Líder do Sem Terra “chora” e diz que MST teve o “pior ano da história”

João Pedro Stédile, líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), expressou desapontamento com 2023, considerando-o o “pior ano da história” do movimento em termos de famílias assentadas.

Stédile mostrou frustração com o governo Lula apontando a falta de recursos financeiros como um empecilho significativo.

Stédile atribuiu a escassez de recursos ao orçamento definido pelo governo anterior e mencionou o impacto do “desmonte” dos últimos seis anos.

Ele reiterou as dificuldades enfrentadas pelo MST, já expressas em outubro, quando o grupo apontou “lentidão, falta de orçamento e incapacidade” da gestão atual em atender às demandas relacionadas à reforma agrária.

Além de todo o “choro” do líder do grupo, vale ressaltar a CPI do MST que mostrou como verdadeiramente atua o movimento e a chegada da Frente Parlamentar Invasão Zero que vem tirando o sono dos invasores de terras.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias