Cemetron retorna com atendimento de doenças tropicais em RO

Atendimento estava suspenso devido à pandemia do covid-19 no estado.

Atividades estavam suspensas por conta do coronavírus em RO

O Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron) retoma todos os atendimentos voltados para as doenças tropicais, que estavam suspensos desde o início da pandemia do novo coronavírus, simultaneamente ao atendimento dos pacientes com Covid-19, que têm uma ala inteira (prédio anexo) com 58 leitos para internação e tratamento na mesma unidade de saúde.

Com a realização de alguns ajustes na área nova (anexo) do Cemetron, que incluem a aquisição de móveis, computadores e outros equipamentos necessários ao trabalho das equipes, há grande expectativa entre os gestores da saúde rondoniense de que haverá uma evolução considerável em todo o sistema, que vai poder prestar um atendimento mais humanizado aos pacientes que necessitam de tratamento especializado à Covid-19.

“O anexo de 58 leitos do Cemetron passará a atender exclusivamente aos pacientes clínicos acometidos pela Covid-19 a partir desta sexta-feira (25)”, disse Maria Orly Lima, destacando que a obra está pronta e que a ala está sendo devidamente equipada para iniciar os atendimentos.

Conforme explicações da diretora adjunta da instituição, psicóloga Maria Orly Lima do hospital, com isso foi possível que o Cemetron retomasse o ritmo normal de atendimento, com o retorno dos pacientes portadores de doenças infectocontagiosas, como tuberculose, HIV, endêmicas e as provocadas por acidentes com animais peçonhentos entre outras, e aqueles que foram deslocados para outras unidades de saúde no início da pandemia do novo coronavírus.

Fonte: Secom-RO

Igrejas e templos de Porto Velho retomam celebrações presenciais

A reabertura das igrejas ficou estabelecida em quatro etapas.

As atividades presenciais nas paróquias e comunidades foram suspensas no dia 18 de março e a retomada foi anunciada no início de agosto. Após quase seis meses com celebrações presenciais suspensas, a igreja Católica em Porto Velho permitiu a retomada das missas com o cumprimento de protocolos sanitários para evitar que os fiéis se contaminem com o novo coronavírus.

A reabertura das igrejas ficou estabelecida em quatro etapas.

Entre as medidas previstas no protocolo sanitário a ser seguido pelos fiéis estão a higienização com álcool em gel, uso de máscara obrigatório e respeito ao distanciamento social.

“O processo segue o decreto do governo e o decreto do município. Nós temos a liberação para ocupar 30%, nós como igreja reduzimos para 25% para evitar qualquer situação que possa trazer transtornos para os nossos irmãos e irmãs que frequentam”, explicou o arcebispo de Porto Velho Dom Roque Paloschi.

De acordo com o arcebispo, cada paróquia define o processo de retomada. Na catedral, cinco missas já foram realizadas no domingo (13).

“Participe de sua comunidade, participe de sua paróquia, siga as orientações das autoridades sanitárias, isso é decisivo pra ti e para mim, pra todos nós”, reforçou Dom Roque.

Fonte: G1/RO

Detran-RO retoma exames práticos de direção

Em Porto Velho, os exames práticos de direção veicular estão sendo realizados nas dependências da Feira do Produtor, respeitando todas as medidas sanitárias.

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Rondônia retomou os exames práticos de direção veicular no dia 20 de julho e as aulas técnico-teóricas na modalidade de ensino remoto, para que os Centros de Formação de Condutores (CFCs) voltassem a trabalhar em todo o Estado, respeitando os critérios por fase de cada município.

O diretor geral do Detran Rondônia, coronel Neil Aldrin, explicou que após a deliberação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o Departamento começou a trabalhar no desenvolvimento do portal de educação, que ficou pronto em pouco tempo e já foi disponibilizado aos CFCs no dia 14 de maio.

O curso técnico-teórico na modalidade de ensino remoto, pode ter até 25 alunos por aula on-line, já a aula presencial leva em conta a fase do distanciamento social de cada município, para a cidade que estiver na fase 2, só é permitido quatro alunos por turma, cinco incluindo o instrutor.

Detran Rondônia retoma exames práticos em todo o Estado

O município que estiver na fase 3 de distanciamento social pode formar turma com nove candidatos, mais o instrutor, totalizando dez pessoas por sala de aula.

O controlador regional de trânsito do Detran Rondônia, Francisco Carlos, explica que foram tomadas todas as medidas para garantir a proteção dos candidatos, bem como dos profissionais da autarquia e dos CFCs, durante a realização dos exames práticos, além das medidas de higienização do veículo e das pessoas envolvidas no trabalho. O Detran adotou o agendamento por horário dos CFCs, para evitar aglomerações de pessoas no local da prova.

Para a realização dos exames em Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná e Rolim de Moura, foi elaborado uma pista de teste veicular, com a estrutura necessária. Em alguns municípios, os CFCs utilizam espaços alugados ou cedidos com toda a infraestrutura, como por exemplo na cidade de Machadinho do Oeste que realiza as aulas e exames práticos dentro do recinto do Parque de Exposição da cidade.

Em Porto Velho, os exames práticos de direção veicular estão sendo realizados nas dependências da Feira do Produtor, que oferece a infraestrutura necessária para a realização dos exames e o Detran Rondônia tem trabalhado para oferecer ambientes estruturados aos usuários.

Fonte: Detran-RO

Prefeitura informa sobre Campanha de Vacinação contra raiva animal

De acordo com a secretaria, em Porto Velho, a retomada das vacinações estão previstas para novembro dependendo da situação das ações contra o coronavírus no estado.

A imunização de cães e gatos com a antirrábica é a única preconizada e normatizada no Brasil por intermédio do Ministério da Saúde (MS) que objetiva a prevenção e controle de zoonoses no país. As atividades de vacinação animal devem ser reiniciadas em breve, assim informa a prefeitura por meio da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

De acordo com a Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ), a campanha começará pelos distritos de Extrema e Nova Califórnia. Este é um trabalho da Divisão de Controle de Zoonoses (DCZ).

A idade para aplicação da vacina em cães e gatos para o controle da raiva no município de Porto Velho é a partir dos 3 meses de vida. As aplicações acontecem durante as campanhas de rotina que são realizadas anualmente e ocorrem normalmente todos os dias, das 8h às 18h, na Unidade de Vigilância em Zoonoses, à avenida Mamoré, 1120 – Cascalheira, Zona Leste da cidade.

A DCZ não faz resgate, remove ou abriga animais, apenas captura aqueles que oferecem risco de doenças com alta capacidade de transmissão entre animais e seres humanos relevantes para a saúde pública. A vacina de raiva para cães e gatos é efetuada em massa ou mediante bloqueio de foco epidemiológico, uma estratégia do Programa Nacional de Vigilância e Controle de Raiva no Brasil.

Em Porto Velho, as ações estão previstas para terem início em novembro conforme a real situação do novo coronavírus(Covid-19) no município. A vacinação animal é controlada, aplicada e examinada pelo setor de saúde que tem como objetivo proteger e promover a saúde da população.

As unidades itinerantes de vigilância e controle de zoonoses inauguradas pelo prefeito Hildon Chaves em 2019 para ampliar a cobertura no atendimento a vacinação antirrábica na capital, também estarão à disposição da população.

Fonte: Comdecom

Ford, Toyota e Nissan retomam produção de veículos no Brasil

Marcas estão entre as últimas a continuarem suas atividades no país após a paralisação pela pandemia do coronavírus.

Produção de protetores faciais em fábrica da Ford — Foto: Divulgação
Produção de protetores faciais em fábrica da Ford

Ford, Toyota e Nissan retomaram a produção de veículos no Brasil nesta segunda-feira (22). As fabricantes estão entre as últimas a continuarem suas atividades no país após cerca de 3 meses de paralisação, medida adotada para conter o avanço da pandemia do coronavírus.

Para a Ford, o retorno em Camaçari (BA) será gradual e os empregados que puderem exercer seus trabalhos remotamente permanecerão em regime de home office. Em Taubaté (SP), a retomada será em 1º de julho.

Entre os protocolos adotados estão o uso obrigatório de máscaras faciais e/ou óculos de segurança de acordo com a atividade (ambos fornecidos pela empresa aos funcionários), autodiagnóstico diário de saúde, medição de temperatura corporal e maior intervalo de tempo entre os turnos.

“A aceleração da produção será feita gradualmente, conforme os trabalhadores se ajustarem aos novos protocolos de saúde e segurança e toda a cadeia de fornecedores ganhe velocidade”, disse a marca em um comunicado.

Na Toyota, a retomada é para as unidades de São Bernardo do Campo, que produz peças de reposição e motores, Indaiatuba, que fabrica o Corolla, e Porto Feliz, que produz motores. A fábrica de Sorocaba, que produz Etios e Yaris, retornará no próximo dia 26. Todas ficam no interior paulista.

Para garantir a segurança dos trabalhadores há medição de temperatura corporal diária, disponibilidade de álcool em gel em locais de circulação, sinalizações no piso para distanciamento seguro e uso obrigatório de máscaras (cada um receberá um kit diário com 10 unidades).

Nos refeitórios haverá escalas, os colaboradores sentarão de forma alternada e as refeições serão entregues em porções embaladas (não mais em self service). Para o administrativo, haverá rodízio de trabalho presencial e remoto, e todas as reuniões serão por videoconferência.

No caso da Nissan, o retorno em Resende (RJ) é feito com protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias. Entre as medidas estão uma ferramenta online que permitirá um autodiagnóstico dos funcionários antes de saírem de casa e a organização deles em turnos.

Fonte: G1

Governo publica regras gerais e foca em transporte para prevenir a covid-19

Portaria recomenda medir temperatura para identificar casos suspeitos, mas empresa não é obrigada a testar todos os funcionários para volta ao trabalho

O governo federal publicou no DOU (Diário Oficial da União) desta sexta-feira (19) as orientações gerais para nortear a retomada das atividades econômicas nos Estados e municípios do país. Um dos principais focos é o uso do transporte público para chegar até o trabalho durante a pandemia do novo coronavírus.

A portaria conjunta é assinada pelo Secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco Leal, e pelo ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello.

Trata-se de um protocolo geral, destinado às autoridades e aos órgãos de saúde locais, que vão decidir depois de avaliarem o cenário epidemiológico e capacidade de resposta da rede de atenção à saúde.

Essa espécie de cartilha era esperada por governadores e prefeitos desde que Luiz Henrique Mandetta era ministro da Saúde.

Uma das recomendações diz respeito ao uso do transporte público durante a pandemia. A portaria orienta o distanciamento social e recomenda evitar a formação de aglomerações e filas, no embarque e no desembarque de passageiros; adaptar o número máximo de pessoas no local, estimular o uso de máscaras, limpeza e desinfecção constante dos veículos, fornecer e estimular o uso de álcool gel e dar preferência por ventilação natural. 

A portaria não obriga a testagem de funcionários para a covid-19 como critério para a volta às atividades. No entanto, as empresas que adotarem o procedimento devem seguir as recomendações do Ministério da Saúde.

Grupo de risco

A portaria orienta que os trabalhadores com mais de 60 anos ou que tenham condições clínicas de risco para a covid-19 devem, prioritariamente, permanecer em trabalho remoto ou em “atividade ou local que reduza o contato com outros trabalhadores e o público, quando possível”. 

De acordo com o texto, o grupo de risco é composto por idosos, pessoas com cardiopatias graves ou descompensadas (insuficiência cardíaca, infartados, revascularizados, portadores de arritmias, hipertensão arterial sistêmica descompensada), pneumopatias graves ou descompensadas (dependentes de oxigênio, portadores de asma moderada/grave, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), imunodeprimidos, doentes renais crônicos em estágio avançado (graus 3, 4 e 5), diabéticos, conforme juízo clínico, e gestantes de alto risco.

Casos confirmados no trabalho

Caso funcionários sejam infectados pelo coronavírus, a orientação é de afastamento do doente por 14 dias das atividades presenciais, com apresentação de um documento que comprove a covid-19. O empregador deve assegurar a manutenção do salário durante o afastamento. 

Além de casos confirmados, o afastamento é recomendado para casos suspeitos e pessoas que tenham tido contato com infectados. 

O período de afastamento no último caso deve ser contado a partir do último dia de contato entre os contatantes e o caso confirmado.

A orientação é que as empresas tenham procedimentos de identificação de casos suspeitos, como medição de temperatura na entrada e canais para comunicação com os funcionários, que podem ser realizadas por enquetes, meio físico ou eletrônico, contato telefônico ou canais de atendimento eletrônico. 

A volta ao trabalho fica autorizada com comprovação de exame negativo ou se o trabalhador estiver assintomático por mais de 72 horas. 

Fonte: R7