Trabalho integrado e ações preventivas são apontados pelo MP como fatores que colaboraram com a redução do desmatamento em RO

O Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (GAEMA), comentou acerca da redução do desmatamento na região Norte, em especial, Rondônia, que obteve o maior percentual de redução, com 72% (setenta e dois por cento), conforme dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), referentes a janeiro e novembro de 2023, comparado ao mesmo período de 2022.

O Coordenador do GAEMA, Promotor de Justiça Pablo Hernandez Viscardi, ponderou algumas questões importantes para este cenário positivo. Disse que merece destaque o trabalho integrado com os órgãos responsáveis pela tutela ambiental no estado de Rondônia nas atuações interinstitucionais, enfocando a parceria com o Imazon, que forneceu dados relevantes sobre áreas onde havia risco muito alto de desmatamento. Desta forma foi possível planejar ações preventivas junto com o BPA e SEDAM, no sentido de evitar a ocorrência do ilícito ambiental ou de coibir o aumento do dano ambiental existente.

Destacou ainda o Promotor de Justiça, como fator de grande relevância, as decisões favoráveis obtidas pelo Ministério Público junto ao Poder Judiciário, que validaram e fortaleceram a atuação.

Entre as operações coordenadas pelo MP em 2023, através do GAEMA, com apoio de parceiros como Polícia Militar, Batalhão Ambiental, Secretaria de Desenvolvimento Ambiental, DER e Idaron, está a “Mapinguari”, de desocupação da área conhecida como Bico do Parque, zona de amortecimento do Parque Estadual Guajará- Mirim. Ocasião em que os invasores foram retirados de forma pacífica pela ação integrada entre os órgãos de fiscalização e repressão. Durante a operação, também foi identificado um fazendeiro que coordenava grande desmatamento no local.

Na sequência, com a “Operação Persistere”, o fazendeiro foi denunciado pelo MP por repetidos danos ambientais ao Parque Estadual Guajará-Mirim, promovendo condutas criminosas, consciente da clandestinidade e reprovabilidade de seus atos, com a inserção do gado, a formação de pasto e por meio do cercamento de área situada no interior da Unidade de Conservação. Danos calculados em mais de 36 (trinta e seis) milhões de reais. A denúncia levou a prisão do mesmo preventivamente.

O relatório do IMAZON aponta ainda que dos nove estados da Amazônia Legal, apenas três tiveram aumento no desmatamento, sendo eles Roraima, Tocantins e Amapá. Destaca ainda o relatório que o mês com menor índice foi novembro de 2023, em Rondônia, foi de 7 km².

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias