa AFP.

Fonte: Agência Brasil

Após vetar praias, Rio prepara mais restrições e vai antecipar feriados

Prefeito defendeu organização estadual para definir medidas conjuntas entre municípios da região metropolitana

Depois de fechar o acesso de banhistas e praticantes de atividade física nas praias, vetar o transporte fretado e proibir o estacionamento em toda a orla da cidade no final de semana, o Rio de Janeiro prepara mais restrições e planeja a antecipação de feriados para frear o contágio pelo novo coronavírus. 

Na próxima segunda-feira (22), o prefeito Eduardo Paes (DEM) deverá anunciar quais feriados serão adiantados e quando será a folga. O chefe do executivo municipal também prometeu endurecer as regras de circulação na cidade, especialmente com uma ação coordenada com outras cidades do estado.

“Na segunda-feira, vamos reunir o comitê científico, e vamos anunciar, provavelmente ainda na segunda-feira, medidas mais restritivas, que devem se dar no final da próxima semana. Vamos fazer, conforme anunciamos ontem, a antecipação de feriados, mas virão mais medidas restritivas”, prometeu.

O decreto que proíbe o acesso à areia, o estacionamento na orla e os ônibus fretados vale a partir da meia-noite de sábado (20) e termina na segunda-feira (22) – veja abaixo o que está vetado.

Para as medidas mais duras que serão tomadas surtirem efeito, Paes também falou em união dos municípios da região metropolitana. O prefeito disse que já conversa com o governador do estado, Claudio Castro, e com outros prefeitos para que possam definir essas restrições.

“Se essas medidas que a cidade vai tomar vierem isoladas, serão menos eficazes. Não vou deixar de tomar qualquer medida, porque município A ou B não tomou. Vamos tomar medidas, mas é importante que haja um comando estadual, uma organização estadual, e que haja uma organização com os demais municípios”, disse.

Desde o início da pandemia, a cidade do Rio registrou 216.908 casos confirmados de covid-19 e 19.583 óbitos, segundo dados do boletim divulgado na quinta-feira (18). Por outro lado, 7,3% da população da cidade já recebeu a primeira dose da vacina.

Saiba o que está proibido

– permanecer nas areias das praias, em qualquer horário, incluindo a prática de esportes, o banho de mar. Também está proibido o comércio fixo e itinerante, além da prestação de serviço de qualquer natureza;

– entrada de ônibus e demais veículos fretados na cidade. A exceção são aqueles transportam funcionários de empresas ou levam pessoas para os hotéis. No caso dos turistas, será necessário comprovar reserva de hospedagem;

– estacionar em toda a orla marítima. A exceção à regra vale para moradores, idosos, portadores de necessidades especiais, hóspedes de hotéis e táxis.

– o uso das pistas das avenidas Delfim Moreira, Vieira Souto e Atlântica e de ambos os sentidos das pistas de rolamento do Aterro do Flamengo como áreas de lazer.

Fonte: R7

Governo de Rondônia mantém restrições sociais

.

Todos os municípios na fase 1 do distanciamento social

Não houve alteração nas regras de distanciamento social impostas pelo Governo em Rondônia para enfrentamento ao Coronavírus. Assim continuam valendo por mais 14 dias as imposições de fechamento do comércio no período noturno, a partir das 21 horas (com exceção de restaurantes), toque de recolher a partir do mesmo horário e fechamento de bares e boates entre outros.

Na madrugada deste sábado (27) o Governo publicou uma nova portaria conjunta, assinada por vários secretários, mantendo também todos os municípios na fase 1 do distanciamento social. A justificativa é o aumento de casos de Coronavírus e a completa ausência de leitos de UTI.

Em vídeo postado nas redes sociais, o governador Marcos Rocha explicou que manteve a mesma reclassificação dos municípios após parecer de equipe técnica. Também condenou os que não respeitam as regras, classificando como uma maioria que “não compreendeu a seriedade e a gravidade dessa doença maligna”.

Veja o vídeo:

Brasil proíbe voos da África do Sul para frear nova variante da covid

Veto ocorre um mês após nova linhagem do vírus, mais contagiosa, ser achada. Aviões do Reino Unido seguem impedidos de pousar

O governo federal proibiu a entrada de voos vindos da África do Sul, após a descoberta de uma nova variante do coronavírus SARS-CoV-2, encontrada há mais de um mês e principal razão por trás da segunda onda da covid-19 enfrentada no país. A medida visa frear o avanço da doença no Brasil. A determinação foi publicada na edição desta terça-feira (26) do Diário Oficial da União. 

Os voos vindos do Reino Unido estão impedidos de pousar em solo brasileiro desde o dia 25 de dezembro, também por conta do descobrimento de uma variante do vírus que causa a covid-19. 

Segundo o texto, ficam proibidos, de forma temporária, voos internacionais com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido e pela África do Sul. Também fica suspensa a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros, procedente ou com passagem pelo Reino Unido e pela África do Sul nos últimos 14 dias. 

O viajante que se enquadre nos critérios de exceções, com origem ou histórico de passagem pelos países listados na portaria, devem, ao ingressar em território brasileiro, permanecer em quarentena por 14 dias.

As restrições tratadas na portaria não impedem a entrada de estrangeiros no país por via aérea, desde que sejam obedecidos os requistos migratórios “adequados”. O viajante, segundo o texto, deverá apresentar à companhia aérea, antes do embarque, um documento que comprove resultado negativo para covid-19, feito com o teste laboratorial RT-PCR e nas 72h anteriores ao embarque.

Além disso, o documento deverá ser apresentado em português, espanhol ou inglês, assim como ser reconhecido pela autoridade de saúde do país do embarque.

As penas para quem descumprir os critérios de embarque de estrangeiros podem ir desde responsabilização civil, administrativa e penal, a repatriação, deportação imediata ou inabilitação de pedido de refúgio.

Exceções

As novas regras não se aplicam a imigrante com residência definitiva em território nacional, profissional estrangeiro que trabalhe no Brasil, além de pessoas de outras nacionalidades que sejam funcionárias junto ao governo brasileiro.

Também é permitida a entrada de estrangeiros desde que sejam cônjuge, companheiro, filho, pai ou curador de brasileiro, ou cujo ingresso tenha sido autorizado “especificamente pelo governo brasileiro em vista do interesse público ou por questões humanitárias”. 

A portaria publicada nesta terça-feira é assinada pelo ministro Chefe da Casa Civil, Walter Souza Braga Netto, o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Luiz de Almeida Mendonça, e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Fonte: R7

Em nota, PRF diz que mesmo com Decreto Estadual nenhuma rodovia será fechada em RO

O Governo de Rondônia impõe uma série de restrições para trânsito nesta quarta-feira.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou em nota divulgada nesta segunda-feira (18 ), que nenhuma rodovia federal no Estado de Rondônia está ou será fechada, mesmo com a edição do decreto 25.728, do Governo, que impõe uma série de restrições para trânsito a partir de quarta-feira.

Confira a manifestação da PRF:

As rodovias federais constituem o principal meio de circulação de mercadorias e pessoas em nosso estado. Os produtos essenciais à subsistência, vindos dos grandes centros, precisam passar pelas BRs. Nossa produção agropecuária, nacionalmente conhecida pela excelência, é escoada por meio das rodovias federais. É através das BRs que profissionais das áreas de saúde, segurança pública e diversos outros serviços fundamentais à população circulam de suas residências para os locais de trabalho.

O Decreto 25.728 (15 jan 2021) impõe restrições nas áreas de responsabilidade do governo estadual e das prefeituras municipais, assim, dúvidas sobre as regras de circulação nessas localidades, bem como outros pontos a serem esclarecidos sobre o referido documento legal, devem ser encaminhadas às autoridades diretamente envolvidas.

A Polícia Rodoviária Federal mantém o compromisso, previsto na Constituição Federal de 1988, de garantir a fluidez do trânsito e a segurança viária a todas e todos que necessitarem utilizar as BRs, seja no estado de Rondônia ou em qualquer outro local no território nacional.

Fonte: PRF

Prefeito flexibiliza restrições e disponibilizará medicação para ‘tratamento precoce’

Sebastião Melo, o novo prefeito de Porto Alegre, já iniciou o ano surpreendendo os moradores da cidade…

Melo parece ter ouvido os desejos da população durante a campanha, já que uma de suas primeiras medidas após tomar posse do novo cargo foi um decreto de flexibilização das medidas restritivas relacionadas ao enfrentamento da Covid-19 impostas pelo seu antecessor, Nelson Marchezan e pelo governador do estado, Eduardo Leite.

Com o decreto, missas e cultos estão liberados de cumprir o limite de 90 minutos de duração; bares, restaurantes e lanchonetes, inclusive em shoppings, não têm mais horário definido para abrir e podem oferecer o serviço de drive-thru, tele entrega e pague e leve sem restrição de horário. A flexibilização também acaba como limite de ocupação 50% de frequentadores de comércios de rua.

Logo após a publicação do decreto, Melo anunciou que disponibilizará, na rede pública, a medicação necessária para o chamado ‘tratamento precoce’ da Covid-19.

Segundo ele, seu papel como prefeito não é o de indicar tratamentos, mas, sim, de disponibilizar todos os medicamentos possíveis, entre eles a hidroxixloroquina, azitromicina, invermectina e outras drogas, como zinco e vitamina D, para que os médicos possam tomar a decisão e indicar o tratamento que acreditam ser o mais indicado:

O tratamento precoce é feito em milhares de cidades do Brasil. Não me perguntem se sou a favor ou contra. Compete ao médico receitar, é entre médico e paciente”, disse ele.

Fonte: JCO

Alemanha adota restrições mais duras em batalha contra a pandemia

Regras limitam viagens não essenciais a moradores de algumas áreas

A Alemanha está prorrogando seu lockdown nacional até o fim do mês e introduzindo restrições mais duras em um esforço para conter o surto de infecções pelo novo coronavírus, anunciou a chanceler Angela Merkel nesta terça-feira (5).

“Precisamos restringir o contato de forma mais rigorosa… Pedimos a todos os cidadãos que restrinjam o contato ao mínimo absoluto”, disse Merkel a repórteres após uma reunião com os líderes dos 16 Estados da Alemanha.

As novas regras limitam, pela primeira vez, viagens não essenciais para moradores de áreas afetadas por toda a Alemanha.

Elas restringem o movimento a um raio de 15 quilômetros em cidades e distritos onde o número de novos casos do novo coronavírus é superior a 200 por 100 mil residentes em sete dias.

Membros de qualquer família terão permissão para encontrar apenas uma outra pessoa em público. Isso se compara à regra atual segundo a qual as reuniões públicas são limitadas a cinco pessoas de duas famílias.

Como muitos outros países europeus, a Alemanha está com dificuldades para conter uma segunda onda do vírus. O Reino Unido iniciou seu terceiro lockdown por covid-19 nesta terça-feira, com determinação para os cidadãos ficarem em casa.

Fonte: Agência Brasil