Laerte Gomes destaca retomada de voos domésticos em Ji-Paraná

Parlamentar também defendeu projeto de melhorias salariais e tratamento igualitário para as forças de Segurança Pública do Estado

O deputado Laerte Gomes (PSDB), de forma remota na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira (06) destacou a retomada dos voos domésticos da companhia Azul no aeroporto José Coleto, de Ji-Paraná. O retorno aconteceu na última quinta-feira (1º), após três meses de suspensão.

“Quero agradecer a todos os que contribuíram para que o aeroporto voltasse a receber voos domésticos. Nós começamos lá atrás, disponibilizando recurso para a instalação da cerca, posteriormente o Governo concluiu a obra e o governador Marcos Rocha, junto com o diretor do DER, Elias Rezende fizeram um excelente trabalho de certificação do aeroporto e, da mesma forma, o senador Marcos Rogério, garantindo a estação meteorológica e equipamentos para que os demais voos possam baixar em Ji-Paraná por instrumento IFR. Meus agradecimentos a todos que tornaram esse importante avanço para Ji-Paraná”, declarou Laerte Gomes.

Segurança Pública

O deputado registrou seu apoio a todos os representantes das forças de Segurança Pública de Rondônia e disse considerar justas as reivindicações de melhorias salariais e valorização das carreiras.

“Gostaria que todos os projetos para melhorar as condições de trabalho de todas as classes da nossa Segurança Pública fossem para agora, mas com certeza, os que estão na Assembleia para serem votados, serão aprovados com certeza, contem com meu apoio. Todos sabemos da importância do trabalho dos policiais militares, dos bombeiros militares, dos policiais civis, enfim, e temos que unificar todas as forças, pois a Polícia Penal também faz parte desse todo”, afirmou o deputado.

Por fim, Laerte Gomes destacou outras categorias das quais ele afirmou também estarem com defasagem salarial e citou o PCCR da Saúde que, segundo o parlamentar, está há 15 anos na fila.

“Da mesma forma os servidores da Sedam, do DER, enfim, sabemos que a receita do Estado aumentou, o orçamento também, assim como a arrecadação, as despesas, em razão da pandemia, tirando a Saúde, mas nas outras áreas elas diminuíram porque não houve investimentos. Sendo assim, esse é o momento de olharmos para nossos servidores públicos. Esperamos que o Governo do Estado tenha essa sensibilidade e olhe para todas as categorias, pois todos estão com os salários defasados”, concluiu o deputado.



Texto: Juliana Martins-ALE/RO

Anvisa fiscaliza voos vindos do Reino Unido por precaução contra covid-19

Medidas foram tomadas após diversos países proibirem a entrada de viajantes do país europeu por uma nova variação do coronavírus

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância em Saúde) acompanhou na segunda-feira (21) a chegada de um voo vindo do Reino Unido no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro.

A medida de proteção foi tomada após diversos países proibirem voos do país europeu, onde uma nova variante do coronavírus preocupa autoridades.

O voo chegou ao aeroporto Tom Jobim (Galeão) por volta de 19h40, e fiscais sanitários já esperavam para tomar medidas como orientação dos passageiros e tripulantes sobre monitoramento de todos em solo brasileiro, acompanhamento dos procedimentos de limpeza e desinfecção da aeronave e solicitação de informações dos viajantes.

A Rede CIEVS (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde), ligada ao Ministério da Saúde, ficará em contato com os viajantes para verificar o estado de saúde de todos nas próximas semanas. 

Nenhum passageiro ou tripulante do voo em questão declarou ter sintomas da covid-19. Também foi restringido o acesso ao Duty Free.

As mesmas medidas devem ser adotadas para voos provenientes do Reino Unido no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo,

A partir do dia 30 de dezembro, a entrada de viajantes no Brasil por via aérea só será permitida com teste laboratorial RT-PCR com resultado negativo para covid-19. 

Fonte: R7

MPF busca solução para evitar cancelamento de voos no Aeroporto Brigadeiro Camarão

O Tema da reunião será a reestruturação do aeroporto

Vilhena, RO – Na próxima sexta-feira (11), às 14h, será realizada uma videoconferência entre procuradores da República do Ministério Público Federal (MPF), representantes da empresa Azul Linhas Aéreas, da Agência Nacional de Aviação (Anac), da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado de Rondônia (DER), dos poderes Executivo e Legislativo de Vilhena (RO) e do Sicoob Sul.

A reunião terá como tema a reestruturação do aeroporto de Vilhena, que teve a única rota aérea, fornecida pela Azul Linhas Aéreas, interrompida por alegação de falhas na segurança do local.

Em junho, o MPF enviou ofício à companhia aérea Azul, ao DER, à SAC do Ministério da Infraestrutura e à Anac pedindo esclarecimentos sobre as medidas que pretendiam adotar para evitar o cancelamento dos voos no Aeroporto Brigadeiro Camarão, em Vilhena.

Outra solicitação feita pelo MPF foi para saber da Azul informações sobre as tratativas realizadas com a administração do aeroporto e quais medidas alternativas seriam disponibilizadas pela companhia aérea para atender as pessoas que necessitam se deslocar dentro e fora do Cone Sul do estado.

Fonte: Assessoria

MPF que saber por que voos da Azul serão cancelados no interior de Rondônia

Em ofícios enviados a órgãos e companhia aérea, Ministério Público Federal pede esclarecimentos sobre alternativas para quem precisa se deslocar no Cone Sul do estado

O Ministério Público Federal (MPF) enviou ofício à companhia aérea Azul, ao Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER/RO), à Secretaria de Aviação Civil (SAC) do Ministério da Infraestrutura e à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) pedindo esclarecimentos acerca das medidas que pretendem adotar para que os voos não sejam cancelados no aeroporto Brigadeiro Camarão, em Vilhena (RO).

Os ofícios foram enviados porque o MPF tomou conhecimento de que os voos da Azul Linhas Aéreas estão sendo interrompidos devido a problemas estruturais nos aeroportos estaduais, fazendo com que a companhia aérea retire todos os seus voos do interior de Rondônia. Em Vilhena, o problema estrutural está na violação da cerca aeroportuária, permitindo a invasão de animais na pista e comprometendo, assim, a operação segura de pousos e decolagens. No entanto, de acordo com informações colhidas pelo MPF, o DER/RO estaria firmando termo de compromisso com a SAC do Ministério da Infraestrutura, o qual irá custear a construção da nova cerca em Vilhena, orçada no valor aproximado de R$ 3 milhões.

De forma direcionada e precisa, o MPF solicita à Azul que esclareça e envie documentos sobre o problema de violação na cerca aeroportuária de Vilhena, que a levou a interromper as operações no aeroporto; que informe, ainda, sobre as tratativas realizadas com a administração do aeroporto, para discutir o problema e possíveis soluções encontradas, e quais medidas alternativas serão disponibilizadas pela companhia aérea para atender as pessoas que necessitam se deslocar dentro e fora do Cone Sul do estado.

Ao DER/RO, à SAC e à Anac o MPF pede explicações e documentos que fundamentam o problema de violação na cerca, fornecendo detalhes sobre como todo o processo de transferência de recursos e obra ocorrerá, para o retorno das operações de voos comerciais no Brigadeiro Camarão. O MPF estabeleceu prazo de dez dias para que os endereçados expliquem qual é a perspectiva e o prognóstico para retorno das operações da companhia aérea no aeroporto de Vilhena.

Por Luiza Archanjo / Maríliane de Pinho