Basa disponibiliza linhas de crédito para Ciência, Tecnologia e Inovação

De acordo com o superintendente regional de Rondônia, Diego Campos, não há como apresentar soluções para o fomento de atividades econômicas sustentáveis na região sem incentivar e financiar o uso de tecnologias.  

A ciência e a tecnologia são grandes motores para o desenvolvimento em diversos setores, inclusive do agronegócio. À medida que a agricultura e pecuária foram se desenvolvendo a necessidade de novas tecnologias foram surgindo, de modo que a utilização delas se tornaram indispensáveis. Além de proporcionar uma maior eficácia em todo o processo do plantio aumentando o nível de produtividade, qualidade e retorno econômico, gera a diminuição dos impactos ambientais.

Diante dos desafios apresentados pela Região Amazônica além da necessidade de suplementar a carência, o Banco da Amazônia (Basa) disponibiliza linhas de crédito voltadas para a inovação, tecnologia e pesquisa na busca por alternativas para a biodiversidade amazônica. De acordo com o superintendente regional de Rondônia, Diego Campos, não há como apresentar soluções para o fomento de atividades econômicas sustentáveis na região sem incentivar e financiar o uso de tecnologias.  

O superintendente informa que os recursos do FNO devem estar voltados ao financiamento dos setores produtivos da indústria, agroindústria, agropecuária, mineral, turismo, comércio e prestação de serviços, inovação, tecnologia e produtos essenciais da biodiversidade, seguidos pelo apoio à infraestrutura econômica da região, com projetos voltados à logística, saneamento, água e esgoto.

De acordo com o Plano de Aplicação de Recursos do BASA para 2021, disponível no site da Instituição, há a linha de crédito FNO Amazônia Rural que oferece financiamento para projetos que objetivam implantar objetos de difusão tecnológica, automação na avicultura, suinocultura e bovinocultura de leite. “Projetos de irrigação e drenagem agrícolas componentes da agricultura de precisão, equipamentos, máquinas e demais tecnologias e métodos de produção que dinamizam e modernizam a produção  que incorporem tecnologias mitigadoras de impactos ambientais, entre outros”, afirma o documento.

Ainda segundo o Plano de Aplicação, dentro dos programas FNO Pronaf, FNO Amazônia Rural, FNO Amazônia Empresarial e FNO Infra, há as linhas verdes a exemplo do FNO Empresarial, Ciência, Tecnologia e Inovação – FNO C,T&I. Esta linha financia atividades para o setor da agroindústria, indústria, turismo e comércio e oferece apoio a desenvolvimento tecnológico, aprimoramento de produtos, desenvolvimento de novos serviços entre outros.
O prazo para investimento em empreendimento de Ciência, Tecnologia & Inovação é de até 15 anos, incluindo o período de carência de até 5 anos, podendo ser elevado a até 20 anos no caso de empreendimentos considerados de alta relevância, desde que devidamente justificado no projeto.

Os interessados em adquirir os recursos anunciados podem acessar o aplicativo simulador do FNO que permite que os usuários simulem suas necessidades de crédito. O aplicativo está disponível nos sistemas iOS e Android para celulares, tablets e desktop. Também podem se dirigir a uma das agências do Banco da Amazônia ou acessar o site www.bancoamazonia.com.br para mais informações sobre como obter financiamento com os recursos da instituição.

Fonte: Assessoria / Lídia Aciole Do Carmo

Prefeitura promove melhoria do gado leiteiro com tecnologia de melhoramento genético

O projeto é em parceria com o Sebrae tem duração de dois anos e deve ser iniciado em até 90 dias.

A Prefeitura de Porto Velho iniciou o processo de seleção e visita técnica às propriedades de pequenos produtores de leite que serão atendidos pelo Projeto Porto Velho Tecnologia (PVHTEC) em parceria com o Sebrae-Rondônia, que tem como foco a melhoria do padrão genético do rebanho leiteiro da capital.

O projeto, que engloba ainda melhorias através da inseminação artificial por tempo fixo (IATF) e fertilização in vitro (FIV), é um dos eixos do Programa Cidade Empreendedora, que é realizado pela Prefeitura com o próprio Sebrae.

No primeiro momento, técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Semagric) avaliam os possíveis beneficiários do programa, que devem possuir o mínimo de conhecimento e estrutura física para obter o resultado desejado. A meta é ampliar a média de 3,4 quilos de leite/vaca para até 25 quilos.

No projeto estão previstos 1.854 procedimentos de Inseminação Artificial por Tempo Fixo e 132 de Fertilização In Vitro, que serão realizados nos animais de 206 propriedades.

De acordo com o secretário adjunto da Semagric, Gustavo Serbino, um protocolo será seguido para que os resultados sejam alcançados na pecuária leiteira em uma mesma área e com baixo investimento pelo produtor. “É genética de ponta e não deve haver perdas. A mineralização, o incremento nutricional e o correto manejo animal promovem um reflexo direto na produção, trazendo ao produtor melhora na renda, sem a abertura de mais pastagens. É um programa sustentável”, explicou.

A expectativa da Prefeitura é contribuir para o aumento da renda dos produtores e beneficiar a produção de agroindústria leiteira. “O melhoramento genético traz vantagens como a organização da propriedade, otimização na utilização da área e a melhoria de manejo. Em curto e médio prazo, trará retorno financeiro ao produtor”, completou Gustavo Serbino.

Outra vertente do Projeto PVHTEC LEITE é combater o êxodo rural partindo do princípio que, com mais renda, é possível fixar o produtor rural na terra.

O manejo nutricional é fundamental para a pecuária leiteira, por isso os técnicos da Semagric continuarão levando ao produtor as melhores técnicas de produção do capim BRS Capiaçu, da Embrapa.

O produtor não terá custos se aderir ao projeto, porém deve comprovar que se encaixa nos quesitos exigidos pelos técnicos como trabalhar com suplementação mineral, ter estrutura, já ser da pecuária leiteira e seguir corretamente as indicações de manejo e nutrição.

O investimento do Projeto é de R$ 500 mil, sendo 50% dos recursos próprios do município e o restante em contrapartida do Sebrae/RO. O projeto tem duração de dois anos e deve ser iniciado em até 90 dias.

Fonte: Comdecom

Polícia Militar começa a operar com 100% em frequência de rádio de comunicação digital em RO

A nova tecnologia fortalecerá na comunicação entre batalhões e unidades da Polícia, contra a criminalidade e mantendo a ordem nas cidades e distritos.

Desde o último dia 21 de julho, o 5º Batalhão de Polícia Militar (5ª BPM), em Porto Velho, passou a operar 100% na frequência de rádio digital. A implantação da nova tecnologia de comunicação, realizada pelo Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), tornará as transmissões de rádio entre as subunidades do Batalhão, Centro Integrado de Operações (Ciop) e demais unidades da Polícia Militar de Rondônia (PMRO), mais ágeis, eficazes, seguras e com maior clareza durante, tanto para emissão quanto recepção das mensagens.

Isso porque os radiocomunicadores digitais conseguem entregar um áudio claro, mesmo em condições adversas, algo que é muito importante para os locais que ficam mais afastados, como é o caso dos municípios de Candeias do Jamari, Itapuã do Oeste e o distrito de Triunfo, que antes da chegada da nova frequência de transmissão, não conseguiam se comunicar em tempo real.

A comunicação através da frequência digital de radiocomunicadores também impossibilita qualquer tentativa criminosa de invasão na rede de rádios da PMRO. O 5º BPM, também chamado de Batalhão Belmont, é comandando pelo major PM Renato Suffi, que agradece e parabeniza todos os envolvidos nesta grande conquista, que é de suma importância para os policiais militares que estão diuturnamente na linha de frente, combatendo a criminalidade e mantendo a ordem nas cidades e distritos.

Fonte: Sesdec

Faria anuncia que TCU analisará edital do 5G em agosto

Após liberação do tribunal o edital será encaminhado para Anatel

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou hoje (14) que o Tribunal de Contas da União (TCU) marcou para 18 de agosto a análise do edital do 5G. Segundo o ministro, após a deliberação do tribunal, em até cinco dias, o edital será encaminhado para publicação pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Faria também disse que as empresas de telecomunicações devem colocar a tecnologia em funcionamento em julho de 2022.

“As próprias empresas de Telecom têm nos garantido que as obrigações do edital, que é colocar nas 27 capitais até julho do ano que vem está mantida. Inclusive, podemos ter até o final deste ano, algumas capitais com 5G funcionando, de acordo com o feedback que eu recebi das empresas”, disse.

O ministro disse que foi informado sobre o agendamento da data pelo relator do processo no TCU, ministro Raimundo Carreiro, e pela presidente, ministra Ana Arraes.

Fonte: Claudia Felczak A/B

Novo sistema da Polícia Federal armazenará dados biométricos

Sistema poderá ter até 50,2 milhões de cadastros em 48 meses

O diretor geral da Polícia Federal (PF), Paulo Maiurino, assinou nessa segunda-feira (5) um contrato para aquisição de novas ferramentas de tecnologia e de identificação biométrica. Chamado de Abis (Solução Automatizada de Identificação Biométrica), o projeto permitirá realizar a identificação de pessoas, bem como o armazenamento biométrico de cidadãos. 

O novo sistema entra em funcionamento já com um banco de dados com cerca de 22 milhões de cadastros. Essas informações constam no antigo sistema que será descomissionado, o Afis (Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais) – utilizado pela corporação há mais de 16 anos é referência internacional na identificação de digitais, sejam elas em cenas de crime ou na procura de pessoas desaparecidas. 

O sistema Abis oferece, com exatidão, cruzamento de dados, consultas de impressões digitais e até mesmo reconhecimento facial. A capacidade inicial é de 50,2 milhões de cadastros únicos, mas pode ser expandida para identificar os dados de até 200 milhões de brasileiros.

O processo de atualização digital tem por objetivo criar um banco de impressões digitais totalmente unificado, que compartilhe os dados já existentes entre as secretarias de Segurança Pública em parceria com a Polícia Federal, com o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

“A pretensão de contar com a ferramenta [Abis] era um projeto antigo do órgão, que tivera pedidos anteriores negados por pendências junto ao Tribunal de Contas da União“, informou, em comunicado, a PF.

A nota informa, ainda, que a aquisição do novo sistema vem acompanhada da chegada de novos equipamentos que serão usados por agentes policiais para realizar o cadastro, fazer análises forenses e colher dados biométricos relevantes para investigações. Entre os novos dispositivos, uma estação portátil de cadastro e consulta de dados biométricos que será usada por papiloscopistas.

Fonte: Agência Brasil

Brasil inaugura primeira antena rural para a internet 5G

Tecnologia funcionará em fase experimental numa fazenda em Mato Grosso

O Brasil já tem instalada a sua primeira antena rural destinada à quinta geração de internet (5G). A tecnologia funcionará, ainda em caráter experimental, na fazenda modelo do Instituto Mato-Grossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT). A expectativa é que, no futuro, quando esse tipo de conexão for disponibilizado em larga escala, ajude o produtor brasileiro a reduzir custos e ganhar produtividade, com o auxílio de drones, chips e GPS [sistema de posicionamento global].

Ao conectar objetos do cotidiano – como eletrodomésticos, smartphones, roupas e automóveis – à internet (e entre si), essa tecnologia permitirá até mesmo a realização de procedimentos médicos delicados a distância, além de sistemas de direção automática de carros e as mais diversas tecnologias de automação e inteligência artificial, inclusive para a agricultura, a indústria e as cidades.

No caso da agricultura, ela possibilitará, entre outras possibilidades, a transmissão em tempo real de imagens em alta definição de plantações para acompanhamento a distância de uma equipe técnica. Máquinas como tratores poderão funcionar de forma mais autônoma. Além disso, informações precisas sobre o comportamento e a saúde de animais poderão ser obtidas de forma bem mais detalhada, bem como sobre as condições climáticas.

Redução de custos e de perdas

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a digitalização do agronegócio reforçará o papel do Brasil como “protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção”, levando, inclusive, cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais de áreas remotas.

Em nota, o Ministério da Agricultura explicou que o monitoramento remoto, a partir de sensores, permite a medição da temperatura e a avaliação das condições hídricas imediatas na plantação. “Em simulação, foi possível acionar a irrigação em determinada área mesmo a quilômetros de distância”, acrescentou.

Durante a inauguração da antena, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse que o leilão das frequências de operação da nova geração de internet móvel trará “melhoria no social, ambiental e na produtividade do agro brasileiro”.

Também presente na inauguração, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que, assim como a quarta geração de internet (4G) revolucionou a vida das pessoas, o 5G vai revolucionar as indústrias. “Para o agronegócio, será um avanço gigantesco. O 5G vai fazer o nosso agro crescer 20% em média”, finalizou.

Fonte: Kleber Sampaio A/B

Digital Day: BB e Sebrae fazem parceria para levar wifi a mil cidades

Ação é parte do programa Wi-Fi Brasil do Ministério das Comunicações

O Banco do Brasil, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Ministério das Comunicações assinaram hoje (5), em comemoração ao Digital Day, um protocolo de intenções para levar internet móvel para mil cidades que ainda não possuem infraestrutura adequada de sinal. A cerimônia foi realizada no Palácio do Planalto, em Brasília.

A iniciativa, chamada de Wi-Fi Brasil, é coordenada pelo Ministério das Comunicações em conjunto com a Telebras. “O governo federal está indo onde ninguém vai. O Marechal Rondon, há 100 anos, tentou conectar a Região Norte com o Brasil. Ainda temos hoje o maior deserto digital lá. Já levamos mais de 14 mil pontos de internet ao longo do Brasil. Temos mais de 10 mil escolas rurais conectadas com o WiFi Brasil”, afirmou o ministro Fábio Faria.

“Com este programa, estamos cuidando com muito carinho dos brasileiros, para que tenham acesso adequado à internet. Este é um verdadeiro trabalho de cidadania”, afirmou Fausto Ribeiro, presidente do Banco do Brasil e cossignatário da iniciativa.

Segundo dados do ministério, mil cidades receberão cerca de 14 mil novos pontos de conexão sem fio. A iniciativa será complementada pelo leilão do 5G, que trará termos de comprometimento com a expansão da conectividade 4G para o interior do Brasil. Essa expansão será custeada pelas empresas que arrematarem as novas frequências.

Tecnologia 5G

Durante o evento, o presidente Jair Bolsonaro acionou simbolicamente a ligação do primeiro ponto de 5G standalone (aquele que funciona nas frequências totalmente dedicadas ao 5G) público do Brasil, no Palácio do Planalto.

O ministro Fábio Faria informou durante o evento que o ministério planeja inaugurar 20 pontos de 5G standalone pelo Brasil, mas as localidades que receberão o serviço ainda não foram reveladas.

Logo após a cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente seguiu para o Congresso Nacional onde participou da abertura da exposição do Digital Day, no Salão Negro da Câmara dos Deputados.

O Ministério das Comunicações criou o Digital Day para mostrar as aplicações do 5G, como na telemedicina, na realidade virtual, na automação mecânica e na inteligência artificial. A exposição do Digital Day é aberta ao público e vai de hoje (5) até sexta-feira (7), no Congresso Nacional.

Confira a cerimônia no Palácio do Planalto:

Fonte: Kelly Oliveira A/B

Brasil é o país com maior número de vítimas de phishing na internet

Levantamento é da empresa de segurança da informação Kaspersky

Em 2020, o Brasil foi o país mais atingido por tentativas de roubo de dados pessoais ou financeiros de pessoas na internet, prática denominada em inglês de phishing. Com essas informações, golpistas prejudicam a vítima de diversas formas, seja acessando recursos ou enganando pessoas se fazendo passar por ela.

O percentual de usuários brasileiros que tentou abrir pelo menos uma vez links enviados para roubar dados representa 19,9% dos internautas do país. Em segundo lugar no ranking de países vem Portugal (19,7%), seguido da França (17,9%), Tunísia (17,6%), de Camarões (17,3%) e da Venezuela (16,8%).

O levantamento foi feito pela empresa de segurança da informação Kaspersky sobre práticas de phishing e spam no mundo. De acordo com a companhia, entre fevereiro e março do ano passado, o número de ataques cresceu 120% no Brasil.

Os golpes foram aplicados por meio de links em mensagens ou sites falsos, que se passam por empreendimentos conhecidos, como grandes cadeias de varejo online – Amazon e outras.

Os exemplos mais comuns foram golpes em que os criminosos enviaram mensagens se passando por essas lojas e pedindo para a vítima contactar as áreas de comunicação com o cliente ou de suporte, com sistemas para roubar dados dos usuários acionados.

Aplicativos de comunicação, especialmente o Whatsapp, tornaram-se os principais canais para aplicar esses golpes. Usuários receberam mensagens com promessas de prêmios com links que levavam a sites falsos destinados a roubar informações da vítima.

Pandemia

O contexto da pandemia também levou golpistas a enviar falsas pesquisas ou mensagens anunciando prêmios ou ajuda financeira a pequenas e médias empresas.  

No Brasil, as tentativas de golpe envolveram diversos aspectos relacionados à pandemia, como o requerimento do auxílio emergencial do governo federal, o cadastro para receber a vacina e o uso do recém lançado sistema PIX.

“Apesar do alto índice, vale destacar uma queda importante em relação a 2019. Naquele ano, mais de 30% dos brasileiros haviam tentado, ao menos uma vez, abrir um link que levava a uma página de phishing, dez pontos percentuais a mais do que em 2020. Isso mostra que as campanhas e alertas sobre esse tipo de golpe têm deixado as pessoas mais atentas, mas não significa que não precisamos evoluir, pois as estatísticas permanecem muito ruins”, avalia Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil.

Outro método empregado pelos golpistas foi a chantagem contra usuários. Esta pode ocorrer com ameaças de liberação de determinados dados ou de uma suposta gravação da vítima com algum comportamento cuja revelação poderia trazer impactos a sua imagem, como assistir vídeos com pornografia.

O relatório registrou casos de chantagem contra empresas também. Os golpistas exigiam pagamentos sob a ameaça de realizar ataques de negação de serviço (DDoS), indicando que teriam informações confidenciais ou estratégicas das empresas.  

Os alvos mais frequentes dos ataques foram as lojas online, com 18,12%. Elas foram seguidas por portais globais de internet (15,9%), bancos (10,7%), redes sociais e blogs (10%) e sistemas de pagamento (8,4%).

Spam

O relatório também analisou a prática de envio de mensagens em massa, conhecida como spam. Em 2020, este tipo de envio representou 50% do tráfego de e-mails. O resultado, no entanto, indica queda de 6.14 pontos percentuais em relação a 2019. No total, foram enviados 183,4 milhões de anexos maliciosos no ano passado.

O país que mais enviou spams foi a Rússia, com 21,27%. Em seguida vêm Estados Unidos (10,47%), Alemanha (10,97%) e China (6,21%). O Brasil foi responsável por 3,26% de ataques do tipo.

Cuidados

Para evitar cair nestes golpes é importante tomar alguns cuidados. O mais importante é evitar clicar em links de mensagens de e-mail, SMS ou redes sociais de pessoas ou organizações desconhecidas.

Caso vá clicar em algum link, é importante conferir o site para onde está sendo direcionado. Caso não tenha certeza de que o site é seguro, o aconselhável é não inserir informações pessoais, especialmente financeiras – número de cartão de crédito, por exemplo.

Fonte: Denise Griesinger A/B

Tecnologia 5G estará disponível em todas as capitais até julho de 2022

Aprovado pela Anatel, edital para o leilão será analisado pelo TCU

A tecnologia do 5G estará disponível em todas capitais brasileiras até julho de 2022. O edital para o leilão do 5G foi aprovado ontem (25) pelo Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que também decidiu pela obrigatoriedade da adoção imediata do padrão em formato standalone, o que demanda a implantação de uma rede independente do atual 4G. O edital agora será encaminhado para análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

Essa tecnologia permite o tráfego de dados até 100 vezes mais rápido que o padrão de quarta geração (4G), por utilizar um espectro de rádio mais abrangente, o que permite que mais aparelhos móveis se conectem simultaneamente, com mais estabilidade do que as redes atuais.

Além disso, a tecnologia favorece a uso de ferramentas inteligentes, interconexão de equipamentos e máquinas em tempo real e da chamada chamada Internet das Coisas (IoT).

“A tecnologia do 5G é um catalizador de novas tecnologias como inteligência artificial, realidade aumentada e realidade mista”, disse hoje (26) o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, durante entrevista coletiva para falar sobre a aprovação do edital. “É um guarda-chuva que potencializa e envolve varias outras tecnologias”, acrescentou.

A expectativa é que o TCU conclua a análise do edital até o fim do primeiro semestre. O edital aprovado prevê a licitação de radiofrequências nas faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. Segundo a Anatel, a liberação dessas frequências vai proporcionar maior volume de recursos de espectro para que as prestadoras possam expandir suas redes.

A proposta também estabelece obrigações de cobertura para as operadoras que arrematarem os blocos, entre as quais estão a necessidade de investimentos para oferecer a tecnologia 4G ou superior e também backhaul (redes de acesso) em áreas sem ou com pouca cobertura do serviço.

Em municípios com mais de 500 mil habitantes, o prazo limite para implantar o 5G é julho de 2025, nos que têm mais de 200 mil, julho de 2026 e, naqueles com população acima de 100 mil, em julho de 2027.

A previsão é que 60% dos municípios com menos de 30 mil habitantes estejam atendidos até dezembro de 2027, meta que sobe para 90% até dezembro de 2028 e 100% até dezembro de 2029.

A Anatel também determinou que a faixa de 6 gigahertz (GHz) seja totalmente usada para a melhoria dos equipamentos de internet de banda larga sem fio Wi-Fi no Brasil, o chamado Wi-Fi 6E.

Além disso, as operadoras que arrematarem capacidade na faixa de 3,5 GHz, a chamada faixa de ouro do 5G, também serão responsáveis pela migração da TV aberta via satélite (parabólica), que atualmente ocupa a mesma frequência. Pelo edital, as famílias que fazem parte do Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal terão direito à troca gratuita do equipamento de TV parabólica por outro que não será afetado com interferências no sinal.

O edital também contempla recursos para a implementação de redes de transporte em fibra óptica na Região Norte (Programa Amazônia Integrada e Sustentável – Pais). A previsão é sejam implantados 13 mil quilômetros de cabos de fibra óptica nos leitos dos rios da Região Norte.

Outro ponto definido é a construção de uma rede 5G privativa da administração federal, que vai possibilitar o tráfego seguro de informações. A proposta determina que a rede vai ter duas frentes: uma rede fixa de fibra óptica ligando todos os órgãos da União e uma rede móvel apenas no Distrito Federal para atividades de segurança pública, defesa, serviços de emergência e resposta a desastres.

“Isso está sendo feito em vários países. Os Estados Unidos estão fazendo, a Finlândia está fazendo. Isso está sendo muito comum, e os países estão fazendo essas redes”, afirmou o ministro das Comunicações, Fabio Faria.

Fonte: Nádia Franco A/B

Sesdec recebe novas viaturas da PC para reforçar segurança na capital

Os veículos são dotados de alta tecnologia com dispositivos de localização via satélite, rádio digital e câmeras.

O Governo de Rondônia entregou na manhã desta segunda-feira (22), três viaturas modernas para fortalecer a missão da Secretaria de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) em proteger a população. Elas são destinadas à Polícia Civil, sendo distribuídas para o Instituto de Identificação Civil e Criminal (IICC), Delegacia Especializada em Crimes contra o Patrimônio e Delegacia do município de Cujubim.

Os veículos são dotados de dispositivos de localização via satélite, rádio digital e câmeras. ‘‘Fico muito feliz por Rondônia ter essas viaturas de qualidade porque nossas corporações precisam de veículos adequados para atender as necessidades da população.

O diretor-geral da Polícia Civil, delegado Samir Fouad Abboud, explicou o impacto positivo dos novos veículos para a missão da corporação junto à população. ‘‘É mais um benefício que o Governo de Rondônia, por intermédio da Sesdec, proporciona à Polícia Civil. As viaturas serão empregadas em operações policiais e também em ações de cidadania, como é o caso do veículo destinado ao Instituto de Identificação Civil e Criminal que será usada para levar à população mais carente o acesso a documentos’’, disse o diretor.

‘‘Essas três viaturas fazem parte do nosso grande contrato de locação, onde houve o início das entregas no ano passado. São veículos com tecnologia que os antigos não tinham, como as câmeras. Com elas, podemos acompanhar as operações de forma remota e dar mais transparência às nossas ações. São muitos equipamentos agregados que trouxeram mais qualidade às novas viaturas, e tudo isso com preço menor que o contrato anterior. Uma ação de gestão da Superintendência Estadual de Compras e Licitações (Supel) onde conseguimos economia’’, afirma o secretário.

Fonte: Secom-RO