Depois de várias reclamações de usuários insatisfeitos, linhas de ônibus voltarão aos itinerários antigos em Porto Velho

A Secretaria Municipal de Trânsito (Semtran) anunciou hoje.

Atendendo pedido de vários usuários do serviço de transporte coletivo da capital, a Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), está alterando parte das rotas a partir da próxima segunda-feira (1º). A mudança reverte a atualização de alguns dos itinerários implantados há alguns meses.

Com isso, linhas como Norte e Sul, Cohab, Novo Horizonte, Guajará, Esperança da Comunidade, Jardim Santana, Orgulho do Madeira, Ulisses São Francisco, Ulisses JK, voltarão aos itinerários antigos, ligando os bairros direto ao centro, sem paradas, totalizando 27 rotas modificadas.

As alterações poderão ser consultadas via aplicativo CittaMobi ou através do site da Semtran, o https://semtran.portovelho.ro.gov.br e no site da empresa https://www.compvh.grupojtp.com.br/. A Semtran reforça ainda a obrigatoriedade do uso de máscaras pelos usuários em todos os trajetos.

Fonte: Semtran

Semtran anuncia nova linha de transporte que atenderá os usuários do Triângulo, Unir e Vila Princesa

Devido ao quantitativo reduzido de usuários durante este período, a linha funcionará com horários determinados

A Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), informou nesta segunda (14), o início de operação da linha 300 – Campus UNIR juntamente com a linha Triângulo, atendendo assim, não somente a Unir, como também os usuários da Vila Princesa e bairro Triângulo.

Devido ao quantitativo reduzido de usuários durante este período, a linha funcionará com horários determinados para atender ambas as localidades, da seguinte forma:

A linha atenderá a Unir e Vila Princesa em quatro horários, que são: 6h30, 11h30, 13h30 e 18h30, com o seguinte itinerário: Campus Unir, BR 364, Retorno, BR 364, R. Prudente de Morais, R. Alexandre Guimarães, R. Rogério Weber, Av. Sete de Setembro, R. Prudente de Morais, R. Alexandre Guimarães, Av. Campos Sales, BR364, Estr. Vila Princesa (retorno), BR364 e Campus UNIR.

Nos outros horários, entre as 5h às 19h55, a linha atenderá os usuários do Triângulo seguindo o itinerário: Cemitério Santo Antônio, Estr. de Santo Antônio, R. Rio Machado, R. Madeira Mamoré, R. João Alfredo, R. Euclides da Cunha, Av. Sete de Setembro, Av. Rogério Weber, Estr. Santo Antônio, R. Estr. de Santo Antônio e Cemitério Santo Antônio.

Esta medida temporária visa atender estas localidades até que restaurado o quantitativo de passageiros necessários para ativação permanente das linhas 300 – Campus Unir e 301 – Triângulo.

Fonte: Comdecom

Prefeitura de Porto Velho divulga os locais de recarga do cartão COM CARD para usuários do transporte coletivo

Os valores mínimos para a recarga são de R$ 8,10 para estudantes e de R$ 20,25 para vale-transporte (cidadão).

Foram divulgados pela prefeitura de Porto Velho todos os pontos de recarga do cartão COM CARD, bilhete que permite o uso do transporte coletivo da capital.

Os valores mínimos para a recarga são de R$ 8,10 para estudantes e de R$ 20,25 para vale-transporte (cidadão).

Veja Também:

Segundo a empresa JTP Transportes (Com Porto Velho), são oito locais de atendimento do usuário para realizar a recarga dos cartões. Veja a lista abaixo:

– Associação Comercial de Rondônia – ACR
Av. Presidente Dutra, 2815.

– Farmácia Super Popular Farquar
Av. Farquar, 515 – Panair

– Panificadora Canaã
R. José Amador dos Reis – Juscelino Kubitschek

– For Life Cavalera
Av. Carlos Gomes, 2350 – São Cristóvão

– Panificadora Delícias do Sul
R. José de Alencar, 2850 – Centro

– Papelaria Sandy
Av. Calama, 6908-B – União da Vitória

– Net Infor Informática & Celulares
Av. Jatuarana, 4245 – Nova Floresta

– Mercantil Nacional
Est. do Belmont, 2363 – Nacional

Fonte: G1/RO

Prefeitura explica sobre aplicativo Cittamobi que informa horários e as rotas de linha do transporte coletivo em RO

A ferramenta de grande utilidade para os usuários, é oferecida pela empresa JTP Transportes.

A Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran) e da Empresa JTP Transportes (Com Porto Velho), informa que os usuários de transporte coletivo poderão contar com uma nova ferramenta para facilitar o dia a dia de quem precisa do transporte coletivo urbano na capital, o aplicativo (APP) Cittamobi.

O Cittamobi, disponível para Android e IOS, oferece todas as informações necessárias aos passageiros de transporte coletivo da capital, como acesso às linhas disponíveis para chegar ao seu destino, previsão de chegada dos ônibus, tempo de viagem e também aos itinerários das linhas dos ônibus.

O aplicativo ainda permite a comodidade de, ao inserir seu destino, mostra onde fica a parada de ônibus mais próxima, quais linhas pode utilizar, em quanto tempo o ônibus chegará, o tempo de viagem, e o ponto que deverá desembarcar próximo ao destino. Também mostra se o veículo possui acessibilidade, ar-condicionado, Wi-Fi e outras facilidades.

O aplicativo é uma ferramenta oferecida pela empresa JTP Transportes. Maiores informações poderão ser obtidas pelo site www.compvh.grupojtp.com.br

Fonte: Semtran

Pandemia provocou saída de 254,5 mil usuários de planos de saúde

Segmento conta com 46,7 milhões de beneficiários, segundo a ANS

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) informou hoje (31) que 254,545 mil beneficiários deixaram os planos de saúde médico-hospitalares entre abril e julho deste ano. A redução, de 0,5%, é explicada como decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19). O segmento tem agora 46.758.762 beneficiários, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). 

Na análise de 12 meses encerrados em julho de 2020, comparativamente ao mesmo período do ano passado, foram perdidos 112,244 mil beneficiários, queda de 0,2%. De julho de 2019 a julho deste ano, entretanto, a diferença entre adesões e cancelamentos apresentou saldo positivo de 35.558 beneficiários.

O superintendente executivo do IESS, José Cechin, disse que “alguns números podem ser alterados pela agência [ANS] em função das revisões por parte das operadoras, mas o leve saldo positivo no mês de julho pode indicar que o mercado brasileiro começa a se estabilizar após o forte impacto da crise sanitária”. 

Segundo Cechin, no início da pandemia, em fevereiro e março, ocorreram mais adesões do que cancelamentos de planos médico-hospitalares. Já a partir de abril, o setor passou a registrar baixas sucessivas de beneficiários, como consequência do alto índice de demissões, perda do poder aquisitivo da população, fechamento de empresas e interrupção de atividades.

Rumos

O comportamento do setor vai depender dos rumos que a covid-19 poderá tomar no Brasil, do comportamento das pessoas e das ações dos poderes público e privado, avalia o superintendente do IESS. Cechin esclareceu que o comportamento do mercado de planos de saúde médico-hospitalares está atrelado ao saldo de empregos formais no país, uma vez que a maioria dos planos são coletivos empresariais, ou seja, oferecidos pelas empresas aos seus colaboradores. 

O desemprego e a redução da renda das famílias leva os beneficiários a não poder manter planos individuais e familiares ou mesmo coletivos por adesão, disse Cechin.

Em julho, 37,7 milhões de beneficiários, ou o correspondente a 80,7% do total, tinham plano de saúde médico-hospitalar coletivo, sendo 83,5% plano coletivo empresarial e 16,5% plano coletivo por adesão. Por faixa etária, o único grupo que mostrou expansão em julho em relação a abril deste ano e a julho de 2019 foi o das pessoas com 59 anos de idade ou mais, com 34,463 mil novos beneficiários, alta de 0,5%. 

O IESS informou, ainda, que a maior queda, em números absolutos, em beneficiários de planos médico-hospitalares entre julho de 2019 e julho de 2020 ocorreu no estado de São Paulo (50,289 mil), enquanto Goiás aumentou em 30,334 mil beneficiários.

Planos odontológicos

O IESS informou ainda que até mesmo os planos exclusivamente odontológicos sofreram o impacto da pandemia. Embora tenha mantido crescimento de 2,7% no período de 12 meses encerrado em julho deste ano, com 675 mil novos beneficiários, a modalidade perdeu 318,697 mil vínculos (1,2%), entre abril e julho deste ano. A maior queda foi registrada entre os planos coletivos (1,3%), o que corresponde a 275 mil beneficiários.

O tipo de plano coletivo também é maioria entre os planos exclusivamente odontológicos. No último mês de julho, 20,4 milhões (84%) de beneficiários tinham um plano coletivo, dos quais 89,2% eram do tipo coletivo empresarial e 10,7% coletivo por adesão.

Da mesma forma que foi observado nos planos médico-hospitalares, o saldo entre adesões e cancelamentos de planos exclusivamente odontológicos foi positivo entre julho de 2019 e igual mês de 2020, com 96,766 mil beneficiários novos.

De acordo com o IESS, em números absolutos, a maior queda de beneficiários de planos odontológicos entre julho de 2019 e o mesmo mês de 2020 ocorreu na Bahia, com menos 44,697 mil beneficiários. Em contrapartida, o estado de São Paulo apresentou o maior crescimento (333,254 mil beneficiários), no mesmo período.

Edição: Fernando Fraga A/B

Usuários de Cacoal terão canal para dúvidas no Programa AmpaRO

Prazo para o benefício se encerra dia 15 de julho.

A Gerência Regional da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) disponibilizou um número de WhatsApp (69 99913-7033) e e-mail (seasgercac@gmail.com) para atender a população dos municípios de Cacoal, Ministro Andreazza, Pimenta Bueno, Espigão D’Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe e Parecis.

O canal pode ser utilizado durante o horário comercial, das 7h30 às 11h30, e das 13h30 às 17h30 para sanar dúvidas dos usuários que desejam se cadastrar no Programa AmpaRo e também para auxiliá-los no cadastramento junto ao Portal do Governo de Rondônia.

Várzea Grande cadastra mais 880 pessoas em programa que oferece R ...
Prazo para as inscrições se encerra no dia 15 de julho

“Devido às restrições, a Gerência Regional da Seas não está atuando com atendimento presencial em Cacoal, mas estamos à disposição da população, e uma forma que encontramos para isso são os aplicativos de mensagens. Aos usuários que estejam tendo dificuldades de acessar o portal ou de efetivar o cadastro no Programa AmpaRO, nós estamos disponibilizando o número de WhatsApp e e-mail para contribuir e ajudar as pessoas da forma que for preciso”, destacou a gerente regional da Seas em Cacoal, Delotéia A. da S. Vicente.

Vale ressaltar que o Programa AmpaRO é voltado às famílias em vulnerabilidade social dos 52 municípios de Rondônia, que já possuem cadastro no Bolsa Família e no CadÚnico. Lembrando ainda que os cadastros precisam estar atualizados até abril de 2020.

Através do Programa AmpaRO, o Governo de Rondônia vai disponibilizar, nesse primeiro momento, um auxílio de R$ 200 (duzentos reais), pagos por três meses.

PROGRAMA AMPARO

O Programa AmpaRO foi implantado pela Seas para dar assistência às famílias classificadas em situação de vulnerabilidade social. A expectativa é que mais de 48 mil famílias sejam beneficiadas com auxílio financeiro.

Disponível no portal do Governo do Estado, o beneficiário preenche os dados pessoais. A primeira fase da habilitação no programa aconteceu entre os dias 15 e 30 junho. Já a segunda fase, que foi prorrogada iniciou no dia primeiro de julho com encerramento previsto para o dia 15 deste mês.

HABILITAÇÃO

Para receber o benefício, o usuário deve verificar primeiro se atende os requisitos necessários para receber o auxílio como: ser beneficiário do Programa Bolsa Família, ter declarado no CadÚnico renda per capita de até R$ 89 (oitenta e nove reais) e estar na condição da folha de pagamento do mês de abril de 2020. Atendendo os requisitos, o usuário deve entrar no site do Portal do Governo e clicar no banner do Programa AmpaRO, que aparece em destaque. O sistema fará a consulta e, caso o usuário atenda aos requisitos, ele será direcionado para o preenchimento dos dados.

Fonte: Seas

Usuários do PicPay e Nubank reclamam de ‘sumiço’ de dinheiro do Auxílio Emergencial

De acordo com o Nubank, o problema teria ocorrido por conta de uma falha no sistema da Caixa.

Usuários do PicPay e do Nubank têm reclamado nas redes sociais que recursos transferidos do Auxílio Emergencial teriam ‘sumido’ de suas contas nessas fintechs. De acordo com o Nubank, o problema teria ocorrido por conta de uma falha no sistema da Caixa Econômica Federal (CEF). Já o PicPay creditou a falha a instabilidades do aplicativo Caixa TEM.

Beneficiários do Auxílio Emergencial têm usado esses serviços para ‘driblar’ a restrição imposta pela Caixa para realizar saques e transferências usando o aplicativo Caixa TEM. Para evitar a formação de filas nas agências, a Caixa limitou, em um primeiro momento, o uso dos recursos a pagamento de boletos e compras usando o cartão de débito virtual. As fintechs oferecem um serviço que permite emitir um boleto no nome do próprio usuário e realizar a transferência de forma imediata.

De acordo com o Nubank, parte dos clientes que realizou o pagamento de boletos por meio da Caixa Econômica Federal teria recebido em sua conta digital uma quantia superior ao valor correto. Informado pela CEF sobre o erro, o Nubank afirma que comunicou os clientes e estornou os valores de volta à própria Caixa.

Diante das reclamações, a fintech suspendeu a devolução à Caixa, e reverteu os valores de volta aos seus clientes, que já teriam recebido os valores em suas contas. A empresa informou que aguarda esclarecimentos adicionais do banco estatal.

O PicPay deu explicação diferente: de acordo com a fintech, por instabilidade do sistema do Caixa TEM, um pequeno percentual das transações entre o aplicativos e o PicPay não é concluído.

“Nesses casos, o usuário deve fazer nova tentativa. Se a Caixa tiver debitado o valor utilizado para a transferência, o estorno deverá ser realizado pelo próprio banco”, disse a empresa em nota.

A Caixa Econômica Federal foi procurada pela reportagem mas até o momento não respondeu.

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto: