Globo repete erro do passado e quase provoca nova tragédia

Algo extremamente irresponsável, que não tem nada a ver com jornalismo profissional.

No episódio do sequestro na Rodoviária Novo Rio nesta terça-feira (12), que durou cerca de duas horas, a TV Globo cometeu o mesmo erro de ocasiões parecidas.

Ao vivo, a emissora mostrou o posicionamento dos atiradores de elite que estavam a postos na ponte Rio-Niterói esperando o criminoso sair do ônibus.

No passado, a interferência da televisão no caso do sequestro do ônibus 174, em 2000, e do assassinato da jovem Eloá, em 2008, conturbou o trabalho de inteligência da polícia.

Esse novo incidente levou a uma repreensão pública por parte do porta-voz da Polícia Militar, que alertou sobre o impacto negativo da cobertura na operação policial em curso.

A Record também fez transmissão semelhante. Uma guerra insana e aética por audiência.

O coronel Marcos Andrade expressou preocupação ao vivo, solicitando que cessassem a transmissão das imagens diretamente do ônibus sequestrado, pois estava comprometendo as negociações policiais.

“Vocês estão registrando a movimentação de tropa”, criticou ele, referindo-se à transmissão que poderia estar fornecendo informações cruciais ao sequestrador.

O incidente envolveu o criminoso Paulo Sérgio de Lima, que assumiu o controle de um ônibus com destino a Juiz de Fora, Minas Gerais, fazendo 17 pessoas reféns. O sequestrador se rendeu após um tenso período de três horas de negociações com a polícia.

Por pouco, a atitude da mídia não causou uma tragédia que poderia abalar o Brasil.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

0
Would love your thoughts, please comment.x
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias