Tribunal decreta falência de empresa gigante do setor imobiliário da China

Foto: Reprodução/Redes sociais

Nesta segunda-feira, 29, um tribunal em Hong Kong decretou a liquidação da Evergrande, uma das maiores incorporadoras imobiliárias da China. A decisão veio após a empresa falhar em elaborar um plano de reestruturação e quitar suas dívidas.

A juíza Linda Chan, responsável pelo caso, determinou a liquidação da empresa, que possui mais de US$ 300 bilhões em passivos. A Evergrande não conseguiu apresentar um plano viável de reestruturação dois anos após entrar em default em sua dívida externa, apesar de várias audiências judiciais.

“É hora de o tribunal dizer que já basta”, declarou a juíza Linda Chan, destacando a necessidade de liquidação.

Linda Chan nomeou a empresa de assessoria Alvarez & Marsal para gerenciar a liquidação dos ativos da Evergrande, visando o pagamento das dívidas. A juíza justificou a nomeação como sendo do interesse de todos os credores, considerando que a Alvarez & Marsal poderá elaborar um novo plano de reestruturação enquanto o presidente da Evergrande, Hui Ka Yan, enfrenta investigações.

A decisão de liquidar os ativos da incorporadora gera incertezas adicionais nos já fragilizados mercados de capitais e imobiliário da China. Especialistas do mercado financeiro expressaram preocupações sobre o impacto dessa decisão.

Gary Ng, economista sênior da Natixis, uma empresa de serviços financeiros, comentou:

“Não é o fim, mas o início do prolongado processo de liquidação, o que tornará as operações diárias da Evergrande ainda mais difíceis”.

Ele ainda apontou as incertezas em relação à apreensão dos ativos da Evergrande na China continental e as possíveis consequências para os detentores de títulos offshore e acionistas.

Setor Imobiliário Instável Afeta Economia Chinesa

A economia de Pequim enfrenta desafios significativos, marcados pelo pior mercado imobiliário em nove anos e um mercado de ações próximo das mínimas de cinco anos.

Antes da audiência, as ações da Evergrande caíram aproximadamente 20%. Após o veredito, as negociações dos papéis do grupo e suas subsidiárias listadas foram suspensas.

A Evergrande estava em negociações para reestruturar dívidas de US$ 23 bilhões com um grupo de credores há quase dois anos. Embora a empresa possa recorrer da decisão de liquidação, o processo continuará enquanto aguarda o resultado do recurso.

Fergus Saurin, sócio da Kirkland & Ellis, que aconselhou os detentores de títulos offshore, declarou: “Não estamos surpresos com o resultado e é um produto do fracasso da empresa em se engajar com o grupo de credores”. Saurin também criticou a abordagem da Evergrande, enfatizando que a empresa só tem a si mesma para culpar pela liquidação.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias