Voluntários recolhem mais de uma tonelada de resíduos sólidos do rio Pacaás Novos em Guajará-Mirim

Resíduos recolhidos pelos voluntários foram separados, catalogados e destinados de forma correta

Cerca de 1300 quilos de lixo foram recolhidos do rio Pacaás Novos, em Guajará-Mirim, durante a 3ª edição do Programa “Rios + Limpos”, do Ministério do Meio Ambiente. O programa nacional tem a intenção de incentivar a população a não jogar o lixo em local que possa trazer impacto ao meio ambiente, a descartar de forma correta e separar o resíduo reciclável do orgânico. Em Rondônia, o “Rios + Limpos” conta com o apoio do Governo do Estado, onde as atividades são desenvolvidas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam). 

A proposta é retirar toneladas de resíduos sólidos de rios de todo o país. A iniciativa é inédita em Rondônia e fortalece as ações executadas pelo Poder Executivo para melhorar e proteger a biodiversidade local. No Estado, o Rios + Limpos foi implantado em comunidades indígenas e ribeirinhas, no torno do rio Pacaás Novos.

Nesta fase, equipes de voluntários compostas por ribeirinhos e indígenas, sob a coordenação da Sedam, passaram nas localidades próximas ao rio, previamente visitadas pela equipe da Educação Ambiental da Sedam (Ceam).

Na 1ª fase do programa, realizada no mês de outubro, os servidores da Sedam trabalharam ações educativas para mostrar a importância da água e os problemas que o descarte incorreto dos resíduos sólidos podem trazer para os afluentes. Além dessas atividades, houve o recolhimento de lixo, com o envolvimento da comunidade local que vive próxima ao manancial, a fim de despertar nela, a importância da preservação do rio.

Durante as atividades foi realizada a pesagem e a destinação dos resíduos, onde os recicláveis foram coletados pela Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Nova Vida (Ascanov) e o restante foram levados por um caminhão até o aterro sanitário da cidade de Ariquemes. Os resíduos recolhidos pelos voluntários foram separados, catalogados e destinado de acordo com a legislação ambiental.

André França, representante do Ministério do Meio Ambiente e secretário de Qualidade Ambiental, afirma que todo esse lixo jogado no rio ocasiona vários problemas, como na segurança da navegação, no turismo, na pesca, além da perca da qualidade de vida da comunidade, prejudicada com a poluição dos rios.

O secretário-adjunto da Sedam, Demargli Farias, lembrou que o rio é de grande relevância para a subsistência da comunidade, além dos animais que dependem da água, o que se faz extremamente necessário essa limpeza.

Fonte: Secom-RO

Fiocruz de Rondônia busca voluntários para pesquisa sobre pós-vacina contra covid-19

Segundo o Governo de Rondônia, a pesquisa deve se estender por um ano.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Rondônia procura voluntários, entre os profissionais de saúde vacinados contra a Covid-19, para a pesquisa de caracterização virológica e imunológica. Segundo o Governo de Rondônia, a pesquisa deve se estender por um ano a partir da conclusão da coleta das amostras.

Os interessados em participar como voluntários devem entrar em contato com a Fiocruz pelo e-mail: pesquisa.vacinados@gmail.com ou pelo telefone (69) 9 9279-9070.

A equipe entrará em contato com o voluntário por aplicativo de mensagem para agendar a coleta. É necessário levar no dia o cartão de vacinação e ingerir pelo menos 500 ml de água antes de coletar o sangue. As coletas acontecem na Fiocruz Rondônia após aplicação da segunda dose.

O que os pesquisadores querem saber?

  • avaliar a resposta imune dos vacinados contra a Covid-19
  • saber se os vacinados estão produzindo anticorpos e se produzem neutralizantes, capazes de bloquear a entrada do vírus nas células
  • se é viável liberar diferentes tipos de vacinas para uma mesma pessoa

A pesquisa é coordenada por quatro doutoras especialistas em imunologia e biologia experimental, sendo três da Fiocruz Rondônia e uma da Fiocruz do Rio de Janeiro.

Fonte: Fiocruz-RO

Coronavírus: Estudo no Reino Unido quer infectar voluntários para testar vacina

Procedimento que busca descobrir se vacina imunizou voluntários divide opinião de pesquisadores. Para alguns, técnica é antiética por não existir ainda tratamento eficaz contra o coronavírus.

Uma empresa de biotecnologia britânica está em negociações avançadas com o governo do Reino Unido para criar e fornecer linhagens do coronavírus a serem usados em testes de desafio humano de vacinas, procedimento em que os voluntários são infectados deliberadamente com o vírus. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (16) pela agência de notícias Reuters.

Nestes testes de controle rígido, os voluntários recebem uma vacina e, cerca de um mês depois, são contaminados propositalmente com a doença em condições controladas. Depois, eles são isolados em uma instalação de quarentena e monitorados para se descobrir se adoecem ou se a vacina os imunizou.

O trabalho preliminar dos testes, que pretende acelerar o processo que determina a eficiência de uma candidata a vacina contra a Covid-19, está sendo realizado pela hVIVO, uma unidade do grupo de serviços farmacêuticos Open Orphan, disse a empresa à Reuters.

“Estamos conversando com várias partes, incluindo o governo do Reino Unido, a respeito de um teste de desafio de Covid-19, e assim que um destes contratos for assinado, faremos um anúncio”, disse o presidente-executivo da Open Orphan, Cathal Friel.

Procedimento divide opiniões

Apoiadores de testes de desafio humano dizem que o procedimento é uma boa maneira de encurtar o processo muitas vezes demorado de se comprovar a eficácia de vacinas experimentais, mas que tenham potencial.

Já os críticos dizem que infectar deliberadamente uma pessoa com uma doença possivelmente fatal para a qual ainda não existe tratamento eficaz é antiético.

As desenvolvedoras de vacinas AstraZeneca, Sanofi, BioNTech, Moderna e Inovio disseram em setembro que suas respectivas candidatas a vacina contra o coronavírus não estão envolvidas no programa da empresa britânica.

Fonte: G1

Itália começa a testar possível vacina contra covid-19 em voluntários

Testes serão feitos com 90 pessoas nas próximas semanas

A Itália iniciou testes de uma candidata a vacina contra a covid-19 em humanos nessa segunda-feira (24), juntando-se a um esforço global em busca de uma reação ao vírus, que deu sinais de estar ressurgindo na Europa.

O Instituto Lazzaro Spallanzani, um hospital de Roma especializado em doenças infecciosas, realizará testes com 90 voluntários nas próximas semanas, na esperança de que uma vacina esteja disponível até a primavera local do ano que vem.

Francesco Vaia, diretor de saúde do hospital Spallanzani, disse à Reuters que o primeiro paciente será monitorado durante quatro horas antes de voltar para casa, onde será mantido em observação durante 12 semanas.

“Veremos se ele apresenta algum efeito colateral e se produz anticorpos neutralizadores”, disse Vaia, acrescentando que a segunda fase dos teste acontecerá em países com taxas de infecção mais altas, como México e Brasil.

“Se conseguirmos ser rápidos, teremos as primeiras vacinas no mercado na próxima primavera”, acrescentou Vaia.

A potencial vacina, chamada GRAd-COV2, foi desenvolvida pela ReiThera, uma empresa sediada em Roma. A região de Lazio, no entorno da capital italiana, informou em comunicado que testes iniciais, inclusive em animais, deram resultados positivos.

Várias vacinas em potencial estão passando por testes em diversos países, como Índia, Reino Unido, Rússia e China, enquanto cientistas correm para desvendar os segredos de um vírus que surgiu há menos de um ano.

“As mentes e pesquisas de nosso país estão a serviço do desafio global de derrotar a covid”, escreveu o ministro da Saúde, Roberto Speranza, no facebook ao anunciar o início do teste.

A Itália, que soma mais de 35 mil mortes e é uma das nações europeias mais atingidas, viu a epidemia atingir seu pico entre março e abril e depois aparentemente recuar, mas desde então testemunhou uma disparada de casos novos – mais de mil foram registrados no último fim de semana.

Outros países da Europa viram aumentos ainda maiores, depois do relaxamento das restrições severas e das medidas de distanciamento social impostas no começo do ano.

Fonte: Agência Brasil

TRE-RO abre inscrições para voluntários nas eleições 2020

Voluntários vão atuar com apoio logístico em todo o estado

Inscrições devem ser feitas pela internet.

As inscrições foram abertas pelo Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) para o apoio voluntário nas eleições municipais. Os voluntários serão treinados para atuar com o apoio logístico, realizando atividades relacionadas ao pleito de 2020 em todo o estado nos dois turnos de votação.

Segundo o TRE, dentre essas atividades estão: vistoria e preparação das urnas, montagem das seções eleitorais, verificação dos dados das urnas, suporte às seções eleitorais no dia da votação e transmissão eletrônica dos resultados do pleito.

Para se inscrever é preciso ter pelo menos 18 anos; não pode ser candidato às eleições ou parente de um; membro de diretório de partido, desde que exerça função executiva; autoridade ou agente policiais; além de funcionário no desempenho de cargo de confiança ou que já pertença ao serviço eleitoral.

As inscrições devem ser feitas pela internet através do preenchimento de cadastro na página do TRE-RO. Os candidatos serão nomeados após verificação dos impedimentos previstos.

Os participantes terão vantagens como desempate em concursos públicos, quando previsto em edital, folgas no trabalho pelo dobro de dias de atuação como voluntário, além de certidão de horas complementares para universitários.

Fonte: Rede Amazônica

%d blogueiros gostam disto: