Perito da Forum muda versão e admite que vídeo de Júlio Lancellotti não é montagem

Por Edilson Salgueiro*

O perito Mario Gazziro, contratado pela revista Fórum para analisar o vídeo pornográfico do padre Júlio Lancellotti, mudou sua versão e agora admite que as cenas são verdadeiras. A nova conclusão descarta a validade da perícia anterior, que via indícios de deepfake na gravação.

A versão atualizada do documento trabalha com a seguinte teoria: criminosos teriam contratado um sósia do padre, construído um estúdio idêntico à sua residência e gravado as cenas. “Diminuíram ao máximo a exposição do impostor no vídeo, para evitar quaisquer aspectos que possibilitassem identificar a fraude de forma simples”, justificou Gazziro.

O perito da Fórum acredita que o vídeo foi divulgado nos porões da internet e posteriormente vendido para políticos rivais do padre.

No documento mais recente, Gazziro admite que os peritos Reginaldo e Jacqueline Tirotti analisaram as imagens de maneira adequada. “O novo material não apresentou indícios de edição ou montagem”, ressaltou.

A versão anterior sobre Júlio Lancellotti

No primeiro laudo, Gazziro constatou montagens no vídeo que mostra o padre se masturbando para um menor de idade. O perito da Fórum analisou as mesmas cenas que agora diz serem verdadeiras, mas alega que o arquivo verificado anteriormente era outro. É o que justificaria a mudança de versão.

O vídeo analisado no primeiro laudo é o mesmo que circulou na internet em 2020. À época, o perito Onias Tavares de Aguiar já havia atestado a veracidade do conteúdo. Seu relatório foi usado pelo então deputado estadual Arthur do Val, que apresentou uma denúncia ao Ministério Público. Oeste interpelou o órgão sobre o motivo do arquivamento do caso. Não houve resposta.

Source: *Revista Oeste

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias