Dupla é presa com drogas e balança de precisão em Jaru

Um dos suspeitos ainda tentou fugir em sua motocicleta, mas foi alcançado pelos militares e levado para a residência aonde iria receber os ilícitos.

Edson B.C., 31, Marildo B.O., 20, e Wemerson S.B., 20 anos, foram levados para a delegacia na quarta-feira (12), por tráfico de entorpecentes em frente a uma residência localizada na Rua Osvaldo Cruz, no município de Jaru. Aproximadamente dois quilos de droga foram apreendidos.

Segundo a ocorrência, a PM foi acionada até a residência após receberam uma denúncia de que Edson iria buscar droga no local.

O suspeito, ao perceber que a viatura estava se aproximando, saiu em fuga em sua motocicleta modelo Biz, mas foi alcançado pelos militares e levado para a residência aonde iria receber os ilícitos.

Na residência a Polícia encontrou Wemerson e Marildo e localizou dois quilos de substância que aparentava ser maconha. Questionados, Wemerson disse ser o proprietário da residência e confessou que toda a droga era dele e do comparsa. Eles também afirmaram que buscaram a droga na noite anterior na cidade de Ji-Paraná para distribuir aqui na cidade de Jaru.

Também foram encontrados e apreendidos na residência uma balança de precisão e dois celulares.

Na casa de Edson foi encontrada uma balança de precisão. Ele disse que não sabia nada sobre as suspeitas de tráfico e negou conhecer os outros presos.

PF prende traficante internacional de drogas no aeroporto do Rio

Em Operação “Margens Plácidas”

Nesta quarta-feira (17), agentes da Polícia Federal prenderam um traficante internacional de drogas como parte da operação ‘Margens Plácidas’, que visa desarticular uma quadrilha especializada em tráfico de drogas em Mato Grosso e na Bolívia.

A prisão foi efetuada no Aeroporto Internacional Tom Jobim/Galeão, no Rio de Janeiro, onde o traficante tentava embarcar em um voo doméstico para São Paulo.

Durante a prisão, os agentes apreenderam R$ 50 mil em espécie e dois aparelhos celulares.

A ação cumpriu, também, 5 mandados de busca e apreensão nos estados do Mato Grosso e São Paulo.

A operação teve início para investigar informações sobre um acusado que estaria utilizando documento de identidade falso para gerir uma empresa cuja conta bancária movimentava valores para o tráfico de drogas.

Fonte: JCO

Desembargadora que beneficiou filho preso por tráfico de drogas é “punida” com aposentadoria

.

Tânia terá direito à aposentadoria com proventos proporcionais

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aposentou, compulsoriamente, nesta terça-feira (23), a desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges, do Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ-MS). A magistrada é acusada de beneficiar o filho, preso por tráfico de drogas.

A aposentaria compulsória é a pena máxima prevista para a magistratura. Tânia terá direito à aposentadoria com proventos proporcionais. Ela estava afastada do cargo desde 2018.

O Conselho puniu a desembargadora por 8 votos a 5. Os conselheiros entenderam que Tânia usou a condição de desembargadora para beneficiar o filho que estava preso. Câmeras de segurança, inclusive, flagraram a magistrada chegando em um carro junto com um delegado da Polícia Civil e um advogado para cumprir a ordem de transferência do filho para uma clínica psiquiátrica.

Breno Borges foi preso em março de 2017, transportando 130 quilos de maconha e 200 munições de fuzil. Ele já tinha outro mandado de prisão por suspeita de ter colaborado na fuga de um chefe de tráfico.

Luiz Fernando Keppen, um dos conselheiros do CNJ, disse:

“Não vislumbro possibilidade de aplicar pena diferente da aposentadoria compulsória à desembargadora, que comportou- se de forma incompatível com a dignidade, a honra e o decoro de suas funções”, disparou.

E acrescentou:

“Entendo que a separação entre a vida privada e pública é pré-condição para o exercício da magistratura, e não me parece que a requerida (Tânia) ostente tal condição de modo a continuar exercendo esse importante múnus público. Seu retorno à jurisdição pode gerar um enorme descrédito à instituição do Poder Judiciário, o que não me parece desejável”, explicou.

O presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, concordou com Keppen e votou a favor da punição.

Fonte: JCO

Polícia Federal deflagra operação contra tráfico de drogas em aviões da FAB

Polícia Federal cumpre 15 mandados de busca e apreensão. Em 2019, sargento brasileiro foi preso com cocaína em voo da Força Aérea Brasileira (FAB), na Espanha.

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (2), a Operação Quinta Coluna, para aprofundar as investigações sobre uma associação criminosa que usou aeronaves da FAB enviar drogas para a Espanha. A operação também investiga lavagem de ativos obtidos em razão dos crimes, relata o jornal Estadão.

Estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão e dois mandados que restringem a comunicação dos investigados, contra 10 investigados. Militares da FAB também participam do cumprimento das medidas.

Por determinação judicial, os alvos da operação foram impedidos de deixar o Distrito Federal. Os agentes da PF encontraram drogas na casa de um dos suspeitos. Os endereços não foram informados, nem a identidade dos envolvidos ou se houve prisões em flagrante.

Voo da FAB com cocaína

Em junho de 20149, o sargento da FAB Manoel Silva Rodrigues foi preso em Sevilha, na Espanha, com 39 quilos de cocaína quando viajava como parte da tripulação de apoio do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo a investigação, outras pessoas se associaram ao militar para a prática do crime de tráfico de drogas, tendo sido apresentado à Justiça elementos que indicam pelo menos mais uma remessa de entorpecentes para a Espanha.

Além de investigar os outros supostos integrantes da associação criminosa, a PF mira crimes de lavagem de dinheiro. A PF frisou que as investigações não se confundem com os processos por tráfico internacional de drogas que tramitam na Justiça Militar. Os crimes de associação para o tráfico e lavagem de dinheiro têm penas que vão de três a dez anos de prisão.

Fonte: Sputnik

PFR prende suspeitos com mais de 4 kg de cloridrato de cocaína nos municípios de Ji-Paraná e Guajará-Mirim

As apreensões aconteceram no último sábado

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), durante fiscalização ostensiva, realizou a apreensão de mais de 4 kg de cloridrato de cocaína no estado de Rondônia no úlitmo sábado (23). As ocorrências foram registradas nas cidades de Ji-Paraná e Guajará-Mirim, resultando na prisão de dois homens.

Em Ji-Paraná, na BR-364, durante fiscalização a um ônibus interestadual, a equipe policial localizou em um fundo falso da bagagem de um passageiro aproximadamente 2.28 kg da droga.

Já em Guajará-Mirim foram encontrados cerca de 2.05 kg da substância ilícita no interior de um veículo de passeio (GM/Celta).

No total, 4.33 Kg de cloridrato de cocaína foram apreendidos, quantidade que poderiam gerar mais de R$ 500.000 ao crime organizado. Todos os produtos dos crimes e as pessoas envolvidas foram encaminhados à polícia judiciária responsável para dar continuidade as investigações.

Fonte: Rondônia Agora

Operação da PF desbarata quadrilha que aliciava pessoas para o transporte de drogas por meio de intimidação e ameaças

“A droga era transportada na mala que seria despachada”

A Polícia Federal (PF) de São Paulo prendeu nesta quarta-feira (20) cinco integrantes de um grupo responsável pelo aliciamento de pessoas usadas para fazer o transporte de cocaína do Brasil para o Líbano. Outros três investigados estão foragidos. Além de comprar a droga na Colômbia, trazer para o Brasil e aliciar pessoas, os criminosos providenciavam a hospedagem, o transporte com as malas, os contatos e a recepção das remessas no Líbano.

“Eles sempre colocavam com a mula [pessoa que leva a droga] um acompanhante para evitar que o aliciado desistisse de concluir a missão, por meio de intimidação e ameaças.

O objetivo era garantir que as mulas embarcassem, assim o acompanhante ficava até o momento do check-in. Quando ocorriam abordagens pela polícia, essas pessoas desapareciam para não serem pegas. “A droga era transportada na mala que seria despachada”, informou a Polícia Federal.

Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo, Jundiaí e Foz do Iguaçu. Também foram efetivadas medidas judiciais de bloqueio de valores e sequestros de veículos, imóveis e dinheiro, que totalizaram aproximadamente R$ 132 milhões. Com os integrantes da quadrilha foram apreendidos também mais de 60 quilos de cocaína e R$ 250 mil.

“Uma das características desse grupo é a de que os pagamentos para as mulas só eram feitos depois de duas ou três viagens e variavam entre US$ 15 a 25 mil. A organização é libanesa e já atua há pelo menos quatro anos. As mulas são geralmente estrangeiros, libaneses”, afirmou a PF.

As investigações estão em andamento desde 2017 e os membros da organização foram identificados devido a delações premiadas. Uma das dificuldades para concluir a operação Overweight foi a de que os criminosos sempre mudavam de endereço. “Para executar a operação hoje, muitos endereços foram obtidos na semana passada”, disse a PF.

Os envolvidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de entorpecentes e organização criminosa.

Fonte: JCO

PRF apreende 4,5 quilos de drogas em Rondônia

Droga poderia render aos traficantes até R$ 25 mil

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Ji-Paraná, durante fiscalização ostensiva, flagrou duas ocorrências de tráfico de drogas neste último domingo, (17).

A primeira apreensão ocorreu durante abordagem a um ônibus interestadual, linha de Guajará-Mirim/RO para Cuiabá/MT. Uma adolescente, 17 anos, transportava cloridrato de cocaína em um fundo falso de sua bagagem.

Na segunda ocorrência um casal, em uma motocicleta, fugiu ao visualizar a viatura policial, porém, logo foram alcançados. Durante fiscalização, a equipe policial encontrou tabletes de maconha na mochila e os dois ocupantes da moto foram presos.

Todos os infratores e as drogas ilícitas foram encaminhados à Polícia Civil da cidade de Ji-Paraná.

No total, 2.22 Kg de cloridrato de cocaína e 2.52 Kg de maconha foram apreendidos; quantidade que poderia render ao crime organizado quantia superior a R$ 250 mil, segundo levantamento do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

Em Guajará-Mirim, jovem tenta despachar cocaína em pote de suplemento nos correios

O flagrante foi feito por agentes da Polícia Federal e não foi a primeira vez que adolescente tentou despachar.

Um adolescente de 17 anos foi apreendido quando tentava enviar drogas pelos Correios, em Guajará-Mirim (RO), durante a tarde de terça-feira (27). A droga estava em um pote de whey (suplemento alimentar). O flagrante foi feito por agentes da Polícia Federal (PF).

Segundo boletim de ocorrência, os policiais avistaram o rapaz nas proximidades da agência em atitude suspeita e passaram a monitorá-lo.

Depois do jovem entrar na agência, os agentes chegaram e se identificaram como federais, deixando o suspeito bastante nervoso. Neste momento o adolescente foi revistado, mas nada foi encontrado com ele.

Ao questionar o que o jovem estava despachando, ele ficou em silêncio e então a PF revistou a embalagem despachada para ser entregue em Brasília (DF).

Os agentes abriram o pote de suplemento que estava violado e encontraram uma substância aparentando ser cocaína. O suspeito, o pote com a droga e R$ 144 em espécie foram levados à delegacia da Polícia Civil.

O caso deve ser acompanhado pela Delegacia Especializada da Criança e Adolescente, já que o suspeito é menor de idade.

Essa não é a primeira vez que o rapaz é detido tentando enviar drogas pelos Correios. Além disso, com o menor a polícia também já apreendeu uma metralhadora. O flagrante foi em agosto deste ano, em Porto Velho.

MPF consegue condenação de traficantes de drogas presos em flagrante

Homens transportavam mais de quatro quilos de pasta base de cocaína em Cabixi (RO)

O Ministério Público Federal (MPF) conseguiu a condenação de dois homens presos em flagrante por tráfico de drogas em Cabixi (RO), região de fronteira com a Bolívia. Um dos réus recebeu a sentença de 14 anos e nove meses de reclusão, enquanto o outro recebeu a pena de 17 anos e dois meses.

As duas pessoas transportavam em um carro mais de quatro quilos de pasta base de cocaína originária da Bolívia, com a intenção de chegar em Vilhena (RO). A prisão ocorreu na estrada, em novembro de 2019. As investigações tiveram início após denúncias recebidas pela Polícia Militar de que uma dessas pessoas estava traficando drogas com a ajuda de mais alguém.

Ao prestar depoimento, um dos acusados, preso em flagrante com a droga, admitiu que a estava transportando, porém negou a acusação de associação com a outra pessoa que estava no carro junto a ele. Entretanto, as investigações dos celulares apreendidos comprovaram os crimes de tráfico e de associação por parte dos dois envolvidos, que trocavam diversas mensagens e ligações.

Ilustração: Secom/PGR

A sentença foi proferida em setembro de 2020, tendo sido a pena de um dos acusados reduzida pela incidência da atenuante da confissão espontânea. Segundo o MPF, contudo, não há razão para a diminuição da pena neste caso, pois, além de não ter havido propriamente confissão, a prisão foi realizada em flagrante e não houve nenhuma contribuição à Justiça.

Desse modo, a confissão realizada caracteriza apenas autodefesa. Segundo a procuradora da República Laiz Melo, “ao ser interrogado, o réu agiu de maneira incompatível com o que se entende por confissão espontânea, demonstrando, ao revés, diversas incongruências e tentando se eximir de responsabilidade pela prática delitiva, pois insistiu em minimizar o próprio envolvimento”. Assim, apesar das condenações, o MPF apelou parcialmente da sentença para que o fator que diminui a pena de um dos réus seja retirado.

Fonte: Assessoria

Operação da PF contra tráfico internacional de drogas termina com 2 mortos e 35 presos

Dos 26 alvos da operação no estado de São Paulo, 24 foram presos e dois morreram em confronto com os agentes.

Uma operação da Polícia Federal contra o tráfico internacional de drogas, realizada a partir do aeroporto internacional de Viracopos, realizada nesta terça-feira (06), terminou com 2 suspeitos mortos e 35 detidos, sendo que 24 apenas em São Paulo.

O grupo criminoso, que vinha sendo investigado há um ano, indicava com frequência pessoas para trabalhar na logística do aeroporto e mantinha contato até com policiais para que o esquema funcionasse.

As investigações começaram em fevereiro de 2019, com a apreensão de 58 kg de cocaína no Aeroporto de Viracopos que iriam para a Europa. De lá para cá, policiais federais passaram a investigar suspeitos de participação no esquema.

Dos 26 alvos da operação no estado de São Paulo, 24 foram presos e dois morreram em confronto com os agentes.

“Um dos alvos tinha passagem por homicídio e por roubo. O outro não tinha qualquer passagem. As circunstâncias serão apuradas, já instauramos inquéritos e, assim que tivermos conhecimento, serão informados sobre a ocorrência”, disse o delegado chefe da PF em Campinas, Edson Geraldo de Souza.

Fonte: UOL