Associação alerta o STF sobre saúde frágil de presos pelo 8 de Janeiro antes que o pior aconteça

A Associação dos Familiares e Vítimas do 8 de Janeiro (ASFAV) encaminhou ofícios aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), alertando sobre a condição de saúde deteriorada de alguns presos envolvidos nos eventos de 8 de janeiro.

Esses comunicados, que incluem laudos médicos, mencionam especificamente o coronel Naime e outros detentos, com a Asfav confirmando o recebimento dos documentos pelo STF na terça-feira, 19 de julho.

Um dos casos destacados é o de Claudinei Pego da Silva, um pintor de 48 anos que recentemente tentou o suicídio na prisão da Papuda.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) já emitiu um parecer favorável à sua liberdade provisória. Silva, que é pai de quatro filhos, teve sua oficina mecânica fechada devido à prisão, gerando dificuldades financeiras e emocionais para sua família.

A Asfav também mencionou que Silva está sob forte medicação para depressão, destacando a importância do apoio familiar e de amigos em sua situação atual.

Outro caso é o do pastor Jorge Luiz dos Santos, 58 anos, que sofre de uma doença grave necessitando de cirurgia. Assim como Silva, a PGR também recomendou sua liberdade provisória.

O coronel Naime, outra pessoa citada nos documentos, tem comorbidades que colocam sua vida em risco iminente. Recentemente, ele foi hospitalizado com risco de embolia pulmonar.

A associação está tentando evitar outra tragédia como a que aconteceu com Cleriston da Cunha, o Clezão.

Antes da morte, a defesa de Clezão pediu liberdade a Moraes e citou parecer favorável da PGR favorável à soltura. No entanto, o pedido de soltura não foi analisado.

O que aconteceu com “Clezão” é algo extremamente triste e revoltante que mostra o que as pessoas presas pelo 8 de janeiro estão sofrendo até hoje

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias