Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Concursos oferecem salários de até R$ 16 mil

Com mais de 10 mil vagas, são ao menos 95 certames com inscrições abertas em todo o país. Nesta segunda (10/8), 13 concursos encerram inscrições de 1,4 mil vagas

Ao menos 95 concursos públicos estão com inscrições abertas em todo território nacional. Somadas, são 10.126 vagas para todos os níveis de escolaridade, com salário máximo chegando a R$ 16.338,38.

O vencimento é oferecido pela Prefeitura de Rio Azul, no Paraná, para 18 funções diferentes. O órgão recruta 19 profissionais de todos os níveis de educação formal, além de oportunidades para o cadastro reserva. As inscrições vão até o dia 21/8.

Também no Paraná se encontra o edital que abriu o maior número de chances: a seleção para a Polícia Militar do estado. São 2.400 vagas com exigência mínima de conclusão no ensino médio além de idade máximo de 30 anos de idade para os candidatos e candidatas.

A fim de concorrer aos salários iniciais que chegam a R$ 4,2 mil, os interessados tem até o dia 2 de setembro para realizar a inscrição.

Não há concursos com inscrições abertas especificamente para o DF. Contudo, a expectativa fica por conta da competição para as 1.800 vagas oferecidas pela Polícia Civil, com salários que chegam a R$ 8.698,78. As inscrições começam em 18 de agosto.

Concurso mais aguardado na capital federal, PCDF oferecerá 1.800 vagas para concurseiros

Lista possui mais de 10 mil vagas em concursos públicos abertos Marcos Santos

Fique atento!

Nesta segunda-feira (10/8) se encerram as inscrições às provas de pelo menos 13 certames. São 1.478 vagas para as quais os concurseiros devem se cadastrar até o fim do dia, sendo que 456 delas são para o processo na Prefeitura de Campo Belo (MG), com oportunidades para todos os graus de formação e remuneração de até R$ 8,8 mil.

Reprodução de imagem, prova. Reprodução

De toda forma, nem todas as vagas são para preenchimento imediato. É necessário conferir os editais de cada concurso para saber quantas oportunidades são de provimento imediato e quanto para cadastro reserva.

Confira alguns concursos com inscrições abertas:

Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro (SP)
Níveis médio e superior
Salário máximo: 10.663,50
48 vagas
Inscrições até: 10/8

Prefeitura de Campo Belo (MG)
Níveis fundamental, médio e superior
Salário máximo: R$ 8.850,00
456 vagas
Inscrições até: 10/8/2020

Instituto Nacional de Ciências da Saúde (INCS)
Níveis médio e superior
Salário máximo: R$ 5.200,00
467 vagas
Inscrições até: 11/8/2020

Exército (MA)
Níveis médio e superior
Salário máximo: 10.887,56
19 vagas
Inscrições até: 12/8

Prefeitura de São Bento do Sul (SC)
Níveis técnico e superior
Salário máximo: R$ 14.164,84
Cadastro reserva
Inscrições até: 16/8

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (IFMS)
Nível superior
Salário máximo: R$ 6.289,21
16 vagas
Inscrições até: 16/8

Prefeitura de Goiás (GO)
Níveis fundamental, médio e superior
Salário máximo: R$ 3.140,00
209 vagas
Inscrições até: 17/8

Prefeitura e Câmara de Itamarandiba (MG)
Níveis fundamental, médio e superior
Salário máximo: R$ 12.504,56
131 vagas
Inscrições até: 19/8/2020

Prefeitura de Rio Azul (PR)
Níveis fundamental, médio e superior
Salário máximo: R$ 16.338,38
19 vagas
Inscrições até: 21/8/2020

Comando da Aeronáutica (Guaratinguetá/SP)
Nível médio
289 vagas
Inscrições até: 26/8/2020

Polícia Militar do Paraná
Nível médio
Salário máximo: R$‎ 4.263,67
2.400 vagas
Inscrições até: 2/9/2020

Polícia Civil (DF)
Nível superior
Salário máximo: R$ 8.698,78
1.800 vagas
Inscrições de 18/8 a 8/9

Com ameaça de nova paralisação, motoristas e cobradores esperam por salários atrasados

Os trabalhadores pedem o pagamento dos salários atrasados e vale-alimentação,..

Porto Velho, RO – Ainda com os salários atrasados motoristas e cobradores do transporte coletivo da capital poderá paralisar mais uma vez pelos funcionários das empresas que compõe o Consórcio SIM. Os trabalhadores pedem o pagamento dos salários atrasados e vale-alimentação, além da qualificação profissional. ‘Ninguém é obrigado a trabalhar sem receber’, a afirmação é de motoristas e cobradores ouvidos pela reportagem nesta sexta-feira (24).

Na ocasião, os funcionários que preferem não ser identificados, disseram que a paralisação dos serviços do transporte público é em resposta ao não cumprimento do acordo mediado pelo Ministério Público do Trabalho (RO), entre os empresários do Consórcio SIM, Prefeitura e a categoria. Além dos vencimentos, os trabalhadores alegam suspensão na prestação do serviço de saúde e atraso nos ticket-alimentação e qualificação profissional.

– O clima entre os trabalhadores que retomaram os trabalhos nesta quarta-feira (23), continua tenso mediante a possível paralisação das atividades e ameaças de demissão por parte do Consorcio SIM.

Na última paralisação, os trabalhadores do sistema de transporte coletivo urbano, ‘cruzaram os braços’ por conta do atraso salarial. Com a antecipação de um mês de salário trabalhado (Abril 2020), ainda assim, os trabalhadores não descartam uma nova paralisação da categoria.

Imagem correiodenoticia.com.br

De acordo com os trabalhadores, uma nova audiência entre o Consórcio SIM e a Prefeitura na 1ª Vara da Fazenda Pública, iria definir o novo destino dos trabalhadores. Principalmente a data da quitação dos salários em atraso.

Nos bastidores, os trabalhadores filiados ao Sindicato da categoria (SITETUPERON) criticaram a posição da diretiva da entidade que, em todas as paralisações, ‘tirou o corpo fora do movimento’ ao tornar publico que ‘o Sindicato não tem participação nas paralisações dos trabalhadores em processo de indicativo de greve’.

Luta

 – Em outros tempos, os dirigentes sindicais iam pras ruas, divulgar planilhas de custos e o conteúdo dos  acordos através de panfletagem pela cidade, na tentativa de chamar a atenção das autoridades envolvidas e da sociedade, afirmaram.

Atualmente, segundo os trabalhadores, a diretiva do Sindicato se vale apenas de anúncios em sites e emissoras de rádios de caráter corporativo e de forma aleatória, ‘se imiscuir das responsabilidades com categoria’, com as paralisações relâmpagos para que se pressionem as empresas, causa estranheza esse tipo de atitude dos dirigentes do Sindicato quanto esse jogo de empurra, que só favorece o patronato e a Prefeitura’.

Segundo os trabalhadores, nos últimos 3,5 anos, continuamos lutando por melhores condições de trabalhos, salários atualizados e o cumprimento do último acordo Coletivo de Trabalho (ACT-2019-2020). Além das reivindicações de cobrança de benefícios previstos na CLT e na Constituição Federal; como o ticket-alimentação, assistência médica, odontológica e qualificação profissional. Porém, adiantaram que ‘as paralisações previstas, podem ser retomadas a qualquer momento, ‘não é por reajuste salarial e sim, por recebimento de salários atrasados, arremataram os trabalhadores.

Da Redação/CN | com informações de Xico Nere