A revelação do nome do mandante Marielle e Anderson

A delação do ex-PM Ronnie Lessa, segundo O Globo, está no Superior Tribunal de Justiça (STJ), na mesa do ministro Raul Araújo.

Se está no STJ isso indica que o mandante de foro privilegiado.

O caso, enfim, está prestes a ser concluído.

Para que isso ocorra, as informações prestadas pelo ex-PM devem ser confirmadas pelos agentes federais do Grupo Especial de Investigações Sensíveis (Gise). Os investigadores têm que comprovar que as informações passadas pelo delator são verdadeiras.

O nome do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Domingos Brazão, como mandante, já mencionado na delação de Élcio Queiróz, pode ter sido confirmado por Ronnie Lessa.

Brazão já havia sido investigado, antes da delação, pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio e pela própria Polícia Federal, mas nada havia sido efetivamente provado contra ele.

Brazão garante que é inocente:

“Depois das famílias de Marielle e Anderson, posso garantir que os maiores interessados na elucidação do caso somos eu e minha família. Tenho fé que, se houver mesmo essa delação, que, graças a Deus, isso termine logo.”

Vamos aguardar.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias