Lista de militares punidos por furto de armas do arsenal de guerra do Exército é longa

A previsão era que o inquérito policial militar, conduzido pelo próprio Exército em sigilo, fosse concluído em 17 de dezembro.

Entretanto, a Justiça Militar autorizou, “em caráter excepcional”, a prorrogação do inquérito que investiga o furto de 21 metralhadoras do Arsenal de Guerra do Exército em Barueri, na Grande São Paulo, descoberto há quase três meses pelo Comando Militar do Sudeste.

Segundo a corporação, o prazo foi prorrogado até 17 de janeiro pela Justiça Militar da União “por se tratar de um caso que demanda a produção de muitos elementos e do retorno de informações e pesquisas”.

Em três meses, 38 militares foram punidos administrativamente, com prisão disciplinar de 1 a 20 dias. Nenhum suspeito de participação no crime — civil ou militar — foi preso na Justiça comum e duas das 21 metralhadoras ainda não foram recuperadas pela polícia.

Até o momento, 19 das 21 armas foram recuperadas, 10 delas no Rio de Janeiro e nove em São Roque (SP). Duas metralhadoras ainda têm paradeiro desconhecido.

Pelo menos seis militares são investigados por participarem diretamente do desvio do quartel, entre eles soldado, cabo, sargento e tenente. Eles teriam atuado no sentido de facilitar a retirada das armas do quartel. Foram 13 metralhadoras calibre .50, que podem derrubar aeronaves, e oito calibre 7.62, que perfuram veículos blindados.

Source: JCO

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias