Adolescente morreu durante confronto entre facções no Porto Madero; terceiro envolvido está foragido

Um confronto a tiros entre integrantes de facções criminosas resultou na morte do adolescente Talisson Vinicius Jesus da Silva, de 13 anos, na noite do dia 9 de novembro deste ano, condomínio Porto Madero, na zona leste da capital. 

Segundo a delegada Leisaloma Carvalho, antes do crime acontecer, já havia informações de que membros da facção Comando Vermelho, iriam atacar seus rivais, no condomínio Porto Madero. As revelações foram feitas durante coletiva, ao final da Operação Revide, realizada nesta segunda-feira (3).

A Polícia descobriu que Matheus França Menezes, 20 anos, e Douglas da Silva Clementino, 22 anos, que estavam de motocicleta, passaram atirando para dentro do condomínio. Elivelton Bechimol Mota (foto), 22 anos, que já sabia que iria acontecer o ataque, revidou os tiros, iniciando um confronto com seus rivais. 

Durante o tiroteio, Talisson que estava brincando com outras crianças, e não tinha nada a ver com a situação, acabou sendo baleado na cabeça. Ele ainda foi levado até a UPA Leste, mas acabou não resistindo e morreu. 

Com o avanço das investigações, os policiais chegaram até Elivelton, Matheus e Douglas, como sendo os criminosos que participaram do confronto a tiros. 

O delegado responsável pelo caso representou pela prisão temporária de todos os envolvidos, que foi deferido pela justiça. 

Nesta manhã, Douglas e Matheus foram presos no condomínio Orgulho do Madeira. Na delegacia, Matheus confessou que passou atirando na frente do condomínio Porto Madero. 

Já Douglas, negou ter participação no crime, mas as investigações o apontam como o comparsa de Douglas. 

De acordo com a Polícia, Elivelton Bechimol Mota, estava dentro do condomínio, e foi à pessoa que revidou os tiros efetuados por Douglas e Matheus. 

Nas diligências realizadas nesta manhã, Elivelton não foi encontrado e passa a ser considerado foragido. Qualquer informação sobre o paradeiro do criminoso, pode ser repassada através do 197, sem se identificar. 

Agora, as investigações, segundo a delegada Leisaloma Carvalho, continuam para saber de qual arma saiu o tiro que acertou a cabeça de Talisson. “Todos os três vão responder por homicídio. “Vale destacar que outras crianças que estavam no local, poderiam ser atingidas durante o confronto, mas por uma proteção divina isso não aconteceu”, finalizou Leisaloma Carvalho.

Source: rondoniagora

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias