Principal porta-aviões do Reino Unido é forçado a ‘saltar’ grandes exercícios da OTAN após problemas

© AP Photo / Petros Karadjias
O porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, comissionado em 2017, e o principal do país, não participará do exercício Steadfast Defender-2024 da OTAN devido a um problema técnico, comunicou no domingo (4) a Marinha Real do Reino Unido.
“As verificações rotineiras antes da navegação de ontem identificaram um problema com um acoplamento no eixo da hélice de estibordo [do HMS Queen Elizabeth]”, disse a Marinha Real no X, a rede social anteriormente conhecida como Twitter.
O porta-aviões HMS Prince of Wales zarpará para o exercício militar em lugar do HMS Queen Elizabeth “assim que possível”, explicou a declaração.
Em 18 de janeiro, a OTAN anunciou que começaria o Steadfast Defender-2024 no final do mês. As manobras, que estão sendo realizadas no Atlântico e na Europa, envolvem cerca de 90.000 soldados de todos os 31 Estados-membros, e também da Suécia, que está em vias de completar a adesão. Elas durarão vários meses.
Durante os exercícios, os aliados planejam testar um cenário de conflito contra um “adversário próximo”, em conformidade com o Artigo 5 do Tratado do Atlântico Norte, que afirma que um ataque a um aliado é considerado um ataque contra toda a OTAN e permite a prestação de assistência adequada.

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Are you sure want to unlock this post?
Unlock left : 0
Are you sure want to cancel subscription?
× Canal de denúncias