Fale conosco pelo WhatsApp(69) 99916-3250

Assentados do vale do Jamari denunciam a Polícia Federal a usurpação de terras da União

A maioria deles já foram alvo de operações anteriores da Polícia Federal.

Vale do Jamari, RO – Assentados pelo INCRA Regional no PA Flor do Amazonas e do Projeto de Assentamento Florestal (PAF) Jequitibá, localizado ao longo da Vila Nova Samuel, sugeriram, nesta quinta-feira, 23, à Polícia Federal apure supostos crimes ambientais atribuídos a fazendeiros, madeireiros e grileiros de terras da União.

O pedido, segundo agricultores, são atribuídos a todos os Superintendentes e Executores de projetos de assentamento que passaram pelo o órgão, entre os quais, Cletho Muniz Brito (O Britão do INCRA), Eustáquio Chaves Gondim, Luís Flávio (ex-prefeito de Machadinho do Oeste), Erasmo Tenório e Ederson Littig Bruscke. A maioria deles foram alvo de operações anteriores da Polícia Federal.

Flor do Amazona (Imagem Divulgação)

De acordo com os assentados ouvidos pela reportagem, neste caso, os agricultores despejados de seus lotes por ordem da Justiça Estadual e ocupados ‘por pessoas que nunca botaram os pés em plantio de café, cacau, banana e mandioca’. A afirmação foi feita pelo assentado Raimundo Nonato, da Linha 3, PA Flor do Amazonas. Ele perdeu sua terra para um ex-servidor do INCRA

Depois de relatarem vários casos à Ouvidoria Agrária (Estadual e Nacional) de usurpação de propriedades já regularizadas, além da anexação de lotes entre divisas de fazendas e plantio de milho, soja e serrarias, os agricultores denunciam, ainda, que, estradas de acesso às escolas, os fazendeiros, madeireiros e grileiros já investigados pela Policia Federal, ‘continuam expulsando assentados do INCRA’, revelo Raimundo Nonato.

A mesma situação, segundo famílias da Linha 50 e LP-50, em Vila Nova Samuel, é vivenciada por assentados e não assentada a mais de 20 anos ocupando terras da União. A retomada das terras é obtida por fazendeiros, grileiros, madeireiros e servidores públicos, como é o caso dos ex-servidores Lenil José Sobrinho, Wagner Melo e Luiz Eduardo Maiorquim, ex-Secretário de Saúde no Governo Confúcio Aires Moura (MDB).

Por essa e outras razões, depois de muito insucesso nas apelações feitas à Superintendência Regional do INCRA, agricultores assentados da Reforma Agrária na Vila Nova Samuel e PA Flor do Amazonas, estão partindo para a Polícia Federal (DPF-RO) a fim de que seus direitos sejam restabelecidos.

O primeiro passo, nesse sentido, segundo Raimundo Nonato, foi dado em direção ao Ministério Público Federal (MPF), que ficou de apurar as denúncias tomadas pelas Ouvidorias Estaduais e Federais acreditadas em Rondônia.

Por Xico Nery