O inconsequente embaixador brasileiro em Israel não tem mais condições de permanecer no cargo

Conforme informado exaustivamente pela mídia, “em acordo de trégua, Hamas liberta 24 reféns e Israel solta 39 palestinos, em negociação secreta que durou mais de um mês”.

Todos sabem da gravidade dos acontecimentos, que exigem o máximo de cautela e prudência, menos o embaixador do Brasil em Israel, Frederico Meyer.

Em infeliz entrevista à UOL NEWS, na sexta-feira (24), Meyer afirmou o seguinte:

“Eu ainda não entendi a posição do Hamas. Porque esses reféns que estão lá são uma moeda de troca. Não consigo perceber qual é o interesse do Hamas em libertar esses sequestrados. Porque depois que esses sequestrados forem entregues, qual vai ser a moeda de troca?”

Mas como as coisas sempre podem piorar, o inconsequente embaixador brasileiro prossegue, irresponsavelmente:

“Isso vai liberar Israel a ter uma ação ainda mais forte em Gaza. Porque uma das coisas que está contendo as ações de Israel é o medo de você atingir os reféns. Uma vez que você não tem mais reféns, Israel estaria liberado para atacar o quanto quisesse?”

O embaixador Frederico Meyer não mais reúne condições de continuar em Israel, pois não é confiável.

A propósito, talvez não por acaso esse Frederico Meyer serviu na China, no Cazaquistão, em Cuba, na antiga URSS (1985-1989) e no Iraque (1980-1983), início da Era Saddam Hussein.

Foto de Milton Córdova Junior
Milton Córdova Junior*

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias