“homicídio culposo” cometido pelo piloto é o registro da queda de helicóptero em SP

A responsabilidade direta do piloto Cassiano Teodoro na queda do helicóptero em Paraibuna, na região do Vale do Paraíba, no interior de São Paulo, está sendo investigada pela Polícia Civil.

Ele e mais três tripulantes morreram no acidente.

No boletim de ocorrência do acidente foi registrado “homicídio culposo” e consta o piloto como autor do suposto crime por “inobservância de regra técnica da profissão”.

Também estavam na aeronave os passageiros Raphael Torres de Oliveira, 41; Luciana Rodzewics dos Santos, 46, e Letícia Ayumi Sakumoto, 20. Todos foram registrados como “vítimas” na ocorrência.

Por outro lado, percebe-se que o piloto teve uma carreira conturbada na profissão.

Em sua trajetória, Cassiano teve 17 autos de infração e entrou na mira do Ministério Público.

Ele chegou a ter a licença de piloto caçada em 2022, por suposta “conduta grave de fraude” e só recuperou a autorização em outubro de 2023 após realizar uma série de cursos.

O piloto era um dos sócios da CBA Investimentos, que compartilhava a propriedade da aeronave, a RGI Locações. O helicóptero não tinha autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para realizar o serviço de táxi aéreo.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias