Bolivianos mantêm pontes na fronteira com o Acre bloqueadas

Com o fracasso das tentativas de acordo entre funcionários do município de Cobija, capital do Departamento de Pando, na fronteira com o Acre, as duas pontes internacionais que dão acesso às cidades brasileiras de Brasiléia e Epitaciolândia seguem bloqueadas no lado boliviano.

O bloqueio das pontes na fronteira não é incomum, sendo uma das principais estratégias de pressão tomadas sempre que ocorre algum movimento grevista ou manifestação popular na cidade boliviana. A medida é prejudicial para o comércio local, pois inviabiliza o abastecimento de itens essenciais que chegam pelo Brasil.

O motivo do ato de protesto é o atraso de salários do funcionalismo pela Prefeitura de Cobija, que chega a cinco meses, segundo as lideranças sindicais. De acordo com documentos divulgados pelo sindicato da categoria, existem salários atrasados dos meses de outubro, novembro e dezembro de 2023, janeiro e fevereiro de 2024.

Demissões consideradas ilegais efetuadas pela prefeita Ana Lúcia Reis também estão entre as motivações para a manifestação que já dura mais de 24 horas causando uma grande fila de veículos nas imediações da principal travessia, que é a Ponte Internacional, entre Epitaciolândia e Cobija.

Source: ac24horas
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

0
Would love your thoughts, please comment.x
Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias