China enfrenta pior surto de covid-19 desde março de 2020

Foram registrados 100 novos casos da doença pelo sétimo dia

A China está enfrentando o pior surto de covid-19 desde março de 2020, com uma província registrando aumento diário recorde de casos, ao mesmo tempo em que um painel independente, que analisa a pandemia global, disse que a China poderia ter feito mais para conter o surto inicial.

O tabloide estatal Global Times defendeu, nesta terça-feira (19), a condução chinesa da covid-19, dizendo que nenhum país tinha experiência em lidar com o vírus.

“Olhando para trás, nenhum país poderia ter um desempenho perfeito ao enfrentar um vírus novo. Nenhum país pode garantir que não cometerá erros se uma epidemia semelhante ocorrer novamente”, afirmou a publicação.

A China registrou hoje mais de 100 novos casos de covid-19 pelo sétimo dia. Foram 118 novos casos nessa segunda-feira, contra 109 no dia anterior, informou a autoridade nacional de saúde em  comunicado.

Desses, 106 foram infecções locais, com 43 relatadas em Jilin, um novo recorde diário para a província do Nordeste, e 35 na província de Hebei, que circunda Pequim, segundo a Comissão Nacional de Saúde.

A própria capital chinesa relatou um novo caso, enquanto Heilongjiang, no Norte, teve 27 novas infecções.

Dezenas de milhões de pessoas estão em lockdown, enquanto algumas cidades do Norte passam por testes em massa, diante do temor de que infecções não detectadas possam se espalhar rapidamente durante o feriado do Ano Novo Lunar, daqui a algumas semanas.

Centenas de milhões de pessoas viajam durante o feriado, em meados de fevereiro, e trabalhadores migrantes voltam para suas províncias de origem para ver a família.

As autoridades apelaram às pessoas para que evitem viagens no feriado e fiquem longe de aglomerações, como casamentos.

O surto em Jilin foi causado por um vendedor infectado que viajava da província vizinha de Heilongjiang, local de um foco anterior de infecções.

O número total de novos casos assintomáticos, que a China não classifica como infecções confirmadas, caiu de 115 um dia antes para 91.

O número total de casos confirmados de covid-19 na China continental é de 89.454, enquanto o número de mortos permaneceu inalterado em 4.635.

Um painel independente de especialistas que analisa a pandemia, liderado pela ex-primeira-ministra da Nova Zelândia Helen Clark e a ex-presidente liberiana Ellen Johnson Sirleaf, disse que as autoridades chinesas poderiam ter aplicado medidas de saúde mais enérgicas em janeiro do ano passado para conter o surto inicial.

Também criticou a Organização Mundial da Saúde (OMS) por não declarar uma emergência internacional até 30 de janeiro.

Uma equipe da OMS está atualmente em Wuhan, cidade central da China onde a doença foi detectada pela primeira vez no fim de 2019, para investigar as origens da pandemia que matou mais de 2 milhões de pessoas em todo o mundo.

Fonte: Agência Brasil

Gripe aviária se espalha por diversas regiões no Japão

Surto atingiu 12 prefeituras do Japão

O Japão tem sofrido o pior surto de gripe aviária já registrado no país, que espalhou-se para novas fazendas neta semana, com o vírus tendo sido encontrado em um quarto das 47 áreas administrativas do país, conhecidas como prefeituras, o que levou autoridades a ordenar o abate de aves.

Cerca de 32 mil aves foram abatidas e enterradas na cidade de Sukumo, na prefeitura de Kochi, no Sudeste do Japão, após a descoberta da gripe aviária em uma fazenda de produção de ovos, disse o ministério da agricultura nesta quarta-feira (16).

Mais aves contaminadas foram encontradas em duas fazendas na prefeitura de Kagawa, onde a epidemia começou no mês passado. Desde então, quase 30 mil aves foram sacrificadas por lá, segundo o ministério.

O surto atingiu 12 prefeituras do Japão, e um recorde de 3 milhões de aves foram sacrificadas até o momento.

Embora o ministério afirme que pessoas não podem ser contaminadas pela “influenza” aviária ao comer ovos ou carne de aves infectadas, autoridades de saúde pelo mundo estão preocupadas com a possibilidade de o vírus dar um “salto” para a espécie humana, causando uma pandemia como o novo coronavírus.

O surto no Japão e na vizinha Coreia do Sul é uma de duas diferentes epidemias de influenza aviária que têm atingido aves pelo mundo, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentos e Agricultura e autoridades japonesas.

Tanto a cepa do vírus em circulação na Ásia quanto a que tem se espalhado rapidamente pela Europa tiveram origem em pássaros selvagens, afirmaram.

Fonte: Agência Brasil

Austrália fecha fronteira pela 1ª vez em 100 anos para deter a covid

Na outra ocasião, autoridades fecharam as fronteiras estaduais de Victoria e Nova Gales do Sul em 1919, durante a pandemia de gripe espanhola

A fronteira entre os dois estados mais populosos da Austrália fechou nesta de terça-feira (7) por tempo indeterminado, devido a um surto local de coronavírus.

A decisão marca a primeira vez em que a divisa com a vizinha Nova Gales do Sul foi fechada em 100 anos – autoridades impediram a circulação entre os dois Estados em 1919, durante a pandemia de gripe espanhola.

O número de casos de covid-19 de Melbourne, a capital de Victoria, aumentou nos últimos dias, o que levou as autoridades a imporem ordens rígidas de distanciamento social em 30 subúrbios e a colocar nove torres de moradias públicas em isolamento total.

O Estado relatou 127 infecções novas por covid-19 de domingo (5) para segunda-feira, seu maior aumento em 24 horas desde que a pandemia começou. Uma morte foi registarda, a primeira do país em mais de duas semanas, o que elevou o total nacional a 105.

“É a decisão sensata, a decisão certa neste momento, dados os desafios significativos que enfrentamos para conter o vírus”, disse Andrews aos repórteres em Melbourne ao anunciar o fechamento da fronteira.

Andrews disse que a decisão de fechar a fronteira, que entra em vigor às 23h59 de terça-feira, foi tomada juntamente com o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, e com a premiê de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian. A única outra divisa interna de Victoria, com o estado da Austrália do Sul, já está fechada.

A interdição provavelmente será um golpe na recuperação econômica da Austrália, que ruma para sua primeira recessão em quase três décadas.

A Austrália está se saindo melhor do que muitos países durante a pandemia de coronavírus, já que teve pouco menos de 8.500 casos até o momento, mas o surto de Melbourne causou alarme. O país relatou uma média de 109 casos diários na semana passada – na primeira semana de junho a média foi de somente 9 casos diários.

Fonte: R7