Órgãos do AC pedem responsabilização de Bolsonaro por crimes contra a saúde pública na inauguração da Ponte do Rio Madeira

Bolsonaro participou da cerimônia de inauguração sem máscara facial e sem manter o distanciamento social.

O Ministério Público Federal (MPF-AC) e o Ministério Público do Acre (MP-AC) estão pedindo a responsabilização do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) por crimes contra a saúde pública por causar aglomeração e não usar máscara facial durante a inauguração da Ponte do Abunã, no dia 7 de maio, em Porto Velho (RO), sobre o Rio Madeira.

Os órgãos encaminharam uma representação com o pedido de responsabilização do presidente e da comitiva presidencial que esteve no evento para o procurador-geral da República, Antônio Augusto Aras.

Além de causar aglomeração, reunindo centenas de pessoas, Bolsonaro ficou no evento sem máscara, contrariando as recomendações sanitárias para evitar a contaminação pela Covid-19.

Os órgãos destacam que, todos esses desrespeitos aos protocolos de saúde, foram divulgados e registrados tanto pela assessoria do presidente como do governo do Acre.

“Como é intuitivo, as normas sanitárias que obrigam o uso de máscaras faciais e proíbem a realização de eventos que possam causar aglomeração de pessoas objetivam proteger o bem jurídico incolumidade pública (bem jurídico imediato) com reflexo na preservação das condições normais/estabilidade da saúde pública (bem jurídico imediato), notadamente no sentido de não agravamento do nível de patologias preexistente (propagação da pandemia da Covid1-19) em determinado local”, diz parte da representação.

O documento destaca também que houve desrespeito à recomendação dos órgãos ao governo do estado e à Polícia Militar para adoção de providências que impedissem aglomeração durante o evento.

“Sendo assim, observa-se que é inequívoco o descaso do presidente da República, que, mesmo diante de agravada a situação, insiste em desrespeitar as regras de cuidado estabelecidas pelas autoridades sanitárias com vistas a refrear a disseminação do vírus. Não é necessário qualquer tipo de raciocínio avançado para perceber que a ação dos representados ignorou totalmente as medidas destinadas a mitigar a pandemia e estabelecer a segurança necessária para obstar a propagação da Covid-19 nos Estados do Acre e de Rondônia”, argumenta.

A representação assinada pelos procuradores da República Lucas Costa Almeida Dias e Humberto Aguiar Júnior, pelo procurador de Justiça Justiça Sammy Barbosa Lopes e pelo promotor de Saúde do MP-AC, Glaucio Ney Shiroma Oshiro.

Fonte: Assessoria

Ao Vivo: Bolsonaro inaugura Ponte do Abunã sobre Rio Madeira em Rondônia

Com 1.517 metros de extensão, a Ponte do Abunã é a segunda maior em água doce do Brasil. A obra começou em 2014, mas teve diversas paralisações. O investimento total foi de R$ 148 milhões.

  • Acompanhe agora ao Vivo:

A Ponte sobre o rio Madeira foi inaugurada na manhã desta sexta-feira (7) no distrito de Abunã em Porto Velho. Dezenas de moradores acompanharam a cerimônia.

A cerimônia, que contou com a participação de diversas autoridades, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas, o Governador Marcos Rocha e reuniu centenas de pessoas.

A obra é uma das maiores já erguidas pela engenharia na Amazônia. São 1,5 km de extensão e mais de 14 metros de largura. A ponte possui duas pistas de rolagem, acostamento em ambos os lados e passarela para pedestres.

Centenas de pessoas começam a se aglomerar na inauguração da Ponte do Abunã, em Rondônia
Inauguração da Ponte Sobre o Rio Madeira Em RO

Centenas de pessoas começaram a chegar no local da cerimônia de inauguração da Ponte do Abunã, em Rondônia. Muitas não estão respeitando o distanciamento social e causando aglomeração.

A cerimônia estava prevista para iniciar 11h30 (de Brasília).

Após sete anos de espera, as obras da Ponte foram concluídas no distrito de Abunã, em Porto Velho. A ponte vai facilitar o acesso ao estado do Acre, que em 2014, ficou isolado depois que a cheia do rio Madeira alagou boa parte da BR-364.

Fonte: Assessoria

Em Rondônia, Ponte do Abunã sobre o Rio Madeira é inaugurada nesta sexta-feira

Com a presença confirmada do Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas

A Ponte Abunã, sobre o rio Madeira, já está pronta. E a partir desta sexta-feira, ela vai interligar as capitais Rio Branco, no Acre; e Porto Velho, em Rondônia, conectando os acreanos à malha rodoviária federal, pela BR 364.

A rota também vai permitir a conexão com a BR 317, a Transoceânica. A partir daí, será possível chegar até o Porto de Ilo, no litoral peruano, no oceano Pacífico.

A inauguração também contará com a presença confirmada do Presidente Jair Bolsonaro e o Ministro da infraestrutura Tarcísio de Freitas.

O governador Gladson Cameli, aponta a importância da obra para a integração do Acre com o resto do país.

Segundo o DNIT, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, a ponte terá um fluxo diário de cerca de dois mil veículos. A obra vai solucionar também o problema do custo e do tempo utilizado para a travessia do rio Madeira, que era feita por balsas desde a década de 1980. Para o comerciário José Leandro, de Rio Branco, a ponte vai trazer desenvolvimento para a região:

O presidente do Sindicato dos Caminhoneiros do Estado do Acre, Júlio Farias afirma que quem precisa atravessar o rio Madeira com frequência já está satisfeito com a chegada da ponte.

Com 1.517 metros de extensão, a Ponte do Abunã é a segunda maior em água doce do Brasil. A obra começou em 2014, mas teve diversas paralisações. O investimento total foi de R$ 148 milhões.

Fonte; Agência Brasil

Ministro Tarcísio confirma data e presença do Bolsonaro na inauguração da ponte sobre o rio Madeira em Abunã, RO

O anúncio foi dado pela rede social Twitter. A ponte vai facilitar o acesso ao estado do Acre.

Dnit adia para 2020 entrega de ponte entre Rondônia e Acre | GERAL |  Rondonoticias.com.br
Ponte sobre o rio Madeira, em Abunã

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, anunciou pelo Twitter que a ponte sobre o rio Madeira no distrito de Abunã, em Porto Velho, será inaugurada no dia 7 de maio. A ponte, localizada na BR-364, vai facilitar o acesso ao estado do Acre.

A estrutura de quase 2 km de extensão é construída desde 2014 e tem o objetivo de facilitar o acesso ao estado vizinho, que atualmente é feito através de uma balsa. Para a obra foram gastos cerca de R$ 140 milhões.

A estimativa do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) é de que mais de 2 mil veículos passem pela ponte por dia assim que for liberada. A expectativa é de também agilizar e baratear o transporte de mercadorias entre Rondônia e Acre.

“Com certeza as pessoas no Acre vão plantar soja, milho e outras culturas e vai incrementar bem o tráfego da ponte. Estima-se um crescimento no tráfego de 3% a 5% por ano”, disse André Lima, superintendente do Dnit-RO.

Fonte; G1

Equipes da Defesa civil entregam doações para famílias ribeirinhas em Porto Velho

No total, 187 famílias já receberam cestas básicas e mais de dois mil fardos de água mineral

Famílias de agricultores impactadas pela subida no nível do rio Madeira, estão recebendo ajuda da prefeitura de Porto Velho, conforme determinação do prefeito Hildon Chaves.

O auxílio chega em boa hora, na forma de cestas básicas, água mineral, kits de higiene pessoal e hipoclorito de sódio para tratar a água destinada ao consumo, já que muitos poços foram contaminados pela enchente.

Até o momento, conforme o coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil Municipal, Edmilson Hobold Machado, 187 famílias que moram nas comunidades de Bom Jardim, Pau D’arco, Ilha dos Veados, Cujubim, Linha da Amizade e Linha do Estudante, no Médio Madeira, receberam cesta de alimentos. Além disso, foram distribuídos 159 kits de higiene pessoal e 2.176 fardos de água mineral.



Outras famílias necessitadas que moram em outras comunidades também afetadas pela alteração do nível do rio Madeira serão atendidas no decorrer desta semana.

Na quarta-feira (7), por exemplo, será a vez dos moradores da comunidade Brasileira; na quinta-feira (8), o atendimento será em Boca do Jamary; sexta-feira (9), em Itacoã e Boca do Jacu; e no sábado (10), na Vila Calderita.


“No total, de acordo com o levantamento e acompanhamento que fizemos nas áreas de risco, 538 famílias ribeirinhas receberão essa ajuda da Prefeitura com o apoio de empresas e entidades parceiras”, informa Edmilson Machado.

A sede da Defesa Civil de Porto Velho está localizada na Avenida Dom Pedro II, nº 1038, esquina com a Avenida Campos Sales, no Centro da cidade. Além do telefone 199 para atendimento das 8h às 18h, o órgão disponibiliza o telefone celular (69) 98473-2112, que atende durante 24 horas.

Fonte; Comdecom

Corpo de Bombeiros registra redução do nível do rio Madeira nesta quinta-feira

Volume de água do rio Madeira está sendo monitorado desde o dia 17 de fevereiro, deste ano

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM), notou a redução do nível do rio Madeira em 15, 39 metros, na manhã desta quinta-feira (11). A última marca registrada no dia 4 de fevereiro, foi de 16 metros. De acordo com o CBM, essa queda ocorre desde a semana passada e vem sendo acompanhada pelo sistema de monitoramento da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) do Governo Federal, adotado pelo departamento público.

Segundo o comandante do CBM, coronel Gilvander Gregório de Lima, essa indicação se resulta por causa da mudança do volume de água no rio Madeira, ocorrido em outras regiões onde ele atravessa. “Este registro está na chamada ‘conta de alerta’, a qual é determinada pelo plano de contingência preventivo, elaborado junto com os municípios Porto Velho, Nova Mamoré e Guajará-Mirim”, complementa.

O comandante destaca também, que todo trabalho técnico-científico desenvolvido pelo departamento público é realizado diariamente por uma equipe responsável pela fiscalização. A medição do rio começou ainda no mês de fevereiro, quando os órgãos de defesa perceberam um aumento próximo à marca de alerta, que é a partir de 15 metros.

Para fazer o monitoramento, são utilizados equipamentos técnicos, como a chamada “régua”, que tem por objetivo medir a profundidade do rio. Alem disso, o órgão possui um aplicativo da ANA e ainda conta com um programa de análise do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), apontando em tempo real a situação. “Programamos para as próximas ações sobrevoos aéreos, a fim de fazer uma análise ampla e mais visual da região”, comenta coronel Gilvander.

Atualmente, o Poder Executivo tem realizado reuniões permanentes com os municípios que geralmente são atingidos pela enchente do rio, buscando consolidar as estratégias dos planos de contingência de cada região, como o apoio à famílias desabrigadas e desalojadas, em decorrência da cheia.

De acordo com o coronel Gilvander de Lima, no momento, a responsabilidade dessa prática é da gestão de cada município. Somente quando o rio atinge a marca de 17 metros, o Executivo Estadual passa a ter a função de agente fiscal para atender os atingidos , além de apoiar ações da Secretaria de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas), no sentido de atender socialmente às famílias, oferecendo alguns benefícios.

Fonte: Corpo de Bombeiros

Cheia do Rio Madeira começa atingir moradores do bairro Cai n’Água

A Prefeitura de Porto Velho decretou estado de alerta, quando o rio atingiu a marca de 15 metros.

Rua que dá acesso ao Porto Cai n'Água, em Porto Velho — Foto: Marisson Dourado/CBN

O Rio Madeira atingiu a marca de 16,43 metros na tarde de terça-feira (02), segundo monitoramento do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), e as famílias do bairro Cai n’Água, na região central de Porto Velho, começam a sentir o impacto da elevação das águas do rio.

De acordo com Cunha, agente da Defesa Civil de Porto Velho, famílias do Beco do Gravatal, no bairro São Sebastião, já foram retiradas e as regiões do Cai n’Água e o Baixo Madeira, segue sendo monitoradas.

“A gente vem fazendo o acompanhamento e monitoramento intensivo. Todos os dias uma equipe se desloca, não só na área urbana, como também no Baixo Madeira. Alguns lugares [encontram-se] alagados. A gente tá com uma equipe cadastrando as famílias e fazendo o monitoramento de todas elas”, explicou Cunha.

Rio Madeira marca 16,41 metros e fica a menos de um metro de atingir a cota de inundação — Foto: Thaís Nauara/G1
Rio Madeira marca 16,41 metros e fica a menos de um metro de atingir a cota de inundação

O canal Santa Bárbara, localizado entre a Av. Rogério Weber transbordou na manhã de terça-feira (02) e os moradores da região se arriscam ao passar pelas águas, já que, além dos problemas decorrentes da cheia, os moradores ainda enfrentam a ameaça de contaminação pela bactéria Leptospira, que causa a leptospirose.

A Prefeitura de Porto Velho decretou estado de alerta, quando o rio atingiu a marca de 15 metros. O número da Defesa Civil para casos de emergência é o 199.

Estado e município antecipa estratégias para atender famílias atingidas pela cheia do rio Madeira

Dados apurados pelo Comitê da Sala de Situação, que trata do assunto apontam que as cheias devem atingir 1.804 famílias ribeirinhas.

O Corpo de Bombeiros Militar, em parceria com a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Cmpdec) da prefeitura de Porto Velho, já concluiu a programação da estratégia de trabalho para atender as centenas de famílias atingidas pela cheia do rio Madeira, que todo ano ultrapassa os  limites, deixando desabrigados moradores ribeirinhos.

O grupo trabalha com dados atualizados diariamente e por conta disso, pode se antever aos problemas atuando de modo mais eficiente, para evitar transtornos maiores às famílias atingidas por enchentes. O Corpo de Bombeiros está reunindo seus equipamentos, revisando as estratégias de cada equipe envolvida no trabalho e adiantando a parte burocrática, para que as ações comecem o mais breve possível.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Gilvander Gregório de Lima, comenta que o trabalho de monitoramento da Força Militar Estadual e de acordo com os dados fornecidos pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) do Governo Federal. Ele explica ainda que o trabalho é feito de forma exclusivamente técnica, realizando cruzamento de dados entre períodos anteriores, a fim de se elaborar um comparativo de comportamento do rio.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), que compõe a estrutura do Corpo de Bombeiros Militar, fez um levantamento dos últimos oito anos para se obter uma média do nível do rio Madeira. No ano de 2014 (uma das maiores cheias que se tem registro), entre os dias 25 e 26 de fevereiro, o volume de água chegou a marca de 18.53 metros; no ano seguinte, em 2015, foi de 16.57 metros; em 2016, 12.52 metros; em 2017, 13.49 metros;  em 2018, 16.23 metros; em 2019, 16.74 metros, no ano passado, foi registrado 15.47 metros e neste ano de 2021, já passou dos 15.8 metros. A média de volume da água dos últimos oito anos foi de 15.67 metros.

A partir do momento em que o nível do rio atinge a marca de 17 metros, o Governo de Rondônia, por meio do Corpo de Bombeiros ganha a função de agente principal na política de assistência às famílias atingidas, bem como na fiscalização acerca do nível da água. Geralmente a Secretaria de Estado de Assistência e Desenvolvimento Social (Seas) inicia as ações no mesmo sentido, distribuindo água e cestas básicas às famílias e na execução de ações de suporte às pessoas afetadas que precisam de assistência médica periódica.

Dados apurados pelo Comitê da Sala de Situação, que trata do assunto apontam que as cheias devem atingir 1.804 famílias ribeirinhas. Na última terça-feira (23) a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, decretou em Porto Velho estado de alerta. O posicionamento se deu porque o Madeira atingiu a cota de transbordo, que é de 15 metros. O trabalho de assistência às famílias atingidas pelo fenômeno natural é uma ação conjunta de diversas forças públicas. Cada qual no seu setor está responsável por monitorar a movimentação hidrológica para antecipar o atendimento às pessoas.

Fonte: Secom-RO

Iluminação de ponte do Rio Madeira é novamente reativada, após 6 anos

Segundo o prefeito Hildon Chaves, o projeto conta com iluminação de ‘led’ e um sistema moderno e sofisticado na capital.

A Prefeitura de Porto Velho, ativou novamente a iluminação pública da ponte do Rio Madeira, na noite de quinta-feira (13). O trabalho foi realizado pelas equipes da Empresa de Desenvolvimento Urbano (Emdur), em parceria com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT).

A ponte foi inaugurada em 2014, e ficou totalmente na escuridão, por descaso de obras inacabadas, da antiga administração do município. E após 6 anos, voltou a ser iluminada novamente pela gestão de Hildon Chaves.

“São obras de iluminação que transformaram a nossa cidade”, disse, acrescentando que até o final deste ano será inaugurada a iluminação do elevado do antigo Trevo do Roque.

O investimento foi de R$ 875 mil, recursos próprios do Município. O projeto conta com iluminação de ‘led’ e um sistema moderno e sofisticado que permite a mudança de cores em alusão aos meses como novembro azul, outubro rosa e maio amarelo, entre outros.

Para iluminar a ponte no trecho, entre a rotatória do Porto Graneleiro até a entrada da Vila do Dnit, a Emdur instalou 105 postes e a mesma quantidade de luminárias de 150 watts cada, além de implantar duas subestações de 75 kva cada. A obra teve início no dia 4 de julho e foi concluída em tempo recorde.

Fonte: Comdecom

Prefeitura: Ponte sobre rio Madeira receberá iluminação

Após quase seis anos, ponte terá iluminação moderna e com mudança de cores, conforme campanhas de conscientização a cada mês

A Prefeitura de Porto Velho está trabalhando na construção de um moderno sistema de iluminação pública da ponte sobre o rio Madeira. Em completa escuridão há quase seis anos, desde que foi inaugurada em 15 de setembro de 2014, a ponte na BR-319, que liga a capital de Rondônia a Humaitá (AM), terá iluminação que permitirá mudança de cores, para reforçar campanhas de conscientização.

O projeto contempla a iluminação desde a rotatória do Porto Graneleiro até a entrada da Vila DNIT (na margem esquerda do rio) e atende determinações do prefeito. O serviço está sendo executado por equipes da Empresa de Desenvolvimento Urbano (Emdur).

No momento os trabalhos estão na fase de implantação de 120 postes (de fibra, concreto e ferro) onde serão instaladas 120 lâmpadas de led, as quais proporcionam luminosidade mais eficiente e maior economicidade de energia.

Também serão utilizados refletores com lâmpadas coloridas na base dos postes, a serem acessas conforme as campanhas de conscientização de cada mês. “Em janeiro, por exemplo, será luz branca, maio e julho – amarelo, outubro – rosa, março e novembro – azul, abril e setembro – verde”, explica o presidente da Emdur, Ricardo Freire.

Conclusão

Se não houver intercorrência que atrapalhe o andamento dos trabalhos, a obra que teve início no dia 4 de junho será concluída em 90 dias.

“É mais uma obra inacabada deixada pelas gestões anteriores e que está sendo concluída pela atual gestão. Com isso, proporcionamos mais segurança a quem transitar pela ponte no período noturno”, comentou Freire.

A ponte tem 975 metros de extensão e 12 de largura. A obra custou cerca de R$ 200 milhões e demorou 5 anos para ser concluída.

Fonte: Comdecom