Saúde mental é tema de roda de conversa no TRT-14

Foto: Banco de Imagem

Em sintonia com a campanha Janeiro Branco, que visa conscientizar a sociedade sobre a importância do cuidado com a saúde mental, a Seção de Assistência Psicossocial (CAS) do Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região (RO/AC) realizou nesta quarta-feira (17) uma roda de conversa virtual com servidores e estagiários do tribunal. O evento foi conduzido pelo psicólogo do TRT-14, Luiz Augusto de Freitas, e pela assistente social, Taís Betânia Fusinato, que abordaram o tema “Saúde mental enquanto há tempo – O que fazer agora?”.

A iniciativa faz parte do Projeto Roda de Conversa, que tem o objetivo de propiciar um espaço de fala, e principalmente, de escuta e acolhimento.

O encontro virtual teve início com a apresentação da música Tempo Perdido, do cantor e compositor Renato Russo. A letra da música serviu de inspiração para várias reflexões feitas pelos participantes. Eles compartilharam suas experiências, vivências e ensinamentos sobre como lidar em situações difíceis, especialmente em tempos de crise. Alguns depoimentos foram emocionantes e tocaram os demais presentes.

O psicólogo do tribunal, Luiz Augusto de Freitas Guimarães , destacou que a saúde mental é um tema que normalmente é renegado, mas que se torna cada vez mais relevante diante dos desafios impostos pela pandemia da covid-19 e pelas mudanças tecnológicas no ambiente de trabalho.

“A gente percebe que o conceito de saúde mental está mais abrangente. Não é só não ter doença, mas é ser produtivo, usar suas próprias habilidades, ter autonomia, ter autoestima, ter qualidade de vida. E esse conceito se torna mais desafiador, tendo em vista o desafio que enfrentamos recentemente, que foi a covid-19, que mudou completamente a nossa rotina, a nossa forma de se relacionar, de trabalhar, de estudar.” Luiz Augusto citou ainda sobre as mudanças tecnológicas, que trouxe um impacto tremendo na saúde mental das pessoas.

A assistente social Taís Betânia Fusinato ressaltou a importância de se criar espaços de diálogo e de cuidado mútuo. “A gente precisa se cuidar, se amar, se respeitar, se valorizar. A gente precisa ter esse olhar para nós mesmos e para o outro. É preciso ter empatia, compreensão e solidariedade. A gente precisa se fortalecer como seres humanos, como equipe, como instituição”, concluiu.

“Frederico Alves Rangel, coordenador de Assistência à Saúde do tribunal, encerrou a roda de conversa destacando a importância de as pessoas não se exigirem demais.

“As pessoas têm se pressionado cada vez mais, em ter que fazer muitas coisas, e sentem que não têm tempo para se dedicar a outras coisas mais relevantes. Talvez não seja um problema para nós não termos tempo para algo, contanto que saibamos o motivo de termos escolhido gastar o nosso tempo. Se conseguirmos ter essa consciência de saber o motivo de termos feito certa escolha, talvez nos arrependamos menos do tempo que passou”.”

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias