Delegada detalha investigações sobre assassinato de jovem encontrado em poço

Os detalhes sobre o assassinato do jovem Felipe Dias Campos, de 20 anos, encontrado morto dentro de um poço, na tarde desta segunda-feira (20), em um terreno baldio, no bairro Jardim Santana, zona leste da capital, foram repassados durante coletiva de imprensa, nesta manhã.

De acordo com a delegada Leisaloma Carvalho, após o registro do desaparecimento de Felipe, no dia deste mês, diligências foram realizadas pela Polícia Civil, para localizar a vítima.

No decorrer das buscas, os policiais descobriram indícios de que Felipe estava morto e investigadores da Delegacia de Homicídios entraram no caso.

Não demorou muito, e após ouvir familiares da vítima e testemunhas, os policiais chegaram até o local onde o corpo de Felipe estava.

Com o avanço dos trabalhos, os policiais chegaram até o apenado monitorado por tornozeleira eletrônica Carlos Alexandre Santos Araújo, que confessou o crime e foi preso.

O que a Polícia sabe:

No dia do crime, Felipe foi atraído para um local, pensando que estava indo se encontrar com uma mulher.

Chegando no endereço, ele foi surpreendido pelo apenado. Conforme a Polícia, tudo indica que antes de ser morto a golpes de faca, o jovem foi torturado.

Aos policiais, Carlos Alexandre confessou o crime e disse que matou Felipe porque ele estava “cantando” sua companheira.

Os investigadores descobriram ainda, que Felipe foi morto no mesmo dia em que desaprendeu.

A Polícia trabalha com a hipótese de que Felipe foi morto em outro lugar e depois teve o corpo jogado de cabeça para baixo no poço.

Após o corpo ser retirado, foi constatado que a vítima estava com as mãos amarradas com um fio e amordaçada.

Carlos Alexandre, segundo a Polícia, tem envolvimento com uma facção criminosa e estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica.

A vítima, e o acusado de praticar o crime, moravam na mesma região, no bairro Jardim Santana, próximo de onde o corpo foi encontrado.

Com a prisão de Carlos Alexandre, as investigações continuam para saber se existe a participação de outras pessoas no crime.

A companheira do acusado, está sendo investigada pela Polícia, juntamente com outras pessoas. “Neste momento, nós não descartamos nenhuma possibilidade e vamos seguir com as investigações”, afirmou a delegada Leisaloma Carvalho.

Felipe Dias não tinha envolvimento com nenhuma facção criminosa, segundo apurações preliminares da Polícia.

Source: rondoniagora

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias