Presidente do Parlamento Amazônico se manifesta contra intransigência da ministra Marina Silva em relação à BR-319

Diante das intransigências e incapacidade da Ministra do meio Ambiente, Marina Silva, de abordar adequadamente as preocupações relativas às questões ambientais na questão de viabilizar a construção da BR-319, o Parlamento Amazônico fez um manifesto repudiando a fala da minista.

Em outras palavras, num contexto extremamente controverso, com a realidade das alterações climáticas a ministra disse que a viabilidade da 319 torna-se cada vez mais inviável.

“A estrada não foi feita porque é uma estrada difícil de provar a viabilidade econômica. A viabilidade social, não tenho duvido de que as pessoas querem o direito de ir e vir, mas a viabilidade econômica e ambiental?

A não ser que seja para converter as áreas de mais de 400 km de floresta virgem em outro tipo de atividade. Não tem viabilidade. Socialmente, até agente intende, agora, ambientalmente e economicamente, não se faz uma estrada de mais de 400 km no meio de uma floresta vigem apenas para passear de carro, se não tiver associado a um projeto produtivo”.

E finalizou dizendo, “vossa excelência Sabia que só de anunciar a BR 319 o desmatamento aumentou ali 110%, afirmou Marina.

Muito grave a fala da ministra Marina Silva!

Diante do exposto, o Parlamento Amazônico, que é composto por 251 deputados Estaduais que integram a Amazônia Legal, Rondônia, Acre, Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Roraima e Tocantins, sob a Presidência do deputado estadual Laerte Gomes (PSD), “repudiaram” o posicionamento e a fala da ministra do meio Ambiente, Marina Silva.

“Nós amazônidas sabemos a importância da preservação do meio ambiente, que precisa andar lado a lado com o desenvolvimento e qualidade de vida do povo que aqui reside, e a BR-319 é fundamental para isso”, diz um trecho do documento.

A ministra, que também é cidadã nascida na Amazônia, se esqueceu de quanto é sofrido o isolamento do povo do Norte do Brasil, principalmente para milhões de brasileiros que vivem no Amazonas, Rondônia e Roraima, diz a nota assinada pelo deputado Laerte Gomes, presidente do Parlamento Amazônico.

“Eles não aprontam a BR-319 porque vai “quebrar as empresas de transporte fluvial”, afirma a Influencer digital, Marimar Rios.

Confira o vídeo:

 

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias