Entidade respeitada enlameia a sua história com a escolha de Dilma como “Mulher Economista do ano”

O Conselho Federal de Economia (Cofecon) acaba de anunciar que a ex-presidente Dilma Rousseff foi ‘eleita’ como a Mulher Economista do ano.

A decisão foi tomada durante a 729ª Plenária Ordinária do Cofecon, realizada no sábado (9/12).

A solenidade da entrega da premiação ocorrerá no próximo ano, com data ainda a confirmar.

Para justificar a escolha, o tal Cofecon disse que Dilma “foi escolhida por sua significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país ao longo de sua carreira”.

Sem dúvida, esse “Cofecon” é digno de piada.

Basta ver a situação da economia na época de Dilma.

O Brasil esteve, entre os anos de 2011 a 2020, com a pior economia de sua história em 120 anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Essa escolha do Cofecon, além de absurda, chega a ser um ato de absoluta irresponsabilidade e menosprezo para com a sociedade brasileira.

Vale lembrar que Dilma Rousseff foi condenada em um processo de impeachment por maquiar o resultado das contas públicas durante sua gestão. As pedaladas fiscais levaram o Brasil à maior recessão de sua história, com queda acumulada de quase 7% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015 e 2016.

 

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias