Derrotado na justiça por Augusto Nunes, Boulos vira réu por invasão ao Triplex de Lula (veja o vídeo)

.

A vida do psolista Guilherme Boulos está cada vez mais complicada

Depois de sofrer uma derrota acachapante na Justiça para o respeitado jornalista, Augusto Nunes, Boulos tem um novo capítulo em seu inferno astral.

A Justiça Federal recebeu a denúncia contra ele e mais duas pessoas acusadas de invasão ao triplex do Guarujá (SP).

Agora, o coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) é réu por causa do ato, ocorrido em abril de 2018, como protesto à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ocorrida na época.

A decisão de receber a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) foi tomada pela juíza Lisa Taubemblatt, da 6ª Vara Federal de Santos (SP).

A magistrada deu dez dias para Boulos oferecer resposta à acusação por escrito.

O psolista terá que arcar com seus atos!Lembre da invasão ao triplex de Lula:

Fonte: JCO

STJ torna Witzel réu por corrupção e prorroga afastamento até 2022

Denúncia do MPF foi aceita por unanimidade pela Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça nesta quinta-feira (11)

Por unanimidade, a Corte Especial do STJ (Superior Tribunal de Justiça) aceitou nesta quinta-feira (11) a denúncia do MPF (Ministério Público Federal) contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, por organização criminosa. Com isso, Witzel se torna réu por corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A Corte Especial também decidiu por unanimidade prorrogar o prazo de afastamento de 180 dias por mais um ano. Witzel não pode, por exemplo, retornar ao Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador do Estado do Rio, e manter contato com outros investigados.

A denúncia foi apresentada pelo MPF no âmbito da operação Tris In Idem, deflagrada pela PF (Polícia Federal) em agosto do ano passado. A ação foi desdobramento da operação Placebo, que investiga corrupção em contratos públicos do Executivo do Rio de Janeiro.

De acordo com o MPF, os alvos do processo foram “pagamentos efetuados por empresas ligadas ao empresário Mário Peixoto ao escritório de advocacia de Helena Witzel. A denúncia também cita “pagamentos feitos por empresa da família de Gothardo Lopes Netto ao escritório da primeira-dama”.

A subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo, afirmou que o grupo atuou de forma semelhante aos dois últimos governadores no Rio, com estrutura e divisão de tarefas em quatro núcleos básicos: econômico, administrativo, financeiro-operacional e político.

Na operação Tris In Idem, foram expedidos mandados de prisão contra o presidente do PSC (Partido Socialista Cristão), Pastor Everaldo, e o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Lucas Tristão. O então vice-governador do Estado, Cláudio Castro (PSC) e o então presidente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), André Ceciliano (PT), foram alvos da operação.

Fonte; R7

Ex-prefeito do Rio Marcelo Crivella, vira réu acusado de corrupção

Ele foi preso em dezembro de 2020 e afastado do cargo

A 1ª Vara Criminal Especializada do Rio de Janeiro aceitou ontem (3) denúncia contra o ex-prefeito carioca Marcelo Crivella e outros 25 acusados pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção. Crivella foi preso em dezembro de 2020 e afastado do cargo dias antes de encerrar seu mandato.

Ele é acusado de participar de um esquema de recebimento de propina para beneficiar empresários. A Justiça considerou o conteúdo de colaborações premiadas, trocas de mensagens entre os acusados, planilhas, cheques e fotografias.

De acordo com as investigações, o esquema contava com operadores que agilizavam pagamentos para empresas específicas e interferiam nos processos de licitação, de forma a beneficiar aqueles empresários que assentiam em pagar propina aos acusados.

O caso inicialmente foi analisado pelo Primeiro Grupo das Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio, mas com a perda do foro privilegiado de Crivella, devido ao fim de seu mandato, o processo foi remetido à 1ª Vara Criminal Especializada do Rio.

No dia em que foi preso, em 22 de dezembro, o ex-prefeito disse estar sendo vítima de perseguição política e afirmou que combateu a corrupção na prefeitura.

Fonte: Valéria Aguiar A/B

Justiça de SP desbloqueia R$ 29 milhões do governador João Doria

Desembargadora da 4ª Câmara de Direito Público revogou decisão que bloqueou dinheiro do tucano em processo por improbidade administrativa

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) revogou, nesta segunda-feira (26), o bloqueio de R$ 29,4 milhões em bens do governador João Doria (PSDB).

A ação ocorre em um processo na qual Doria é réu por suspeita de improbidade administrativa quando foi prefeito da cidade de São Paulo.

Doria comentou o desbloqueio: “Acredito na Justiça como sempre acreditei e sempre confiei”, disse.

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo), que iniciou inquérito contra Doria no final de 2018, acusa o governador de ter se utilizado da máquina pública às vésperas das eleições daquele ano para se autopromover, na época em que ainda era prefeito da cidade de São Paulo. O prejuízo aos cofres públicos com os gastos exagerados em publicidade teria sido de R$ 29 milhões.

Em nota, a defesa de João Doria afirmou que acredita na Justiça e lamenta que a citada ação civil pública, que encontrava-se sem movimento desde julho de 2019, tenha sido retomada agora, curiosamente às vésperas das eleições municipais, e seja utilizada como arma para ataques infundados contra o governador.

Justiça aceita denúncia e tio vira réu por estupro de menina de 10 anos no ES

Menina engravidou e interrompeu a gestação. Homem foi denunciado pelo Ministério Público no dia em que foi preso.

Tio suspeito de estuprar e engravidar menina de 10 anos no ES foi preso em MG

A Justiça do Espírito Santo aceitou denúncia contra o tio da menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada em São Mateus e ele se tornou réu por estupro de vulnerável. Se condenado, a pena pode chegar a 15 anos de prisão.

O homem de 33 anos foi denunciado pelo Ministério Público do Espírito Santo (MPES) no dia em que foi preso em Betim, em Minas Gerais.

O suspeito está preso no Complexo de Xuri, em Vila Velha. Ele foi indiciado pela polícia por estupro de vulnerável e ameaça enquanto ainda estava foragido.

Aborto em Pernambuco

A menina interrompeu a gestação em Recife, no Pernambuco, por ordem da Justiça.

A saída da criança do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) foi confirmada, mas a data e horário da alta e o destino da menina não foram divulgados.

A família da menina aceitou participar do Programa de Apoio e Proteção às Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vítimas da Violência (Provita), oferecido pelo Governo do Espírito Santo e que prevê apoio como mudança de identidade e de endereço.

Prisão

O tio da menina foi preso no dia 18 em Betim. Depois de preso, o tio foi ouvido pela polícia, mas o teor do depoimento não foi divulgado. “Informalmente” ele teria confessado o abuso aos policiais que fizeram a prisão.

A Polícia Civil do Espírito Santo já recebeu, do Instituto de Genética Forense de Pernambuco, os perfis genéticos do feto e da menina.

Segundo a polícia, os perfis genéticos estão sob análise no Laboratório de DNA da corporação para que sejam feitas as confrontações com o perfil do tio da menina.

Ainda de acordo com a polícia, o material biológico do preso já foi coletado para processamento.

Fonte: G1