Flordelis pede apoio da bancada feminina para evitar cassação. Assista

Deputada é acusada pelo MP-RJ de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo.

Durante debate virtual sobre violência contra mulheres na política, a deputada Flordelis (PSD-RJ) afirmou estar sofrendo perseguição política pelo fato de ser deputada federal e pediu o apoio das colegas da bancada feminina para que não perca o mandato parlamentar.

“Está acontecendo comigo agora uma violência muito grande contra mim por ser deputada federal. Aconteceu um crime na minha casa e eu não cometi tal crime. As acusações contra mim não têm nada a ver, são acusações absurdas”, disse a deputada. “Queria pedir o apoio das mulheres, que me apoiem, que me ajudem. Eu vou conseguir provar minha inocência. Eu sou inocente.”

Flordelis é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, em Niterói. Nesta sexta-feira, a Justiça do Rio de Janeiro determinou que Flordelis seja monitorada por tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento domiciliar das 23h às 6h.

Na Câmara, ela foi notificada pelo corregedor, deputado Paulo Bengston (PTB-PA), sobre o pedido de representação feito contra ela pelo deputado Léo Motta (PSL-MG). Ela já entregou sua defesa e aguarda decisão da corregedoria sobre o envio ou não do caso ao Conselho de Ética.

Fonte: Congresso em Foco

Procurador Deltan Dallagnol deixa a Lava Jato após 6 anos

Justificativa oficial é que ele deixa a força-tarefa para cuidar de questões familiares. Fontes, no entanto, falam em ‘saída honrosa’ para o procurador

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, vai deixar o comando da força-tarefa após 6 anos.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), Dallagnol “está se desligando da força-tarefa para se dedicar a questões de saúde em sua família”.

Em vídeo divulgado no Youtube, Dallagnol citou regressão no desenvolvimento da filha, que tem 1 ano e 10 meses. E disse que precisará se dedicar mais à família.

Fontes ouvidas afirmam, no entanto, que esta seria uma forma de resolver dois problemas.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, teria condicionado a renovação da operação, que vence na semana que vem, à saída de Dallagnol. E com a saída, saem do foco os processos que correm contra o procurador no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

Com a saída anunciada, o procurador da República no Paraná Alessandro José Fernandes de Oliveira deve assumir as funções antes exercidas por Deltan Dallganol, informa o MPF em nota oficial.

“Deltan desempenhou com retidão, denodo, esmero e abnegação suas funções, reunindo raras qualidades técnicas e pessoais. A liderança exercida foi fundamental para todos os resultados que a operação Lava Jato alcançou, e os valores que inspirou certamente continuarão a nortear a atuação dos demais membros da força-tarefa, que prosseguem no caso”, diz a nota.

Histórico

O procurador Deltan Dallagnol tornou-se um dos nomes de destaque da força-tarefa que em pouco mais de seis anos realizou 73 operações, condenou mais de uma centena de pessoas e recuperou bilhões de reais aos cofres públicos.

Formado em direito pela Universidade Federal do Paraná, Dallagnol iniciou a carreira como procurador da República em 2003, quando passou a integrar o Ministério Público Federal. Fez mestrado na Harvard Law School.

O destaque pela liderança da operação também foi acompanhado de críticas e polêmicas. Em 2016, Dallagnol apresentou um arquivo em Power Point que apontou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como comandante do esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Lava Jato. Um slide ligava diversos supostos crimes ao nome do ex-presidente.

O fato rendeu uma denúncia da defesa de Lula alegando desvio de função. A queixa foi arquivada pelo Conselho Nacional do Ministério Público em agosto. Os conselheiros entenderam que o caso já prescreveu, mas, ainda assim, fizeram críticas ao procurador.

A atuação do coordenador da principal operação contra corrupção no país também foi alvo de denúncias de políticos como Kátia Abreu (PDT-TO) e Renan Calheiros (MDB-AL) que pediram seu afastamento.

Em um deles, feito por Calheiros, apura-se se Deltan Dallagnol cometeu irregularidade e interferiu na disputa à presidência do Senado com postagens contra o senador.

O processo aberto a partir do pedido da senadora Kátia Abreu destaca que Dallagnol já foi alvo de 16 reclamações disciplinares no conselho, realizou palestras remuneradas e fechou acordo com a Petrobras para que R$ 2,5 bilhões recuperados fossem direcionados para uma fundação da Lava Jato.

As foram suspensas pelo ministro Celso de Mello, que acolheu argumento de Dallagnol de que instâncias disciplinares já tinham absolvido ou arquivado o caso, e que não se respeitava o devido processo legal. No caso de Calheiros, Mello também destacou que membros do Ministério Público não perdem sua liberdade de expressão em razão do cargo.

Fonte: R7

Chuva forte causa destruição em alguns pontos da capital, veja vídeo

Equipes do Corpo de Bombeiros informou que atendeu 14 chamados durante o horário da chuva.

Na tarde desta quinta-feira (20), uma chuva forte deixou a capital de Porto Velho, um lastro de destruição que durou pouco menos que 20 minutos. O temporal causado pelo impacto de uma frente de fria que está chegando ao Estado vindo da região sul, derrubou árvores, muros, placas de propaganda, estacionamentos cobertos e telhados.

Vídeo e fotos: Temporal com granizo causa destruição na Capital
Chuva forte na capital de Porto Velho derrubou árvore na avenida Rio Madeira

Uma grande árvore caiu na Avenida Rio Madeira, próximo ao Porto Velho Shopping. Na antiga rua 2, um muro foi ao chão. Uma parte do estacionamento coberto do supermercado DB também caiu.

O Corpo de Bombeiros informou que atendeu 14 chamados durante o horário da chuva.

Veja o Vídeo:

Fonte: Rondônia Agora

Vídeo: parlamentares evangélicos atacam clínica para impedir aborto de criança de dez anos

Grupos de fundamentalistas religiosos criaram confusão ao tentar entrar no hospital e xingaram a criança de “assassina”.

Parlamentares evangélicos e um grupo de fundamentalistas religiosos tentaram impedir a realização do procedimento de aborto legal de uma criança de dez anos na tarde deste domingo, no Recife. A menina veio do Espírito Santo, onde foi estuprada pelo tio, para realizar a interrupção em Pernambuco, no Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), centro de referência no atendimento ao aborto legal. Apesar da determinação da Justiça para interromper a gravidez, no sábado, a equipe médica  do Espírito Santo se recusou a fazer o procedimento. A criança chegou a Pernambuco no começo da tarde, acompanhada da avó e de uma assistente social do Espírito Santo, e seguiu direto para o centro médico. Veja a manifestação no vídeo abaixo:

Os evangélicos estavam desde meio dia em frente à maternidade, esperando a criança chegar, não permitindo que pessoas entrassem. Eles criaram uma confusão ao tentar entrar no hospital e xingaram a criança de “assassina”.

Os deputados estaduais Clarissa Tércio (PSC) e Joel da Harpa (PP), ambos da bancada evangélica, estavam desde cedo com o grupo de fundamentalistas. Eles gravaram vídeos com os apoiadores e também criaram confusão ao tentar entrar no hospital.

Já no fim da tarde, chegaram também o deputado estadual e pastor Clayton Collins e a vereadora do Recife Michele Collins.

“Quando a menina entrou, chamaram a menina de assassina e estão fazendo a maior pressão. Não deixaram Olimpio entrar, que é o diretor médico da maternidade, está a maior confusão. Eles se ajoelharam na frente da maternidade, ficaram orando, fazendo barulho. A gente teve que intervir”, relatou Elisa Aníbal, advogada e integrante da organização Grupo Curumim. A criança está sendo acompanhada pelo Grupo Curumim e pela Frente Nacional Contra Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto.

“Eles já estavam aqui desde meio dia, ficaram sabendo porque o pessoal do Espírito Santo, da igreja, conseguiram a informação e passaram. Ela estava no vôo ainda”, conta a ativista. Um grupo de mulheres também se organizou para protestar contra a ação dos evangélicos.

De acordo com Olímpio Moraes, diretor médico do Cisam, a menina já realizou a interrupção e passa bem. Ela segue internada para a finalização do procedimento de expulsão do feto. A criança veio por meio do encaminhamento da Secretaria de Saúde do Espírito Santo para o Cisam, que é um centro de referência no atendimento ao aborto legal.

“Acho que o pessoal do Espírito Santo comunicou que a menina estava sendo transferida. E a gente mantém sigilo para evitar esses problemas. Essa é uma maternidade que atende muitos casos graves, de alto risco, de paciente graves. Essa aglomeração prejudica até a entrada, o acesso à maternidade daquelas mulheres que estão chegando para parir com risco de morte e causa um problema”, criticou o diretor.

Ele teve que chamar o reforço policial para entrar na maternidade e garantir que pacientes não fossem constrangidos pelo grupo religioso. “Eu mesmo fui impedido de entrar na maternidade. Quando cheguei, a deputada Clarissa Tércio, que eu nem conhecia, queria falar comigo. Ela estava até calma, tranquila, mas o problema são a pessoas em torno. Fizeram um cordão de isolamento na entrada da maternidade e quando acabei de explicar o que estaca acontecendo não me deixaram entrar. Com palavra de ordem, de assassino, e outras palavras mais. Eu não consegui entrar, só quando chegou a viatura policial”, conta.

“Nós trabalhamos atendendo a população pernambucana e nordestina há mais de 20 anos e nunca presenciei isso. Eu acho que o ódio, a intolerância estão sendo impulsionadas nesse momento que estamos vivendo de negacionismo, de fundamentalismo religioso”, avalia Olímpio.

Fonte: Congresso em foco

Vídeo mostra Motoboy sofrendo ofensas racistas durante entrega em SP

“Você tem inveja disso aqui também ó”, disse um homem, que ainda não foi identificado, enquanto apontava para seu braço. A polícia já investiga o caso

Um vídeo divulgado nas redes sociais nesta sexta-feira (7) flagrou um motoboy sofrendo ofensas racistas e sendo humilhado enquanto realizava entrega em um condomínio de luxo, na cidade de Valinhos, interior do estado de São Paulo. O vídeo inicia com um homem branco, que ainda não foi identificado, xingando o entregador: “seu lixo. Isso aí mesmo, pode meter racista, que também estou em cima de você”. 

O jovem entregador rebate, e diz que está perdendo tempo em que poderia estar trabalhando. “Aqui não vai acontecer nada, com esse funcionário também não vai acontecer nada” rebate o homem, vestindo uma camisa azul. Logo em seguida, o agressor começa a humilhar o jovem, dizendo que ele estaria desempregado em breve, por ser motoboy.

A discussão segue, até que o homem diz: “você não tem nem onde morar, moleque. Você tem inveja. Você tem inveja da gente aqui, ó [indicando as casas do condomínio de luxo]. (…) Você tem inveja disso aqui também ó [apontando para o seu braço]”.

Delegado falará sobre o caso às 16h desta sexta-feira (7)

O entregador rebate, dizendo que pode ter os mesmos bens materiais e pergunta se o homem trabalhou ou se herdou o dinheiro. “Eu já nasci [inaudível]. Meu nome está na Bíblia”, responde o agressor, que diz também ter trabalhado muito tempo.

A cena gravada ocorreu enquanto as viaturas da polícia chegavam ao local, o entregador registrou boletim de ocorrências pela ofensa e pelo racismo. De acordo com informações, a família do homem de camisa azul disse que ele tinha problemas mentais.

Entregadores que já atenderam a residência afirmaram que o tratamento grosseiro do agressor era comum durante as entregas. O delegado responsável pelo caso vai explicar melhor a situação em coletiva de imprensa.

Fonte: R7

CNJ vai investigar desembargador sem máscara que rasgou multa

Desembargador caminhou sem máscara durante passeio e foi autuado por guarda municipal, ele se recusou a receber multa. Caso aconteceu em SP.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai apurar a conduta do desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Eduardo Siqueira. O desembargador terá que responder em até 15 dias.

Ele caminhou sem máscara em uma praia na cidade de Santos (SP) e foi autuado por um guarda municipal. Siqueira se recusou a receber a multa e a rasgou. A situação foi registrada em vídeo.

O uso do equipamento de proteção individual é obrigatório nos espaços públicos da cidade e o descumprimento da regra acarreta em uma multa de R$ 100,00. No vídeo, Siqueira  constrange o guarda e diz que vai ligar para o secretário municipal de Segurança Pública, Sérgio Del Bel.

A prefeitura de Santos divulgou nota sobre o assunto e disse que é “veementemente contra qualquer abuso de poder” e “repudia o ato de desrespeito cometido contra os guardas municipais de Santos no caso que se tornou público após a circulação de alguns vídeos em redes sociais”.

A administração municipal também afirmou que “o secretário de Segurança de Santos, Sérgio Del Bel, deu total apoio à equipe que fez a abordagem e a multa foi lavrada na tarde deste sábado (18)”.

“O homem também foi multado em R$ 150,00 por jogar lixo no chão, de acordo com a Lei Cidade Sem Lixo, que proíbe o lançamento de resíduos de qualquer natureza nas praias, além de passeios, jardins, logradouros, canais e terrenos”, explica a nota da prefeitura.

Fonte: Congresso em Foco

Cidadão indignado grava vídeo e detona governador (veja o vídeo)

Um cidadão pernambucano, que utiliza o transporte público, gravou dentro de um ônibus coletivo, em seu estado.

Em um desabafo forte representando o sentimento da população, o rapaz teceu fortes críticas ao governador Paulo Câmara.

“Olhe o transporte em Pernambuco… Paulinho mentiroso! Olhe a situação do passageiro… Frescura com as lojas, frescuras com restaurantes, frescura com tudo e agora olhe a situação do trabalhador, todo mundo ‘prensado’. Parabéns ao governo Paulo Câmara pela safadeza”, disse o rapaz.

E finalizou, arrancando aplausos dos cidadãos que estavam no ônibus:

“Isso é um desrespeito com o ser humano, 2022 vem aí e eu quero ver se você vai continuar!”

Confira:

Fonte; Jornal da Cidade

Maia volta a atacar Bolsonaro e agora, quem diria, enaltece Moro (veja o vídeo)

Para Maia, a ida do presidente aos atos sempre gera preocupação.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, em entrevista concedida à rádio Metrópole, de Salvador (BA), voltou a atacar a participação do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, em protestos recentes.

“Me preocupa porque afeta a imagem no exterior, onde a taxa de incerteza em relação ao Brasil aumentou por causa dos atos antidemocráticos e do meio ambiente”, disse o presidente da Câmara.

Maia ainda tratou de uma possível candidatura presidencial do ex-ministro Sérgio Moro, no qual acredita ter “muita chance” de chegar ao segundo turno.

“Se disputar eleição, tem muita chance de chegar ao segundo turno. Todos os movimentos dele têm sido de político, não é mais de ex-ministro ou de ex-juiz”, afirmou.

Parece que Maia vislumbra a possibilidade de galgar o posto de vice. É a chance que tem de permanecer com mandato em 2022.

Confira:

Fonte: Jornal da Cidade

Moro é candidato, diz deputada (veja o vídeo)

Bia Kicis acaba com indicações de Moro: “O candidato dele é ele mesmo” (veja o vídeo)

Em entrevista recente ao programa Pânico, da Jovem Pan, a deputada federal, Bia Kicis, garantiu que o ex-ministro Sérgio Moro será candidato à presidência em 2022.

Bia afirmou que mesmo com as últimas declarações do ex-juiz da Lava Jato, afirmando que não irá concorrer e indicando outros nomes como Luciano Huck, Luiz Henrique Mandetta e João Doria, Moro será candidato.

“O candidato dele é ele mesmo”, disse a parlamentar.

Bia Kicis garantiu conhecer bem Moro para fazer tal afirmação e inclusive já o questionou sobre o fato   

Confira:

A inércia seletiva de Davi Alcolumbre (veja o vídeo)

Antes que qualquer sinistro ocorra e cause a perda de direitos individuais, evoco a Constituição Federal de 1988, ainda, em vigor.

Art. 5º;

IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,

independentemente de censura ou licença;

XII – é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal; (Vide Lei nº 9.296, de 1996).

XXXVII – não haverá juízo ou tribunal de exceção;

Introdução feita.

Os pedidos de impeachment

Diante do inquérito do fim do mundo promovido por Dias Toffoli, ex-advogado do PT e em execução por Alexandre de Moraes, o presidente do Senado toma para si a pauta do Senado Federal e determina o que e quando será colocado em votação.

Assim ocorreu com o PL da censura, posto em votação a toque de caixa.

Entretanto, nega provimento ou posterga os 17 pedidos de impeachment protocolados no Senado, somente em 2019, dentre os quais, a maioria é direcionado a Dias Toffoli, seguido por Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes. Há também vários outros pedidos produzidos em anos anteriores.

O presidente do Senado repousa os seus grandes glúteos sobre a pilha de pedidos de impeachment, alheio às suas obrigações de proporcionar a apreciação dos pedidos em plenário da casa.

Assista ao vídeo: