Vilhena é alvo de operação da PF que investiga tráfico internacional de drogas

A operação mira em cidades de Manaus (AM), Castanhal (PA), e em Pinheiro (MA).

A Polícia Federal deflagrou, nesta terça-feira (30), na baixada maranhense, a Operação Apachetas, para combater os crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico, lavagem de capitais, e o comércio ilegal de armas de fogo naquela região. Houve cumprimento de mandado de prisão e buscas em Rondônia.

Segundo a Polícia Federal, os policiais cumpriram dois mandados de busca e um de prisão no município de Vilhena.

De acordo com a PF, os entorpecentes comercializados eram provenientes de países produtores de cocaína como Peru e Colômbia, que fazem fronteira com o Brasil.

A investigação conduzida pela Polícia Federal no Maranhão teve início em 2017, e após a realização de inúmeras diligências, foi possível identificar e qualificar dezenas de envolvidos que em comunhão de desígnios constituíram, no mínimo, três associações criminosas com atuação nos estados do Amazonas, Rondônia, Pará e Maranhão.

Com a investigação policial foi possível acompanhar a apreensão de aproximadamente 600 quilos de cocaína, bem como efetuar o desmantelamento de um laboratório próprio para manipulação de drogas com balança de precisão, material de embalagem, prensa hidráulica e diversos produtos químicos para mistura.

Neste contexto, a Polícia Federal representou judicialmente por 26, mandados de busca e apreensão e 22 mandados de prisão, sendo tais pedidos deferidos pela 2º Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Estado do Maranhão.

Além das prisões e buscas, a operação teve como objetivo a descapitalização das organizações criminosas com o sequestro de bens e valores. Os envolvidos, caso condenados, podem ser apenados com até 47 anos de reclusão.

Os cumprimentos das ordens judiciais ocorreram nas cidades de Manaus (AM), Castanhal (PA), Vilhena (RO) e em Pinheiro (MA). A ação contou com participação de 160 servidores da Polícia Federal e 4 investigadores da Policia Civil do Maranhão – PCMA, os quais auxiliaram as buscas com a utilização de dois cães farejadores.

A operação foi denominada Apachetas, que historicamente consiste em um amontoado de pedras que o viajante (indígena) colhe na beira da estrada e deposita umas em cima das outras, durante caminhada pelas trilhas da cordilheira dos Andes (Peru).

Fonte: Rondônia Agora

Operação da PF investiga facção criminosa suspeita de tráfico internacional de droga em Guajará-Mirim

A Polícia Federal informou que uma facção paulista teria recrutado integrantes em Guajará-Mirim. São cumpridos três mandados de busca e apreensão.

Dinheiro apreendido durante operação dessintonizando em Guajará-Mirim, RO — Foto: PF/Divulgação
Dinheiro apreendido durante operação dessintonizando em Guajará-Mirim, RO

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (8) a Operação Dessintonizando para desarticular o tráfico internacional de drogas na fronteira entre Brasil e Bolívia. Três mandados de busca e apreensão são cumpridos em Guajará-Mirim (RO).

Segundo a PF, a operação investiga o crime organizado e uma facção criminosa ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC), que teria recrutado integrantes em Guajará-Mirim.

Os investigados são suspeitos de atuarem no tráfico internacional de drogas, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Pelo menos 40 pessoas estariam envolvidas diretamente com o grupo na região de fronteira.

Conforme a PF, a ação desta quinta-feira acontece após investigações que iniciaram nas apreensões de remessa ilegal de dinheiro, feitas através de mulas no porto de Guajará-Mirim, onde ocorreram prisões em flagrante no início deste ano.

Durante cumprimento dos mandados foram aprendidos, dinheiro, celulares, pen drives, balanças de precisão e material utilizado para preparo da droga. Tudo foi encaminhado à Delegacia de Polícia Federal.

Fonte: Rede Amazônica

%d blogueiros gostam disto: