A mágoa de Bebianno e a invenção de uma falsa narrativa contra Carlos Bolsonaro…

Foto: Planalto; Reprodução

Que Deus tenha o Gustavo Bebianno em um bom lugar!

Vamos aos fatos.

Um ano e um mês depois de sua demissão (fevereiro de 2019) da secretaria geral da presidência da República, Gustavo Bebianno em entrevista ao Roda Viva (março de 2020), traça um perfil do Carlos Bolsonaro que não corresponde a realidade do homem público, vereador pela cidade do Rio de Janeiro e que o Brasil conhece como o filho 02 de Bolsonaro.

Percebia-se ainda uma profunda mágoa de Bebianno por ter sido demitido do governo Bolsonaro, mesmo passado mais de um ano da demissão.

Durante a entrevista (ressuscitada pela imprensa recentemente em razão da busca e apreensão sofrida por Carlos Bolsonaro ontem, 29 de janeiro), Bebianno especula que uma indicação feita pelo filho 02 do presidente Bolsonaro seria para a criação de uma “Abin paralela”, pois segundo Bebianno, Carlos não confiava em nada e em ninguém.

Vale lembrar que Bebianno passou menos de dois meses no cargo de ministro da Secretaria geral,  sendo pouco crível que se possa concluir neste pouco tempo, que uma Agência toda teria a desconfiança de um filho do presidente que sequer tinha cargo no governo federal.

Quão ingênua uma pessoa tem que ser para acreditar que um delegado e três agentes substituiriam uma Agência de Inteligência  do porte da Abin?

Questionado pra que serviria exatamente essa “Abin paralela” por um jornalista do programa Roda Viva, Bebianno respondeu de forma especulativa:

“Não sei exatamente, mas imagino que seria para ataque de adversários, montagem de dossiês, atacar políticos, jornalistas…”

Sem apresentar provas, Bebianno inventou uma narrativa de uma “Abin paralela” que nunca existiu, mas que foi comprada pela oposição à época e divulgada como se verdade fosse pela imprensa tradicional.

De verdade mesmo tem o fato de Carlos Bolsonaro ser o grande responsável pelo sucesso de Jair Bolsonaro nas redes sociais durante a campanha de 2018 até os dias atuais. E isso incomoda muita gente.

Imagine fazer uma live com quase meio milhão de pessoas acompanhando em tempo real, e alcançar mais de um milhão de visualizações em poucas horas?

O sistema treme!

Tremeu tanto que motivou a busca e apreensão.

Que venha a próxima falsa narrativa, essa não colou.

Foto de Henrique Alves da Rocha
Henrique Alves da Rocha

*Henrique é Coronel da Polícia Militar do Estado de Sergipe.

Que Deus tenha o Gustavo Bebianno em um bom lugar!

Vamos aos fatos.

Um ano e um mês depois de sua demissão (fevereiro de 2019) da secretaria geral da presidência da República, Gustavo Bebianno em entrevista ao Roda Viva (março de 2020), traça um perfil do Carlos Bolsonaro que não corresponde a realidade do homem público, vereador pela cidade do Rio de Janeiro e que o Brasil conhece como o filho 02 de Bolsonaro.

Percebia-se ainda uma profunda mágoa de Bebianno por ter sido demitido do governo Bolsonaro, mesmo passado mais de um ano da demissão.

Durante a entrevista (ressuscitada pela imprensa recentemente em razão da busca e apreensão sofrida por Carlos Bolsonaro ontem, 29 de janeiro), Bebianno especula que uma indicação feita pelo filho 02 do presidente Bolsonaro seria para a criação de uma “Abin paralela”, pois segundo Bebianno, Carlos não confiava em nada e em ninguém.

Vale lembrar que Bebianno passou menos de dois meses no cargo de ministro da Secretaria geral,  sendo pouco crível que se possa concluir neste pouco tempo, que uma Agência toda teria a desconfiança de um filho do presidente que sequer tinha cargo no governo federal.

Quão ingênua uma pessoa tem que ser para acreditar que um delegado e três agentes substituiriam uma Agência de Inteligência  do porte da Abin?

Questionado pra que serviria exatamente essa “Abin paralela” por um jornalista do programa Roda Viva, Bebianno respondeu de forma especulativa:

“Não sei exatamente, mas imagino que seria para ataque de adversários, montagem de dossiês, atacar políticos, jornalistas…”

Sem apresentar provas, Bebianno inventou uma narrativa de uma “Abin paralela” que nunca existiu, mas que foi comprada pela oposição à época e divulgada como se verdade fosse pela imprensa tradicional.

De verdade mesmo tem o fato de Carlos Bolsonaro ser o grande responsável pelo sucesso de Jair Bolsonaro nas redes sociais durante a campanha de 2018 até os dias atuais. E isso incomoda muita gente.

Imagine fazer uma live com quase meio milhão de pessoas acompanhando em tempo real, e alcançar mais de um milhão de visualizações em poucas horas?

O sistema treme!

Tremeu tanto que motivou a busca e apreensão.

Que venha a próxima falsa narrativa, essa não colou.

Foto de Henrique Alves da Rocha
Henrique Alves da Rocha

*Henrique é Coronel da Polícia Militar do Estado de Sergipe.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias